MagocomSegunda-Feira, 20 de Novembro de 2017 Assine o BNLCadastre-se
Blog do editor









Busca

Blog do editor < Voltar

Blog do editor

Magnho José

Tramitação do PL 7306/17 poderá garantir ‘urgência’ no dia da audiência pública 17/05/2017 11:23:28

A meta da diretoria da FEBRALOT é alcançar o número de assinaturas necessárias para aprovar o pedido de ‘urgência’ ao projeto de lei no dia da audiência pública

A diretoria da FEBRALOT e os deputados Goulart (PSD-SP), Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) da Frente Parlamentar de Apoio aos Lotéricos comemoraram no Salão Verde da Câmara dos Deputados o fato de terem obtido mais de 300 assinaturas em apoio ao pedido de ‘urgência’ ao PL 7306/17. A proposta dispõe sobre o valor das tarifas dos serviços prestados pelos permissionários lotéricos, na função de correspondente bancário e poderá garantir a correção imediata de todas as tarifas, além de definir o modelo que permitirá uma atualização dos valores movimentados pela rede lotérica.

“Minha luta em defesa dos Lotéricos vem de longa data, desde à época pela inclusão desta categoria no Simples. Sempre respeitei à Caixa pela sua importância como instituição financeira com forte atuação no social, porém, é mais do que justa essa luta dos lotéricos pela sobrevivência da categoria. Ainda hoje obtivemos mais de 300 assinaturas em apoio ao pedido de urgência do Projeto de Lei 7306/17, do qual sou um dos autores”, comentou o deputado Luiz Carlos Hauly.

A meta da diretoria da FEBRALOT é alcançar o número de assinaturas necessárias para aprovar o pedido de ‘urgência’ ao projeto de lei, que atualmente encontra-se na Comissão de Finanças e Tributação - CFT, no dia da audiência pública, que será realizada no próximo dia 23, às 10h, no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados.

“Mais uma vitória alcançada em busca do objetivo maior que é a aprovação do PL 7306. A meta de alcançar o número de assinaturas necessárias para aprovar o pedido de ‘urgência’ em nosso projeto no dia da audiência pública já foi conquistada. Na tarde desta terça-feira, com o auxílio fundamental dos deputados Goulart e Luiz Carlos Hauly, foram obtidas mais de 300 assinaturas. Com isto temos a certeza de que estamos muito próximos de nosso objetivo final”, comentou Jodismar Amaro, presidente da FEBRALOT.

Pedido de ‘urgência’

O requerimento de ‘urgência’ proposto está baseado no artigo 155 do Regimento Interno da Câmara dos Deputados, que determina que “poderá ser incluída automaticamente na Ordem do Dia para discussão e votação imediata, ainda que iniciada a sessão em que for apresentada, proposição que verse sobre matéria de relevante e inadiável interesse nacional, a requerimento da maioria absoluta da composição da Câmara, ou de Líderes que representem esse número, aprovado pela maioria absoluta dos Deputados”.

Além das 300 assinaturas dos parlamentares, faltam apenas assinatura de sete líderes partidários: Arthur de Lira (PP), Áureo (SD), Diego Garcia (PHS), Glauber Braga (PSOL), Leandre Dal Ponte (PV), Weverton Rocha (PDT) e Professor Vitório Galli (PSC)

Empresários lotéricos descobriram a força da classe

Em várias oportunidades o BNL destacou que os empresários lotéricos, em algum momento, descobririam a força política da classe e a melhor estratégia para enfrentar a arrogância de alguns dirigentes do banco, que colocaram a rede nesta situação.

União, trabalho, ações políticas corretas estão ajudando a classe se posicionar melhor perante a Caixa e garantir melhores condições de negociações em suas reinvindicações.

Comentários (4)
 
marco aurélio de azevedo nogueira
17/05/2017 22:22:29

Boa noite,olha MICHEL TEMER quando falava que são quadrilhas lá até o Magnho ficava triste com meus comentários ai eu sempre disse aqui, o esquema é violento demais

washington cordeiro
18/05/2017 10:16:47

BOM DIA! NUNCA EXISTIRÁ MOMENTO POLITICO FAVORÁVEL

washington cordeiro
18/05/2017 10:17:06

Mais dez anos na fila

luiz sergio
18/05/2017 15:51:18

Jogos continuam sendo realidade no Brasil, só falta regulamentar e os governantes usufruir desses valores. Não sei porque tanta tragédia para aceitar isso. As igrejas arrecadam fortunas, são isentas de recolhimento dos impostos e ninguém investiga essa coisa.

Para comentar essa postagem você deve estar logado!

Clique aqui para se logar ou se ainda não for cadastrado cadastre-se aqui.