A importância da manifestação dos funcionários dos bingos em Brasília.

Compartilhar

Vamos tentar justificar essa pergunta, pelo que vimos ontem na Capital Federal.
Os representantes da Abrabin e da Força Sindical foram recebidos no Congresso Nacional, pelo presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), pelos ministros da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e do Trabalho, Ricardo Berzoini e no Palácio do Planalto, subsecretário-geral da Presidência da República, César Alvarez, os representantes da atividade ouviram de todos os interlocutores, que a decisão do governo é de proibir os bingos.

Mas a verdadeira importância da manifestação de ontem, na verdade com 30 mil funcionários, foi para demonstrar ao poder público que a atividade tem um grande potencial econômico, que realmente emprega mais de 120 mil pessoas e que os empresários e empregados estão dispostos a brigar contra essa injustiça imposta pelo Governo Federal aos bingos. 

O Presidente Lula conheceu ontem, o tamanho do ônus da medida e também da conta que vai pagar pela edição da MP 168, que fechou os bingos no Brasil. Moradores de Brasília afirmaram para reportagem do BNL, que o protesto dos bingos foi a terceira em quantidade de pessoas, perdendo apenas para a do MST e das Diretas Já. 

Mobilização junto as bancadas

Enquanto uma parte dos dirigentes das associações de classe coordenava as manifestações dos funcionários, outro grupo podia ser visto nos corredores do Anexo IV da Câmara, visitando os deputados das bancadas dos seus Estados, principalmente para informar aos parlamentares a importância dos bingos.

Os parlamentares visitados entenderam claramente, que a edição da MP 168 serviu de pano de fundo para evitar a instalação de uma CPI para apurar o envolvimento do ministro mais importante do Governo do PT e com isso parar o país. Mas vários deputados se manifestaram em favor da atividade e se propuseram em ajudar no momento oportuno.

Vários parlamentares informaram, que o Governo só retomará as negociações com os representantes dos bingos, quando ele tiver certeza que não existe mais a possibilidade de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito por uma das duas casas do Congresso Nacional. 

Ficou entendido pelos dirigentes, que esse trabalho de mobilização junto às bancadas estaduais terá que ser sistemático e agressivo, pois a atividade vai depender do Congresso.

Um interlocutor

Com a inclusão do deputado Gilmar Machado (PT-MG), na comissão criada pelo PT  para analisar a medida provisória dos bingos, vem solucionar um problema dos dirigentes do bingo: um interlocutor junto ao Governo.  O deputado mineiro, nunca escondeu que defende a regulamentação do jogo. Machado será um dos quatro indicados para compor o grupo que analisará o texto a ser apreciado na Câmara.

Qual o objetivo do Governo em indicar um parlamentar que sempre se declarou favorável a regulamentação dos bingos e que ontem distribuiu uma carta na qual declara ser contra a medida provisória? Essa pergunta fica para reflexão do assinante.

Os prazos
Quanto tempo os bingos vão ficar fechados? Essa foi a pergunta que mais se ouviu ontem em Brasília e ninguém do mercado de bingos ou do poder público ousou reponde-la, pois essa questão depende de vários cenários. Mas um entendimento é unânime entre as partes, ninguém acredita que teremos solução política em menos de 30 dias, prazo inclusive que foi acordado entre a Abrabin e a Força Sindical para manutenção dos 120 mil empregos.
Atualmente, só vemos uma saída para uma solução rápida: Judiciário.
Reunião da Abrabin

A Associação Brasileira de Bingos realiza amanhã, sexta-feira (05.03), às 16h, no Bingo Itaim (Rua Joaquim Floriano, 643 – São Paulo), reunião de avaliação das manifestações  realizadas na semana passada e a estratégia para as próximas ações.

Na semana passada tinha ficado acordado que nenhum bingo associado a Abrabin, entraria com ação na Justiça contra  a MP 168, até que ficassem prontos os pareceres contratados junto a juristas renomados até que fosse produzida uma tese confiável e uma estratégia para o embate jurídico.

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
25 ⁄ 1 =