Apesar de protesto, MP dos Bingos será mantida.

Compartilhar

BRASÍLIA. Em mais um reflexo da crise aberta pelo escândalo que envolve Waldomiro Diniz, 20 mil funcionários de bingos fechados foram a Brasília protestar contra a medida provisória que proibiu o jogo. O governo, entretanto, não se comoveu com o apelo: respondeu que manterá a ordem para fechar os bingos e que trabalhará pela aprovação na íntegra da medida provisória no Congresso.
Mobilizados pela Força Sindical e pela Associação Brasileira dos Bingos (Abrabin), funcionários de casas de jogos chegaram a Brasília em ônibus fretados pelos donos dos estabelecimentos fechados. Com faixas e cartazes, eles atravessaram a Esplanada dos Ministérios gritando palavras de ordem contra a decisão do governo. "Emprego sim, desemprego não", repetiam.
Donos de casas de bingo distribuíram camisetas
Foi um protesto grandioso em comparação com as manifestações que costumam a ocupar a Esplanada dos Ministérios: centenas de faixas, pelo menos cinco carros de som e até camisas distribuídas aos manifestantes pelos donos de bingos. Após sair da Catedral de Brasília, eles tomaram o gramado em frente ao Congresso e entraram no espelho d’água.
Uma comissão encabeçada pelo presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, foi recebida pelo presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP). O petista garantiu que a medida provisória, que agora depende de aprovação dos parlamentares, somente será votada após amplo debate.
Em outra frente, o comando do protesto ainda mantinha esperanças de fazer o governo voltar atrás. Os manifestantes queriam que fosse baixada uma nova medida provisória, que permitisse pelo menos que os bingos continuassem operando até o Congresso decidir sobre o tema. Mas não conseguiram.
A comissão foi recebida à tarde pelos ministros da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, e do Trabalho, Ricardo Berzoini, que anunciaram que o governo manterá a medida. Os ministros disseram que o texto pode ser alterado, mas para endurecer ainda mais a proibição e evitar que empresários do jogo continuem recorrendo à Justiça.
Bastos diz que medida pôs fim à confusão no setor
Bastos afirmou que a decisão serviu para pôr fim à confusão legal que dava brechas para o funcionamento dos bingos.
— A ilegalidade existe há muito tempo. A balbúrdia legislativa e normativa termina agora.
Berzoini tentou amenizar. Disse que o governo está estudando formas de compensar os funcionários de bingos.
— Estamos estudando uma série de alternativas, que serão apresentadas ao presidente Lula na semana que vem — disse.
Paulinho saiu da reunião visivelmente contrariado.
— O governo está intransigente — reclamou.
Ele foi direto ao encontro da multidão. Nem subiu num carro de som. Do chão, foi chamando os manifestantes para seguir em direção ao Palácio do Planalto. “Vamos invadir, vamos invadir”, diziam os manifestantes
O avanço da multidão assustou a polícia, que reforçou o efetivo de 700 homens que desde cedo acompanhavam o protesto de perto. Os manifestantes seguiram para a Praça dos Três Poderes, em frente ao Palácio do Planalto, que foi isolado. Então, passaram a exigir que o comando do protesto fosse recebido por Lula, sem sucesso. No início da noite, a comissão foi chamada ao Planalto, inicialmente para se reunir com o secretário-geral da Presidência, Luiz Dulci. O grupo, porém, foi atendido pelo subsecretário, César Alvarez, que reafirmou a decisão do governo de proibir os bingos.
Os manifestantes decidiram dormir na Praça dos Três Poderes. Querem voltar a pressionar o governo hoje.
Defensor de jogos faz parte de comissão do PT.
BRASÍLIA. O PT incluiu na comissão criada pelo partido para analisar a medida provisória dos bingos um deputado que defende a regulamentação do jogo. Gilmar Machado (PT-MG) é um dos quatro indicados para compor o grupo que analisará o texto a ser apreciado na Câmara. Machado distribuiu ontem uma carta na qual declara ser contra a medida provisória.
O líder do PT, Arlindo Chinaglia (SP), disse que, mesmo tendo em seus quadros deputados favoráveis à regulamentação dos bingos, a bancada fechou questão ontem e vai apoiar a medida provisória. A posição atende à solicitação feita anteontem pelo ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, aos líderes do governo na Câmara.
Segundo Chinaglia, para corrigir eventuais brechas da medida provisória e torná-la ainda mais rigorosa, a bancada decidiu formar a comissão. Além de Gilmar Machado, integram o grupo Antonio Carlos Biscaia (RJ), um ferrenho opositor da legalização dos bingos, Luiz Bassuma (BA) e Iriny Lopes (ES).O Globo – Rodrigo Rangel
Paulinho pede, mas Bastos não mudará MP.
Depois de passeata de 20 mil em Brasília, sindicalista negocia saída para desempregados.
Estadão – DEMÉTRIO WEBER
BRASÍLIA – Liderados pela Força Sindical, cerca de 20 mil trabalhadores de bingos, segundo estimativa da Polícia Militar, protestaram ontem contra a medida provisória que determinou o fechamento das casas de jogos no País. Paulinho reuniu-se com os ministros Márcio Thomaz Bastos (Justiça) e Ricardo Berzoini (Trabalho), mas ouviu um sonoro não quanto às pretensões de mudança na MP. Ao final da reunião, no Ministério da Justiça, Paulinho disse que levaria a posição do governo aos trabalhadores reunidos em frente do Congresso.Revoltado, chamou os manifestantes para marcharem até o Palácio do Planalto.Bastos reafirmou a disposição do governo de manter a proibição dos bingos e lutar, no Congresso, pela aprovação da Medida Provisória 168. Segundo ele, o setor já vivia na ilegalidade desde fins de 2002, e a MP visa acabar com a "balbúrdia legislativa e normativa" que envolve os bingos.Berzoini fez o único aceno aos trabalhadores, dizendo que o governo estuda alternativas no seguro-desemprego para atender quem perdeu o emprego por causa da MP. Berzoini informou que pretende levar, até a semana que vem, alternativas ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele possa decidir o que o governo oferecerá a esses trabalhadores. A dúvida é quanto à possibilidade de atender esse segmento com o seguro-desemprego, que usa recursos do FAT e atende desempregados pelo período de três a cinco meses.Berzoini não soube dizer quantos trabalhadores foram afetados. Muitos, disse, eram contratados informalmente e grande parte das empresas funcionava com razão social diferente daquela relacionada a sua atividade, o que impede sua identificação no cadastro oficial. O ministro pediu às entidades representativas dos bingos a lista de associados para identificar as empresas e quantas pessoas empregavam. (Colaborou Mariângela Gallucci)

Maior ato a favor de bingos reúne 20 mil em Brasília.
Folha de São Paulo – ANA FLOR – DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
Cerca de 20 mil pessoas fizeram ontem em Brasília a maior manifestação favorável à reabertura dos bingos no Brasil. Uma comissão de representantes dos líderes do ato foi recebida pelos ministros Márcio Thomaz Bastos (Justiça) e Ricardo Berzoini (Trabalho), de quem ouviu que o governo manterá a proibição determinada por medida provisória.
Organizado pela Força Sindical, pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade e pelos empresários de jogos, o ato reuniu em sua maioria trabalhadores de casas de bingos, que reivindicam a manutenção de seus empregos. A estimativa de 20 mil pessoas foi feita pela Polícia Militar -os organizadores estimaram em 30 mil.
Os ônibus, pagos pelos bingos, começaram a chegar na madrugada. Algumas caravanas viajaram 40 horas. A concentração foi em frente à Catedral de Brasília.
Mônica Inês Marques de Souza, 25, estava fantasiada de palhaço. Com a carteira de trabalho na mão, a promotora de vendas de um bingo em Belo Horizonte queria cobrar do governo seu emprego. "É assim que me sinto: palhaça. Votei no Lula acreditando que minha vida ia melhorar. Piorou."
Às 11h, o grupo se dirigiu ao Congresso, que foi cercado por 700 policiais, e tomou o gramado. Alguns manifestantes entraram no espelho d’água em frente ao prédio com faixas de protesto que, em sua maioria, citavam o ministro José Dirceu (Casa Civil).
A comissão que se reuniu com Thomaz Bastos e Berzoini levou a proposta de uma medida provisória alternativa, com a reabertura dos estabelecimentos que pagam impostos e estão em dia com as contribuições previdenciárias, mas não houve negociação. "O ministro Thomaz Bastos foi intransigente. Disse que o governo não mudará de posição e irá trabalhar para transformar a MP em lei", afirmou o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, pré-candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PDT.
Ele saiu da reunião para uma assembléia com manifestantes. Dizendo que o governo "não sabia com quem lidava", declarou: "Vamos para o Planalto". A seguir, os manifestantes foram em direção ao palácio gritando "emprego, emprego". Foi uma correria de policiais, para cercar o Planalto.
Os manifestantes se instalaram na Praça dos Três Poderes. De um carro de som, a direção pedia uma audiência com o presidente. Não perceberam a bandeira em frente ao Palácio do Planalto, hasteada sempre que o presidente está presente, baixar. Lula deixava Brasília em direção a São Bernardo do Campo (SP), para o aniversário de 29 anos do filho Fábio Luiz.
Em uma assembléia à noite, parte dos manifestantes resolveu dormir em frente ao Planalto e esperar uma audiência com Lula hoje. A maior parte foi embora. Colaborou LUIS RENATO STRAUSS, da Sucursal de Brasília

Bancada do PT define apoio a MP contra jogo
No dia em que manifestantes pró-bingo ocuparam os gramados do Congresso, a bancada do PT na Câmara aprovou uma deliberação de apoio à medida provisória que proíbe essas casas.
A decisão unânime foi acompanhada da criação de uma comissão que analisará a possibilidade de alterar a MP. Apesar de a comissão ser composta por um dos petistas que mais defende a regulamentação dos bingos, Gilmar Machado (MG), a cúpula do PT na Câmara afirmou que mudanças só serão aprovadas se for para tornar a medida mais rígida.
"A bancada deliberou ser favorável à MP. A comissão avaliará só se há necessidade de aprimoramento", disse o deputado Arlindo Chinaglia (SP), líder da bancada.
A MP foi editada pelo governo como forma de responder ao escândalo Waldomiro Diniz, ex-assessor do ministro José Dirceu (Casa Civil) que foi flagrado em vídeo de 2002 pedindo doação de campanha e propina a um empresário de jogos.
Como é praxe no Congresso, a comissão mista (de deputados e senadores) que deveria ser instalada para analisar a MP não será criada. Com isso, o presidente da Câmara, João Paulo Cunha (PT-SP), indicou Roberto Magalhães (PTB-PE) para relatar a MP, que tem prazo de 45 dias para tramitar.
Magalhães já declarou ser contrário ao jogo e que não pretende abrir brechas para regulamentação ou estatização da atividade, mas disse que o governo pode decidir mudar de posição. (RB)

Bastos: Governo vai manter proibição, apesar de protestos.
O Dia 
O Governo vai manter a proibição dos bingos no País, apesar das manifestações de donos de estabelecimentos e empregados. Esse foi o recado dado pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, ao líder da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, ontem, quando 20 mil pessoas, segundo a Polícia Militar – 30 mil pelos organizadores – fizeram o maior protesto a favor da reabertura das casas de bingo, em Brasília.
“O Governo foi extremamente intransigente e vai manter os bingos fechados”, disse Paulinho na saída do encontro com Bastos, do qual participou também o ministro Ricardo Berzoini (Trabalho). Bastos defendeu a aprovação da Medida Provisória editada pelo presidente Lula. “A posição do Governo é de aprovar a MP e deixar que o Congresso faça uma grande discussão”, disse. O relator, deputado Roberto Magalhães (PTB-PE), avisou que não cederá às pressões dos empresários e trabalhadores do setor.
Após o encontro, manifestantes que ocupavam a frente do Congresso foram incentivados por Paulinho a irem para o Palácio do Planalto com o objetivo de serem recebidos por Lula. A segurança foi reforçada com um cordão de isolamento formado por policiais. “Proponho que a gente durma aqui se o Lula não receber a gente”, gritou Paulinho. Os manifestantes não perceberam baixar a bandeira em frente ao Palácio do Planalto, hasteada quando o presidente está presente. Lula deixava Brasília rumo a São Bernardo do Campo, para o aniversário do filho Fábio Luiz. À noite, um grupo foi recebido pelo ministro Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência). 

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solve : *
30 ⁄ 6 =