Home Blog Carlos Tavares: pesquisa do Senado aprova cassinos
< Voltar

Carlos Tavares: pesquisa do Senado aprova cassinos

22/02/2018

Compartilhe

Pesquisa realizada, em dezembro, pela Agência do Senado (internet), abrangendo vários Estados, demonstrou que 86% dos brasileiros são favoráveis à reabertura dos cassinos, com a legalização dos jogos de azar. A maior parte dos participantes, 86%, considerou que a situação orçamentária irá melhorar bastante com o aumento da arrecadação. Felizmente o povo compreendeu os nefastos resultados da infeliz proibição dos jogos, decretada há 72 anos, pelo general-presidente Dutra, aconselhado pela esposa, Dona Santinha. De fato, precisa o Brasil, urgentemente, deixar a incomoda companhia da Bolívia, Haiti, Cuba e países islâmicos – sem condições de manter hotéis-cassino – e juntar-se aos países desenvolvidos e demais emergentes, como os Estados Unidos, China, França, Itália, Japão, Alemanha, Rússia, Espanha, Argentina, Uruguai, Canadá, México e dezenas de outros, que aproveitam o jogo para atrair investimentos, desenvolver o turismo, criar empregos e aumentar a arrecadação de tributos. Portanto, são de interesse nacional os projetos de reabertura dos jogos do senador Benedito de Lira e do deputado César Halum. (Federação das Câmaras de Comércio Exterior)

BNLData

Avança no Congresso a proposta de reabertura dos cassinos. Além do projeto do senador Benedito de Lira, na Câmara o deputado César Halum protocolou a Frente Parlamentar para regulamentação dos jogos, com assinatura de 262 deputados. Paralelamente, foi criado o Instituto Brasileiro Jogo Legal, sob a presidência do jornalista Magno José Santos de Souza, que colocou na Internet o site BNLData, com informações atualizadas sobre o assunto. De fato, o Brasil precisa reabrir os cassinos para recuperar o trôpego turismo, que em 2016, apesar das Olimpíadas, recebeu apenas 6,6 milhões de visitantes estrangeiros, cinco vezes menos que a cidade chinesa de Macau, com seus 37 cassinos. O turismo modernizado vai aumentar a arrecadação, estimular o comércio e criar empregos. (Aduaneiras)