Home Blog Estudo do IGI-Las Vegas esclarece que não há diferença no impacto econômico entre IRs e cassinos
< Voltar

Estudo do IGI-Las Vegas esclarece que não há diferença no impacto econômico entre IRs e cassinos

12/09/2019

Compartilhe

Revelação foi apresentada pelo deputado Newton Cardoso Jr. durante Reunião da Comissão do Turismo

Durante a abertura da reunião da Comissão do Turismo nesta quarta-feira (11) o deputado Newton Cardoso Jr. detalhou e avaliou a visita técnica da missão oficial em Las Vegas na semana passada. O parlamentar também informou que, segundo estudo do International Gaming Institute (IGI), não existe grande diferença no impacto econômico entre os cassinos em resorts integrados (IRs) e pequenos cassinos regionais.

O deputado Newton Cardoso também cobrou uma reflexão sobre a necessidade de legalizar os jogos, como uma forma do Estado criar políticas públicas para proteger os cidadãos, já que hoje o governo é impedido devido a clandestinidade.

Herculano Passos defende cassinos-resorts

Durante a reunião, o deputado Herculano Passos (PDS-SP) comentou o modelo Las Vegas, Macau e Cingapura e aproveitou para defender a legalização dos cassinos em resorts integrados. O deputado comentou que estes empreendimentos poderão inibir as pessoas a deterioração da renda familiar. O parlamentar se equivocou ao dizer que os cingapurianos são proibidos de entrar nos cassinos de Cingapura. Na verdade, os moradores daquela cidade-estado têm que pagar uma taxa para entrar nos cassinos. O parlamentar também revelou que faz parte da Frente Parlamentar Brasil Cingapura.

O presidente da Comissão de Turismo informou sobre um estudo do International Gaming Institute, que não existe impacto econômico entre os cassinos em resorts integrados e pequenos cassinos regionais.

IRs x cassinos regionais

“Durante a reunião ao International Gaming Institute (IGI) tivemos acesso a um estudo comparativo feito pelo professor Bo Bernhard e Craig Ferreira dizendo que ao avaliarem o impacto econômico da atividade de cassinos integrados a resorts e a atividade de cassinos independentes, aqueles instalados em pequenas localidades, chegaram a conclusão que o estudo preparado pelo professor Douglas do Instituto, que trabalha com o professor Anthony Cabot, dizendo que no impacto econômico não há grande diferença entre cassinos integrados a resorts – até pela pulverização que acontece –, a instalação de pequenas unidades localizadas regionalmente. É um estudo que eles ofereceram para apresentar também aqui no Brasil como referência, o que eu entendo que é muito positivo para discussão”, comentou o deputado.

Debate sobre a legalização de todas as modalidades

O deputado Newton Cardoso Jr. também cobrou uma reflexão sobre a necessidade de legalizar os jogos, como uma forma de permitir ao Estado a criação de políticas públicas para proteger os cidadãos, já que hoje o governo é impedido devido a clandestinidade.

“Outro tema é que hoje nós já temos os jogos funcionando no Brasil através das loterias, através das apostas esportivas legalizadas nacionalmente, mas sabemos que na ilegalidade, na informalidade essa atividade vicia, causa problemas familiares e gera um impacto, infelizmente, negativo em diversas regiões do Brasil. Agora, o fato interessante é que nós não podemos aplicar recursos públicos para o combate ao vício exatamente porque a atividade é ilegal e não é reconhecida pelo Estado. Então é um dilema que nós vivemos. O governo através de suas pesquisas, de seus institutos, da sua informação reunida, sabe que há o vício de jogadores, que pessoa que são dependentes por conta da falta de uma orientação, que costuma comprometer família, costuma comprometer aquilo que eles não têm, causando outros problemas sociais, mas como hoje o Brasil pode aplicar um real que seja no combate a este vício? É impossível! Não pode! Não é legalizada a atividade! Outro motivo muito forte que nós entendemos que é necessária uma discussão ampliada e necessária com foco. Mais uma vez a Comissão de Turismo como protagonista, para que isto seja algo de fato aprovado, legalizado, que nós possamos tirar da obscuridade essa discussão no Brasil”, destacou Newton Cardoso Jr.

Deputado defende a legalização de todas as modalidades

Durante a reunião da Comissão do Turismo, o deputado Leur Lomanto Jr. (PSDB-BA) defendeu a legalização de todas as modalidades, inclusive o jogo do bicho e comentou que todos devem se esforçar para que a proposta seja pautada pelo Plenário da Câmara dos Deputados.

Na sequência comentaram a visita o deputado José Airton Félix Cirilo (PT-CE) e a a deputada Magda Moffato (PL-GO).

“O que também me chamou muito a atenção, além de tudo que foi dito, do que foi nos apresentado, principalmente dentro da Universidade de Las Vegas, mas também a orientação, mas também as orientações que recebemos dentro de um resort, onde eles mostram um outro lado além do ganho no jogo puro e simplesmente, ou como negócio produtivo, que traz emprego, traz renda, traz sustentação para uma família – principalmente no país como nosso que tem uma taxa de desemprego gigantesca – não só no jogo, como a responsabilidade que eles têm com relação aqueles que frequentam o cassino, como coma as famílias dos funcionários e uma assistência familiar. Isto também na Universidade onde fomos orientados que existe um engajamento muito grande de funcionários de baixo escalão dos cassinos, que captam os filhos destas famílias para trazerem para dentro das escolas e das universidades para serem formados em profissionais competentes para que eles também possam ficar engajados no mercado crescente, que acontece nos Estados Unidos”, comentou Magda Moffato.

Recomendo que os defensores da legalização assistam aos vídeos da reunião da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados no BNLData. Aqui o vídeo com a íntegra da Reunião da Comissão de Turismo.