MagocomSábado, 27 de Maio de 2017 Assine o BNLCadastre-se
Blog do editor









Busca

Blog do editor < Voltar

Blog do editor

Magnho José

 

Dia do Empresário Lotérico: nossas homenagens... 26/05/2017 11:34:08

Nesta sexta-feira, dia 26 de maio, os empresários lotéricos celebraram a passagem de mais um dia comemorativo da categoria. Cremos que a manifestação de força política manifestada nesta semana, em Brasília, durante a audiência pública realizada na Câmara dos Deputados é um motivo de comemoração.  

Quem sabe a aprovação do PL 7306/2017 pelo Congress Nacional seja o começo do fim do cenário de insegurança, desequilíbrio econômico-financeiro, sistema instável e precário, descaso e relacionamento difícil com o órgão permitente.  

Para estes empresários, que diariamente lutam, literalmente, pelo seu negócio e pelas próprias vidas, o BNL parabeniza e deseja sorte!

***

Em Lotérica: FEBRALOT: 'Dia do Lotérico está marcado pela força e a união da Categoria'

[0] Comentários

Ainda sobre o endividamento da rede lotérica 26/05/2017 11:32:18

Nesta quinta-feira (25) comentamos que a dívida dos lotéricos com a Caixa Econômica Federal atualmente é de cerca de R$ 600 milhões, conforme revelou o professor da Fundação Getúlio Vargas, Luiz Carlos Stolf durante a audiência pública das comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (CDEICS) e de Legislação Participativa (CLP) e que se considerarmos que a rede é formada por 13.500 lotéricas, significa que cada empresário tem uma dívida de cerca de R$ 44 mil com a Caixa.

À Coluna, o empresário lotérico Edecir Torres Rodrigues acrescentou um dado cruel para mostrar como é a relação da Caixa Econômica Federal com os lotéricos.

“Isso na média. Mas tem os casos que a lotérica foi arrombada e levaram R$ 130 mil e o seguro só cobre R$ 15.000,00. Somos obrigados a financiar a juros 3,5% em 10 anos para pagar o restante e ficamos cinco dias de sinal cortado. Como pagar R$ 161 mil com esta remuneração precária. Fadado a fechar as portas, pois somos vítimas de uma bola de neve”, comentou.

[0] Comentários

Já está na CCJ o projeto que reconhece o pôquer como esporte 26/05/2017 11:31:29

Deputada Mariana Carvalho: dependendo da forma como são praticados, os esportes da mente podem se enquadrar nas diferentes modalidades definidas pela Lei Pelé

Depois de aprovado no dia 27 de abril, na Comissão do Esporte da Câmara dos Deputados, o Projeto de Lei 5840/16, que reconhece os jogos de pôquer, xadrez e damas como esportes a serem inseridos no Calendário Esportivo Nacional do Ministério dos Esportes, a proposta foi recebida no dia 3 de maio pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania - CCJ.

A proposta, dos deputados Marco Antônio Cabral (PMDB-RJ) e Mariana Carvalho (PSDB-RO), contempla os chamados “jogos mentais”. O texto também prevê o reconhecimento do go (jogo de tabuleiro chinês) e bridge (conhecido como “xadrez de cartas”) como atividades esportivas. A versão aprovada é o substitutivo da relatora, deputada Flávia Morais (PDT-GO), que optou por alterar artigo da Lei Pelé Lei 9.615/98, que define as modalidades esportivas, para incluir os jogos mentais.

Esportes da mente

“Dependendo da forma como são praticados, os esportes da mente podem se enquadrar nas diferentes modalidades definidas pela lei”, afirmou a deputada. “Se eles forem praticados nos sistemas de ensino para o exercício da cidadania e a prática do lazer, serão considerados como desporto educacional”, completou.

Pelo texto, caberá ao Executivo definir quais as modalidades de jogos serão classificadas como “jogos mentais”, o que abre a possibilidade para outras opções, além das previstas no projeto original.

“A sociedade e suas práticas são dinâmicas, surgindo sempre novas formas de interação esportiva, as quais não podem estar engessadas por lei, podendo ser incorporadas de forma mais eficiente por regulamento”, justificou a parlamentar.

[0] Comentários

Nego do Borel ‘canta’ a Quina de São João das Loterias CAIXA 26/05/2017 11:27:45

Nego do Borel é a estrela do filme das Loterias Caixa que convoca a galera para fazer um bolão da Quina de São João

Nego do Borel é a estrela do filme das Loterias Caixa que convoca a galera para fazer um bolão da Quina de São João. “É bom demais ganhar! Prêmio estimado em R$ 130 milhões. E não acumula”.
Com direção de Rafael Damy e produção da Madre Mia Filmes, o filme será veiculado na internet ainda hoje.
“Com uma pegada moderna, interferências gráficas e um trabalho de pós intenso, o resultado foi uma peça audiovisual repleta de referências brasileiras”, conta Telma, diretora executiva da Madre Mia Filmes. Clique
aqui e assista ao vídeo da propaganda. (Portal Propaganda

[0] Comentários

Apostador descobre bilhete com prêmio de 1 milhão num vaso de plantas 26/05/2017 11:25:48

Rachel Henderson, Jo Fawcett, Emma Oxendale, Becky Caird (segurando o pote de plantas em que o bilhete vencedor foi encontrado), Samantha Percival e Steve Raw comemoraram o prêmio. O grupo também incluiu a proprietária do pub, Joan Fawcett, suas duas filhas Rachel e Rebecca, sua amiga e Barmaid Emma Oxendale e Samantha Percival
Um grupo de sete amigos de uma cidade do nordeste de Inglaterra ganhou um milhão de libras (1.16 milhões de euros) com um bilhete do euromilhões. Os felizes apostadores estabeleceram um grupo para jogar no pub do Queens Hotel, em  Saltburn-by-the Sea, mas o que torna a história diferente é a forma como chegaram ao prêmio. O prêmio era do sorteio EuroMillions Mega Week realizado no dia 28 de abril de 2017.
Acontece que o membro do grupo que guardou o bilhete premiado não fazia ideia de que o prêmio estava na sua posse. Nem ele nem os seus companheiros de apostas. O apostador, cuja identidade não foi revelada, encontrou, por acaso, o bilhete premiado num vaso de uma planta que tem na cozinha. Curioso, decidiu levar o bilhete a um agente local, para descobrir que o papel perdido valia 1 milhão de libras.
Acabou assim da melhor forma o apelo feito pelo operador do jogo, na noite da terça-feira, dia 16, em que se pedia que os apostadores premiados reclamassem o bilhete. Sabia-se que tinha saído na cidade, mas tardava a aparecer o vencedor. Afinal, são sete e cada um vai receber cerca de 165 mil euros.
Foi o próprio Euromilhões da Inglaterra que deu a notícia: "Um grupo de apostadores e amigos de longa data estão celebrando terem ganhado 1,093,805 libras do prêmio do euromilhões no Reino Unido, sorteado a 28 de abril de 2017. O prêmio especial da 'Mega Semana' tinha permanecido por reclamar até um dos membros do grupo descobriu o bilhete na sua planta da sorte e levou-o a um agente para verificar se tinha prêmio". (Correio da Manhã - José Carlos Marques - Lisboa - Portugal)

[0] Comentários

Riscos de um julgamento político no STF 25/05/2017 10:50:30

O julgamento do Recurso Extraordinário com repercussão geral pelo Supremo Tribunal Federal não prejudica a tramitação no Congresso Nacional dos projetos de lei (PLS 186/2014 e PL 442/91) que legalizam os jogos no país

Vários assinantes questionaram nesta quarta-feira (24) o resultado, impacto e efeitos com o julgamento do Recurso Extraordinário (RE) 966177 pelo Supremo Tribunal Federal - STF.

Infelizmente, não temos a mínima indicação de como será o voto do relator e como os ministros votarão neste recurso, mas cabe registrar que o ambiente político e de um estado policial implantado pelo Ministério Público no Brasil não é um dos melhores para este julgamento. A decisão pode ser política e não técnica.

Ação de inconstitucionalidade das loterias

Em agosto de 2004, observamos caso semelhante, quando por dez votos a um (voto do ministro Marco Aurélio Mello), o STF julgou procedente a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 2847) ajuizada pelo Ministério Público Federal contra quatro leis do Distrito Federal que versavam sobre Loteria Social. Assim, por maioria, o Plenário declarou a inconstitucionalidade das Leis distritais. Esse julgamento é o ‘leading case’, ou a orientação jurisprudencial que norteou os julgamentos sobre o assunto.

Naquela época estávamos no meio do escândalo de corrupção envolvendo o ex-subchefe de assuntos parlamentares da Secretaria de Coordenação Política da Presidência da República, Waldomiro Diniz, com operadores de jogos e denúncias de facilitação na renovação do contrato da Caixa Econômica Federal e o tema de loteria e bingos no Brasil passou a ser uma questão “politicamente delicada”.

Caso os ministros optem pela descriminalização

Caso os ministros entendam que é correto o entendimento do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) de que a exploração dos jogos de azar não constitui ilícito penal em razão da Constituição de 1988 não ter recepcionado artigo 50 da Lei das Contravenções Penais (LCP), que tipifica a conduta como criminosa, haveria pelo menos três opções jurídicas.

01. Uma delas seria o Executivo editar um Decreto Regulamentador definindo as regras de exploração dos jogos de azar. 

02. O executivo também poderá proibir a operação do jogo através da edição de uma Medida Provisória proibindo o jogo.

03. ‘Mandado de Injunção’, previsto no artigo 5º, inciso LXXI da Constituição do Brasil de 1988, é um dos remédios-garantias constitucionais, sendo, segundo o Supremo Tribunal Federal (STF), uma ação constitucional usada em um caso concreto, individualmente ou coletivamente, com a finalidade de o Poder Judiciário dar ciência ao Poder Legislativo sobre a ausência de norma regulamentadora, o que torna inviável o exercício dos direitos e garantias constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade, soberania e cidadania.   
    

Sem nenhum prejuízo ao PL 442/91 e PLS 186/14

O julgamento do Recurso Extraordinário com repercussão geral pelo Supremo Tribunal Federal não prejudica a tramitação no Congresso Nacional dos projetos de lei (PLS 186/2014 e PL 442/91) que legalizam os jogos no país.

[20] Comentários

Caixa terá que indenizar empresário de Porto Alegre por expor situação financeira da lotérica 25/05/2017 10:49:48

Em apelação, o desembargador relator Ricardo Teixeira do Valle Pereira reformou a sentença, por entender que ficou caracterizada a situação vexatória, causando constrangimento à parte autora

Expor a situação financeira de uma empresa perante seus concorrentes causa danos morais e o dever de indenizá-la. Assim, a 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região determinou o pagamento de R$ 15 mil por danos morais a uma agência lotérica de Porto Alegre cobrada de forma vexatória pela Caixa Econômica Federal.

Segundo os autos, insatisfeita com a ‘‘performance comercial’’ de algumas lotéricas, a Caixa enviou e-mail fazendo cobranças. Na mensagem, acabou expondo a real situação financeira da autora, que se encontrava inadimplente. Constrangida pela exposição pública de suas finanças e a quebra de seu sigilo financeiro, a autora pediu reparação moral no valor de R$ 80 mil.

Negada em primeira Instância

No primeiro grau, a 5ª Vara Federal de Porto Alegre negou o pedido, sob o argumento de que as cobranças não foram excessivas e estavam de acordo com a boa-fé objetiva, princípio do Direito Privado que estabelece um padrão ético de conduta para as partes nas relações obrigacionais. Para o juiz federal Gabriel Menna Barreto von Gehlen, a comunicação coletiva pode ser vista como uma tentativa de solução conjunta, pois, se a situação de inadimplência das três lotéricas não fossem resolvidas, a CEF poderia tomar medidas mais duras.

O julgador admitiu que não é adequado, de fato, expor a situação financeira a terceiros, mas os casos eram semelhantes. ‘‘A rigor, o trato conjunto da questão até de certo modo minimiza a situação de ilicitude individual, porque revela que se trata de problema, antes que único, enfrentado por outros indivíduos em igual situação. Nessa linha, antes de dano moral, por uma suposta exposição vexatória do devedor, há exposição de um problema comum a três lotéricos com um chamado à responsabilidade e alerta para medidas’’, escreveu na sentença.

TRF-4 reforma decisão

Em apelação, o desembargador relator Ricardo Teixeira do Valle Pereira reformou a sentença, por entender que ficou caracterizada a situação vexatória, causando constrangimento à parte autora. ‘‘Demonstrada a existência de dano moral, diante da exposição indevida da situação financeira da lotérica a terceiros, a indenização deve representar uma compensação ao lesado, diante da impossibilidade de recomposição exata da situação na qual se encontrava anteriormente, alcançando-lhe ao menos uma forma de ver diminuídas suas aflições’’, escreveu no acórdão, arbitrando a reparação em R$ 15 mil. A decisão da 3ª Turma foi lavrada na sessão de 9 de maio. Clique aqui para ler a sentença e aqui para ler o acórdão. (Com revista Consultor Jurídico - Jomar Martins)

[0] Comentários

Estudo da FGV apresenta alto endividamento da rede lotérica 25/05/2017 10:49:19

Luiz Carlos Stolf

Durante a audiência pública realizada na última terça-feira pelas comissões de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços (CDEICS) e de Legislação Participativa (CLP) o professor da Fundação Getúlio Vargas, Luiz Carlos Stolf, autor de um estudo econômico sobre a rede lotérica afirmou que um dos sinais de que a atividade lotérica não está sendo corretamente remunerada é a dívida de R$ 600 milhões que esses empresários têm com a própria Caixa Econômica Federal.

Fazendo contas: divida média de R$ 44 mil por UL

Se considerarmos que a rede é formada por 13.500 lotéricas, significa que cada empresário tem uma dívida de cerca de R$ 44 mil com a Caixa.

[0] Comentários

“Caixa não divulga o lado vermelho de seu balanço” 25/05/2017 10:47:51

O ex-presidente do Sindicato dos Lotéricos de Minas Gerais e empresário lotérico, Marcelo Gomes de Araújo esteve juntamente com o atual presidente do SINCOEMG, Paulo César da Silva na audiência pública da CDEICS e CLP da Câmara dos Deputados

O ex-presidente do Sindicato dos Lotéricos de Minas Gerais e empresário lotérico, Marcelo Gomes de Araújo esteve presente na audiência pública da CDEICS e CLP. O empresário manifestou junto ao BNL a sua indignação como a forma que a Caixa se relaciona com a rede lotérica e que a lucratividade do banco está sendo obtido às custas da rede lotérica. Confira:

“A Diretoria da Caixa divulgou nesta quarta-feira (24) o balanço da instituição relativo ao primeiro trimestre de 2017: lucro líquido de R$ 1,5 bilhão. Crescimento mais de 80% maior do que o lucro do primeiro trimestre de 2016.

A notícia destaca ainda que, dentre outros fatores, tal lucro foi gerado pelo ‘‘avanço nas receitas com prestação de serviços’’.

Traduzindo: às custas do sacrifício da rede lotérica.

Enquanto ela se gaba dos seus lucros, os lotéricos penam para sobreviver.

Por que ela não divulga o nosso lado? Quantos lotéricos não quebraram no mesmo período?

E aqueles que estão operando no vermelho?

Um pouco de transparência seria bem-vindo. A Caixa deveria divulgar para o público o desempenho das casas lotéricas.

Quantos procedimentos são feitos na rede por mês? E os benefícios que são pagos?

Entretanto, de acordo com a notícia do site, os lotéricos foram mais uma vez ignorados.

Aliás, nenhum Diretor da Caixa compareceu ao evento de Brasília, no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados.

É bizarro. Nós não merecemos nem um ‘‘muito obrigado’’.

É de se espantar, mas todos os Presidentes, Vices, diretores e Gerentes de Agências ganham participação na lucratividade apresentada. Todos são incapazes e pouco se importam com a falência e morte de muitos lotéricos!

O nome perverso seria muito pouco para denominar essa situação além de ser egoísta e ultrajante, será esta parceria eternamente injusta?”, comentou o empresário.

[0] Comentários

Representante do Caesar Entertainment em visita ao Brasil 25/05/2017 10:47:15

Jan Jones é Vice-Presidente Executivo de Relações Governamentais e Responsabilidade Corporativa da Caesars Entertainment

Pelo terceiro ano consecutivo, a vice-presidente de Relações Governamentais do Grupo Caesar Entertainment e ex-prefeita de Las Vegas, Jan Jones está no Brasil para conhecer destinos turísticos, fazer network, prospectar negócios e sugerindo contribuições para a legalização dos jogos no Brasil.

Na última terça-feira (23), o restaurante Amado, em Salvador, recebeu para um almoço ex-prefeita, pretende investir na cidade. Jam está em Salvador sob os cuidados de Mary Morrison Alberd.

Jan Jones é Vice-Presidente Executivo de Relações Governamentais e Responsabilidade Corporativa da Caesars Entertainment. Jan e suas equipes são responsáveis por desenvolver as primeiras práticas de Jogo Responsável da indústria e estão criando um ambiente de trabalho diverso e inclusive como promover a administração ambiental defendendo questões sociais importantes e dando milhões de dólares para indivíduos, famílias e comunidades em necessidade.

Entre os dias 25 e 27 de junho, Jan Jones estará de volta para participar do BgC IV – Brazilian Gaming Congress, que será realizado no Hotel Tivoli Mofarrej, em São Paulo.

[0] Comentários

Zitro recebe o prêmio ‘Estrela de Ouro de Excelência Profissional’ 25/05/2017 10:46:37

Ignacio de Jacob y Gómez, presidente del IEP e Antonio Gabriel Pérez Mateu, vice-presidente del IEP entregam o prêmio ‘Estrela de Ouro de Excelência Profissional’ para Manuela Jiménez e Sebastián Salat da Zitro

A vice-presidente da Zitro, Manuela Jiménez e CEO da empresa Sebastián Salat, receberam na última sexta-feira (19), no Hotel Westin Palace, em Madri, o prêmio ‘Estrela de Ouro de Excelência Profissional’ (Estrella de Oro a la Excelencia Profesional) concedido pelo Instituto para la Excelencia Profesional da Espanha.

Na cerimônia de entrega dos prêmios, Ignacio de Jacob y Gomez, presidente-fundador do Instituto de Excelência Profissional, que definiu a instituição que representa como “uma marca de garantia e qualidade, que reconhece os esforços e o compromisso com a excelência das melhores empresas e profissionais”. Algumas das empresas premiadas em edições passadas com a Estrella de Oro a la Excelencia Profesional foram TVE, Air Europa, Orange ou La Sirena e profissionais reconhecidos, como o jornalista Luis del Olmo ou personalidades do mundo dos esportes como Vicente del Bosque e Emilio Butragueño.

“Estamos muito satisfeitos por ver como o prestígio de Zitro transcende o âmbito da indústria de jogo. Nos sentimos orgulhosos e muito felizes de uma instituição privada que recompensa o compromisso com a excelência foi reparado no trabalho que temos feito na Zitro. Isso nos estimula a continuar construindo uma empresa cada vez mais forte para o benefício de todos os nossos clientes. Quero agradecer em especial a todas as pessoas que integram a equipe formidável da Zitro, sua paixão, empenho e dedicação, que novamente foram reconhecidas com este importante prêmio”, comentou Manuela Jiménez, vice-presidente de Zitro.

Zitro apresenta suas vídeo-slots Bryke em Macau

A Zitro apresentou um saldo positivo da sua recente participação na G2E Ásia, quando apresentou sua coleção de produtos destinadas para esta parte do mundo e composta de sua novidade de vídeo-bingo e pela primeira vez, para sua vídeo-Slots Bryke.

Foram apresentados os novos jogos da coleção de vídeo-bingos Big Time, bem como os seus sistemas promocionais, que sob o mesmo nome, tem sido bem recebido pelos operadores asiáticos que apreciaram seus conteúdos divertidos e atraentes para o jogador, mas também pela sua flexibilidade para agendar eventos e levar público as salas em datas e horários que se necessite de atração comercial adicional.

Além disso, os vídeo Rodillos Bryke e seus multijogos Pick & Win foi a grande novidade da Zitro em Macau, criando grandes expectativas entre os operadores. A Zitro Macau está dando os primeiros passos para essa nova linha de produtos, que está presente em grandes estabelecimentos de jogos no mercado asiático.

[0] Comentários

Julgamento do RE 966177 dos jogos de azar no STF será no dia 1º de junho 24/05/2017 13:04:24

A presidente da Corte Suprema, ministra Carmen Lúcia está priorizando os recursos extraordinários com repercussão geral

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Carmen Lúcia agendou nesta terça-feira (23) para o próximo dia 1º de junho o julgamento do recurso extraordinário (966177-RE), apresentado pelo ministro do Luiz Fux para julgamento do Pleno do Supremo Tribunal Federal.

O recurso extraordinário (966177-RE), que já foi processado e já teve sua admissibilidade pelo reconhecimento da existência de Repercussão Geral, é patrocinado pelo procurador-Geral de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul contra o Acórdão do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, que afastou a tipicidade do jogo de azar lastreado em preceitos constitucionais relativos à livre iniciativa e às liberdades fundamentais.

Os jogos poderão ser descriminalizados pelo STF, caso a Corte entenda pela atipicidade da conduta prevista no artigo 50 da Lei das Contravenções Penais, alicerçados em fundamentos constitucionais (artigos 1º, IV, 5º, XLI, e 170 da Carta Magna), que a prática do jogo de azar não é mais considerada contravenção penal.

A Repercussão Geral é um instrumento processual constitucional que permite ao STF selecionar os recursos extraordinários que irá analisar, de acordo com critérios de relevância jurídica, política, social ou econômica, com objetivo de diminuir o número de processos encaminhados à Suprema Corte e a aplicação posterior da decisão pelas instâncias inferiores, em casos idênticos.

[6] Comentários

Politicamente a audiência pública foi positiva, mas Caixa não vai apoiar o PL 7306/17 24/05/2017 13:03:41

Jodismar Amaro apresentou um sombrio panorama sobre como a rede lotérica opera nos dias de hoje

Novamente, a FEBRALOT, sindicatos estaduais e lotéricos demonstraram força política ao mobilizarem milhares de empresários, simpatizantes e dezenas de parlamentares para participarem da audiência pública nas comissões CDEICS e CLP, realizada na manhã desta terça-feira (23), no Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados.  

Sugerida pelo deputado Goulart (PSD-SP) e primeiro orador da audiência, o parlamentar defendeu mudanças no sistema de remuneração dos valores mínimos pelo serviço bancário prestado na rede lotérica, que a Caixa se responsabilize pelo transporte de valores e viabilidade ao funcionamento das lotéricas através de pesquisa econômica para definir a abertura de novas unidades no país.

Na sequência, o presidente da Federação Nacional dos Lotéricos - FEBRALOT, Jodismar Amaro apresentou um sombrio panorama sobre como a rede lotérica opera nos dias de hoje. Segundo o dirigente, anteriormente eram necessárias 2.300 autenticações de boletos para o pagamento do salário de um atendente, atualmente são necessárias 4.617 autenticações.

O professor da Fundação Getúlio Vargas, Luiz Carlos Stolf, autor de um estudo econômico sobre a rede lotérica traduziu em números o sentimento do dirigente da FEBRALOT. Segundo o economista, a rede hoje praticamente depende dos grandes prêmios acumulado da Mega-Sena para melhorar sua arrecadação em alguns períodos do ano.  

Posição contrária da Caixa

A participação da superintendente Nacional de Canais e Distribuição da Caixa Econômica Federal, Tatiana Gobbi na audiência pública mostrou que o banco não está disposto a apoiar a aprovação do PL 7306/17 e que vai buscar parceiros no mercado para ajudar nesta missão como o Banco Central, a Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN) e as grandes empresas.

“A Caixa não é contraria a legislação lotérica, mas será necessário avaliar os impactos deste projeto no mercado dos bancos e dos correspondestes bancários. Para isto teremos que compartilhar um contexto de mercado para definir os impactos da aprovação deste projeto”, comentou Tatiana Gobbi.

A dirigente citou inclusive a reunião realizada no início do mês na sede da Caixa Econômica Federal entre com o secretário de Governo da Presidência da República, Antonio Imbassahy onde estiveram presentes a FEBRALOT e vários deputados da Frente Parlamentar.

“O presidente Occhi não é contra, mas nos termos que o projeto está colocado vai impactar 1,9 bilhões de transações, sendo que 80% destes valores são de até R$ 170,00. Existe uma dinâmica de preços nessas transações e temos que alertar sobre as negociações. Estamos apenas compartilhando para reflexão dos reflexos que vão gerar na rede lotérica com a aprovação deste projeto de lei. Além disso, teremos que envolver outros atores como o Banco Central, Febraban e grandes empresas”, comentou Tatiana Gobbi.  

A dirigente aproveitou para divulgar algumas medidas que serão adotadas pela Caixa nos próximos 60 dias, como alteração do limite de recebimento de boletos de R$ 700,00 para R$ 1.000,00, reajuste do adicional de segurança para carro-forte, nova linha de credito da Caixa para o empresário lotérico com juros subsidiados, remuneração sobre o pagamento das contas inativas do FGTS nas lotéricas, equiparação do pagamento dos boletos Caixa com outros bancos e que a Caixa está revisando as tarifas para equiparar com os preços dos outros bancos.

Representante do Governo

O subchefe de Assuntos Federativos da Secretaria de Governo da Presidência da República, Paulo Câmara destacou a importância das lotéricas para o governo e para o país e disse que a “rede lotérica é a mais importante parceria público-privada do país”.  O representante do Governo também fez menção a reunião entre a Caixa e os lotéricos com a participação do secretário de Governo da Presidência da República, Antonio Imbassahy.  

Segundo o executivo, naquela oportunidade foram discutidos a questão de novos jogos, pois “há nove anos a Caixa não lança uma nova modalidade”, venda de loterias pela internet, transporte de valores e os problemas e defasagem tarifário nas comissões pelos serviços prestados pela rede lotérica.

“Acreditamos na necessidade de encontrar o bom entendimento entre os empresários e a Caixa. Dentro da medida do possível, a Caixa terá que de manifestar sobre o que pode ser atendido”, sugeriu Câmara.

Debate parlamentar

Vários deputados alternaram na tribuna para manifestar apoio aos empresários lotéricos. O deputado Herculano Passos (PSD-SP), que tem um irmão empresário lotérico na cidade de Itu, em São Paulo comentou que acompanha o sofrimento e o problema dentro da sua família e comentou: “Quem são os mais ricos, os bancos? E quem ficou mais pobre foram os lotéricos!. A Caixa tirou tudo que era ruim das agências bancárias e colocou tudo nas lotéricas”.

O deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) sugeriu a criação do banco dos lotéricos através da criação de cooperativas financeiras.

Comento: pintar para guerra

O comportamento e o discurso da representante da Caixa Econômica Federal indeica que a rede lotérica terá que se pintar para guerra. Novamente!

[0] Comentários

Lucro da Caixa cresce 81,8% e resultado operacional alcança R$ 1,9 bilhão, alta de 420% em 12 meses 24/05/2017 13:02:53

A superintendente Nacional de Canais e Distribuição da Caixa Econômica Federal, Tatiana Gobbi mostrou que o banco não está disposto a apoiar a aprovação do PL 7306/17

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta quarta-feira (24) que registrou lucro líquido de R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2017, com crescimento de 81,8% em relação ao mesmo período do ano passado. O resultado recorrente, que desconsidera os efeitos extraordinários, totalizou R$ 1,7 bilhão, 49,6% maior que o verificado no primeiro trimestre de 2016. O resultado operacional alcançou R$ 1,9 bilhão no trimestre, avanço de 420,0% em 12 meses.

O aumento do lucro líquido foi gerado pelo crescimento das receitas com operações de crédito, diminuição nas despesas com captação de recursos, avanço nas receitas com prestação de serviços e controle das despesas com pessoal, administrativas e operacionais. As outras despesas administrativas diminuíram 1,8% em comparação ao primeiro trimestre de 2016, reflexo de ações focadas na melhoria da eficiência operacional implementadas pela Caixa.

Caixa possui 59 mil pontos de atendimento e 86,2 milhões de clientes

O texto em que divulga o balanço do primeiro trimestre de 2017, cita que ao final de março, a Caixa possuía 86,2 milhões de correntistas e poupadores, evolução de 3,2% em 12 meses, dos quais 83,8 milhões de pessoas físicas e 2,4 milhões de pessoas jurídicas.

A rede de atendimento da CAIXA possui 59,4 mil pontos de atendimento. São 4,2 mil agências e postos de atendimento, 24,0 mil correspondentes CAIXA Aqui e lotéricos, e 31,1 mil máquinas distribuídas nos postos e salas de autoatendimento.

Comento: tapa na cara dos lotéricos

Não existe nenhum problema no fato da Caixa ter registrado um lucro líquido de R$ 1,5 bilhão no primeiro trimestre de 2017, pelo contrário. É louvável, pois demonstra que os profissionais estão trabalhando com muita competência na geração do banco público.

Mas depois da postura levemente ‘contrária e reflexiva’ a aprovação do PL 7306/17 manifestada pela superintendente Nacional de Canais e Distribuição da Caixa Econômica Federal, Tatiana Gobbi na audiência pública desta terça-feira, a divulgação da performance lucrativa da Caixa soa como um tapa na cara dos lotéricos.     

Á Coluna, um empresário lotérico que estava no auditório Nereu Ramos participando da audiência pública, comentou indignado sobre os comentários da dirigente da Caixa.  

“Essa funcionária da Caixa que disse durante a audiência pública se o projeto de lei for aprovado pode ser um tiro no pé dos empresários, pois as empresas podem não querer utilizar mais a rede lotérica em virtude do aumento das tarifas proposto, mente e tenta chantagear a rede com essa afirmação. Eles não precisam cobrar maiores tarifas das concessionárias é só dividir melhor o que já recebem, dando uma fatia ao empresário lotérico”.

Comento: parece que a Caixa não opera loteria

Sempre comento neste espaço que o serviço de loterias não é prioridade para Caixa Econômica Federal. No texto do balanço divulgado pelo site não tem uma referência as Loterias Caixa. Quanto arrecadou, quanto gerou de lucro para a entidade e para o governo, até mesmo os valores destinados aos beneficiários legais, provenientes da arrecadação com a venda dos produtos lotéricos.

A cada dia me convenço mais que estamos certos.

[0] Comentários

Empresa seleciona promotores para ação da Loteria Mineira em Muriaé 24/05/2017 13:02:18

A Crescere Inteligência Promocional, com sede em Belo Horizonte, abriu seleção para promotores temporários para uma ação divulgando os jogos virtuais da Loteria Mineira em Muriaé. Inicialmente destinada apenas para mulheres, as vagas foram abertas também para homens.

Na cidade, a ação será realizada em dois bares, durante cinco dias e com seis horas de serviço por dia. A remuneração total é de R$ 300. É preciso ter idade mínima de 18 anos. Não é preciso ter experiência na área. O treinamento será totalmente online. Mais informações: (31) 99697-9989. (Fonte: Guia Muriaé)

[0] Comentários

Audiência Pública na Câmara dos Deputados debate repasses da Caixa às casas lotéricas 23/05/2017 10:49:48

Mais de 2 mil lotéricos confirmados em Brasília para acompanhar a audiência pública

A Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços realizam audiência pública na manhã desta terça-feira (23), no Plenário Nereu Ramos para debater a situação dos permissionários lotéricos do Brasil. O debate foi proposto pelo deputado Goulart (PSD-SP). O deputado explica que os lotéricos vêm enfrentando sucessivas dissonâncias com a Caixa Econômica Federal.

A estimativa da Federação Brasileira das empresas Lotéricas de receber cerca de 3 mil lotéricos para a audiência pública que discutirá os rumos do PL 7306/2017 está muito próxima de se concretizar. Já são 2 mil confirmados e muitos ainda faltam confirmar com seus sindicatos estaduais. Centenas de empresários já estão no setor hoteleiro de Brasília, se deslocando para a Câmara dos Deputados para participando encontro no auditório Nereu Ramos.

“As casas lotéricas reivindicam que os bancos realizem repasse maior, referente a operações realizadas, em razão de que há quase três anos não recebem nenhum tipo de reajuste, o que inviabiliza o negócio, haja vista o contínuo aumento dos custos”, explica o deputado Goulart.

Convidados para audiência

Para participar dos debates foram convidados o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Magalhães Occhi; o presidente da Federação Nacional dos Lotéricos, Jodismar Amaro; e o professor da Fundação Getúlio Vargas e especialista em questões Tarifárias, Luiz Carlos Stolf.

Visitas a parlamentares

Na véspera da audiência, parlamentares foram visitados em seus gabinetes pelas lideranças lotéricas de cada Estado no intuito de fortalecer e reforçar o convite para o apoio.

Vale destacar que a Rede Lotérica passa por uma de suas piores crises na história com valores tarifários muito defasados ao logo dos anos e essa perda deixou o setor em processo falimentar. Centenas de casas lotéricas fecham a cada ano em função desta situação e na maior parte dos casos, o investimento do empresário para abrir sua loja não retorna.

A FEBRALOT destacou que embora tenham conseguido as assinaturas para que o projeto de lei entre em regime de ‘urgência’ o resultado virá através da força da categoria que estará presente ao evento.

Como o auditório deverá estar lotado, a FEBRALOT distribuiu faixas por Estados, preparou kits de alimentação e organizou os sindicatos estaduais para oferecerem a melhor estrutura possível para todos os empresários do setor que participarão do evento.

A CAIXA deverá estar representada pelos seus executivos e vai conhecer as principais questões que afligem a categoria e que será apresentada aos parlamentares.

A audiência pública terá como foco a aprovação do texto do PL 7306/2017 que foi elaborado pela Febralot em parceria com a Frente Parlamentar de Apoio aos Lotéricos presidida pelo Deputado Goulart (PSD/SP). O PL foi assinado pelo Goulart com autoria do Deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB/PR) e o projeto defende principalmente os três itens a seguir:

 

1 – Tarifa mínima para serviços de correspondentes bancários no valor de R$ 1,06;

2 – Valores das tarifas de serviços bancários atualizadas anualmente pelo IGP-M; e

3 – Serviço de transporte de numerário sob a responsabilidade da Caixa.

 

Para incentivar a aprovação do projeto de lei, a FEBRALOT lançou a campanha #LotéricosValemMais, destacando que o valor de R$ 0,50 que recebem para realização de serviços bancários está muito abaixo da remuneração de um profissional do setor.

 Veja a página da campanha em www.lotericosvalemmais.com.br e acesse o site da Febralot (www.febralot.com.br) para mais informações.

[5] Comentários

Caixa realiza pregão para assessoria em programação em Loterias de Prognósticos Esportivos 23/05/2017 10:48:48

A Caixa Econômica Federal publicou no Diário Oficial da União desta terça-feira (16) aviso de pregão eletrônico pela internet (nº 50/7066-2017) para contratação de empresa para a prestação de serviços de assessoria técnica na definição da programação e obtenção dos resultados oficiais das Loterias de Prognósticos Esportivos.

O pregão será para substituir a empresa assessora a Caixa na programação para as modalidades Loteca e Lotogol.

O horário e data do credenciamento para o pregão será até às 23h59m do dia 26 de maio. Já o horário e data para o recebimento das propostas será até às 9h do dia 29 de maio e, no mesmo dia, o recebimento dos lances será entre às 10h e 10h30m. Edital e informações no endereço www.licitacoes.caixa.gov.br, no Painel Geral - Certames publicados no portal de compras - no link Em Andamento - Pregão Eletrônico nº. 050/7066-2017.

[0] Comentários

Caixa lança página com estatísticas do futebol 23/05/2017 10:47:53

Já está disponível na página das Loterias no site da Caixa Econômica Federal, uma página especial com estatísticas para deixar as apostas de Loteca e Lotogol ainda mais divertidas.

Na página os internautas encontram informações das Loterias de Prognósticos Esportivos operadas pela Caixa. Um site de craques e especialistas em futebol. Clique aqui e confira.

[0] Comentários

Vem aí o festival GP Brasil 2017 do JCB 23/05/2017 10:47:13

O Jockey Club Brasileiro divulgou o filme promocional da mais importante prova do calendário nacional de corridas de cavalos, o Grande Prêmio Brasil. Na programação estão previstos Food Trucks, cerveja artesanal, atrações infantis e diversão garantida entre os dias de 9 e 12 de junho. Anota na agenda e chama todo mundo, a entrada franca #GPBrasil2017.

[0] Comentários

GP Brasil Turfe - Eles não usam black-tie 23/05/2017 10:45:45

Pela primeira vez desde 1933, o Grande Prêmio Brasil de Turfe, dia 11 de junho, no Jockey Club Brasileiro, no Rio, não exigirá, em suas tribunas, o uso de traje passeio completo (ao lado, foto do evento em 1957). Apenas os profissionais do turfe e os convidados da diretoria usarão terno e gravata.

“A entrada é franca e queremos que todos venham participar dessa grande festa. Além do mais, dá para ser elegante com traje esporte”, explica Luiz Alfredo Taunay, presidente do JCB. (Ancelmo Gois – O Globo)

[0] Comentários

Próxima >>