Home Jockey Brasil e Uruguai criam medidas conjuntas para desenvolvimento da cultura eqüina
< Voltar

Brasil e Uruguai criam medidas conjuntas para desenvolvimento da cultura eqüina

24/07/2014

Compartilhe

Nesta quinta-feira (24), às 17h30m, será assinado no Jockey Club do Rio Grande do Sul um protocolo entre os governos do Brasil e do Uruguai, registrando objetivos e intenções comuns no que diz respeito aos cavalos de puro sangue. Para firmar este protocolo estarão presentes na capital gaúcha o Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Neri Geller e o representante do Ministério de Economia e Finanças da República Oriental do Uruguai, Javier Chá. A solenidade será realizada no Jockey Club do Rio Grande do Sul (Av. Diário de Notícias, 750 – Porto Alegre).

Referência brasileira no tem da eqüinocultura, o Estado do Rio Grande do Sul concentra 50% da criação brasileira de Cavalos Puro Sangue Inglês, cuja exportação para o Mercosul, cresceu 1200% nos últimos 15 anos, demonstrando toda potencialidade do segmento. Com o intercâmbio que será gerado entre os Hipódromos em função do Protocolo Brasil Uruguai, o mercado deve aquecer-se ainda mais uma vez que prevê também a integração do sistema de apostas, gerando empregos e uma receita de 245 milhões no Movimento Geral de Apostas até 2016, um acréscimo de 49% em relação a receita de 2013, considerando os Hipódromos uruguaios de Maroñas e Las Piedras e o Cristal, em Porto Alegre .

O protocolo reconhece a proximidade geográfica e cultural entre Uruguai e Brasil – em especial Rio Grande do Sul e a importância da cadeia produtiva que gira em torno do cavalo puro sangue.  A partir da assinatura, será formado um grupo de trabalho com representantes dos dois ministérios, que terá como desafios:

Estabelecer um regime sanitário comum que facilite o intercâmbio e a circulação – tanto de cavalos em atividade, quanto para reprodução, com a criação de um passaporte eqüino.

Gerar intercâmbio e cooperação entre os hipódromos com o objetivo de desenvolver a “indústria hípica”, desde a integração dos mercados de apostas até o desenvolvimento de projetos de educação e formação profissional, qualificação dos hipódromos e da qualidade genética dos cavalos.

“Os governos do Brasil e do Uruguai estão dando um grande exemplo de agilidade e competência ao fazer um Mercoturfe – um Mercosul do Turfe – promovendo uma integração entre turfistas dos dois países e movimentando de fato a economia” – afirma José Vecchio Filho, Presidente do Jockey Club do Rio Grande do Sul, que recebe as autoridades e preside o Hipódromo que será referência para a efetivação do Protocolo.

Este protocolo é mais um importante passo para o fortalecimento do Turfe, ao estimular o intercâmbio Brasil-Uruguai, gerando um desenvolvimento mútuo. Já em sintonia com a oportunidade de crescimento que a aliança com o Uruguai representa, o JCRGS assinou, em dezembro de 2013, um protocolo de intenções com Maroñas, iniciando de forma institucional o que hoje torna-se uma política de estado.