Home Loteria Brasil Paraolímpico é sucesso em Atenas.
< Voltar

Brasil Paraolímpico é sucesso em Atenas.

28/09/2004

Compartilhe

Na primeira semana de competição, os atletas paraolímpicos deram um show de determinação e de conquistas. Até agora, o Brasil já contabiliza 20 medalhas – 8 de ouro,
8 de prata e 4 de bronze – e ocupa o 13º lugar no ranking geral das Paraolimpíadas.
O destaque e o recorde de medalhas da delegação brasileira nas Paraolimpíadas de Atenas é resultado da profissionalização, garantida pelos recursos da Lei Agnelo-Piva (que destina percentual de arrecadação das loterias federais ao esporte) e do patrocínio das Loterias da CAIXA. A avaliação é feita por três medalhistas brasileiros – o velocista Antônio Delfino, o nadador Clodoaldo Silva e o corredor Odair Ferreira dos Santos. Para eles, os resultados demonstram a importância e o peso do apoio das Loterias da CAIXA ao Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB).
O velocista Antônio Delfino, recorde nos 400m, acredita que, ao contrário do que aconteceu após as Paraolimpíadas de Sidney, quatro anos atrás, quando os resultados, 22 medalhas, foram praticamente esquecidos pela mídia em menos de 15 dias, desta vez o resultado será mais perene e a cobertura da imprensa vai motivar milhares de brasileiros, portadores de deficiência ou não. “Esse fogo não vai apagar”, acredita.
Para o nadador Clodoaldo Silva, “Sidney foi um bom aprendizado. Para eu poder voar mais alto, tinha que fazer uma maior preparação e o apoio do patrocinador foi essencial. Minha namorada me deu até uma bronca pelo número de horas de treinamento, dizendo que eu estava dando mais atenção à piscina”, revelou o atleta.
A preparação física e emocional dos atletas foi essencial para os resultados alcançados até agora, destacou o fisiologista do Comitê Paraolímpico, Benedito Denadai: “Essa estrutura por trás dos atletas, garantida pelos parceiros patrocinadores, permitiu esse crescimento”, frisou. Para ele, um dos melhores resultados não está nos estádios e sim nos lares de milhares de brasileiros portadores de deficiência: “Esses jovens, aqui em Atenas, estão mostrando a todo o Brasil o que essas pessoas são capazes”.
O velocista Delfino ressaltou que esse destaque dado às Paraolimpíadas na mídia deve “iluminar” a todos, diminuindo a discriminação sofrida pelos portadores de deficiência: “O apoio precisa começar dentro de casa. E a população brasileira precisa apoiar e aplaudir”, disse o atleta.
Um Grande Prêmio para a Sociedade.

A experiência de participar do dia-a-dia dos atletas paraolímpicos reforça ainda mais o papel das Loterias da CAIXA de promover as boas causas à sociedade. Quando vivenciei a abertura dos Jogos Paraolímpicos e as primeiras competições, tive a certeza: estamos no caminho certo. São homens e mulheres que com sua garra, determinação, paixão e coragem, deixam uma grande lição de vida a todos nós e precisam ser reconhecidos por toda sociedade pelos seus feitos. Nessa parceria com o CPB, nosso objetivo é, acima de tudo, proporcionar visibilidade e reconhecimento. É importante ao apostador das Loterias da CAIXA saber que é por meio de sua aposta que projetos de esporte, seguridade social, cultura, educação, dentre outros, são viabilizados. Somente neste ano, R$ 8 milhões foram repassados ao esporte paraolímpico brasileiro. A sociedade brasileira como um todo ganha. Essa é a missão das Loterias da CAIXA. E é muito gratificante ver que estamos lado a lado com esses heróis paraolímpicos. Muitas medalhas virão. Mas certamente o melhor é que teremos muito mais emoções e a satisfação de fazer parte, junto com os apostadores brasileiros, desse grande orgulho nacional.

AssImp Loterias da Caixa