Home Lotérica Caixa e lotéricos se reúnem em Brasília
< Voltar

Caixa e lotéricos se reúnem em Brasília

20/08/2012

Compartilhe

Caixa Econômica Federal e Lotéricos estiveram reunidos nesta quinta-feira(16) para discutiu as reinvindicações do movimento "União Nacional dos Lotéricos". 

Veja a íntegra do documento/relatório da reunião entre os dirigentes das duas entidades.

  

 

PRÉ – REUNIÃO CAIXA / FEBRALOT do dia 09/08/2012

Tendo com tema principal a "União Nacional dos Lotéricos" a FEBRALOT solicitou logo após o movimento de protesto da semana de 28 a 04 de agosto da rede de loterias de todo o Brasil uma reunião com a Vice-Presidência da CAIXA para saber resposta as nossas revindicações.

Com caráter informal o Presidente da Febralot Roger Benac e o Vice-Presidente Jodismar Amaro se reuniram em São Paulo com o Vice-presidente de Atendimento, Distribuição e Negócios da CAIXA José Henrique Marques da Cruz e o Diretor Executivo de Estratégia e Distribuição Paulo Nergi Boeira e na oportunidade relataram a preocupação da rede, e suas dificuldades  em manter o negocio loterias e solicitaram uma reunião da CAIXA com os Sindicatos para uma posição oficial aos pleitos da rede lotérica.

Nesse sentido, atendendo o pedido da FEBRALOT e devido a dificuldade na agenda do Vice-presidente José Henrique Marques da Cruz da CAIXA se programou para o dia 16 de agosto em Brasília essa reunião.

 

Reunião Febralot x CAIXA do dia 16/08/2012

Presentes:

CAIXA.

– Vice-Presidente José Henrique Marques da Cruz – Atendimento, Distribuição e Negócios

– Vice-Presidente Joaquim Lima de Oliveira – Tecnologia da Informação

– Diretor Paulo Nergi Boeira de Oliveira e

Superintendentes Paulo Leonel de Menezes, Gilson Braga e equipes técnicas.

LOTÉRICOS.

– Roger Benac – Presidente da FEBRALOT

– Jodismar Amaro – Vice-presidente da FEBRALOT

– Representantes estaduais dos lotéricos

 

Conforme programada, a reunião aconteceu com a presença da Febralot e dos representantes dos lotéricos de todo o país, e,  pela CAIXA o Vice-Presidente José Henrique Marques da Cruz o Diretor Paulo Nergi Boeira de Oliveira e equipe, deram inicio a Pauta.

 

Pronunciamento FEBRALOT.

Nesse momento, a Palavra foi passada ao presidente da FEBRALOT, Roger Benac  para as suas considerações sobre os pleitos da categoria e para posicionamentos dos diversos Presidentes estaduais representantes da categoria lotérica.

O Presidente da FEBRALOT iniciou sua a fala expondo os principais motivos que levaram a categoria ao movimento de protesto "UNIÃO NACIONAL DOS LOTÉRICOS", e relatando com clareza a expectativa dos empresários a um posicionamento da CAIXA que atenda aos seus anseios.

O relato dos fatos incluiu a baixa rentabilidade das tarifas dos serviços, a grande rotatividade de mão de obra, lojas com valor de revenda em queda, sistema tecnológico com problemas, endividamento financeiro da rede, entre outros, culminando com a não resposta da CAIXA ao estudo técnico de tempos e tarifas da ZIMBROS CONSULTORIA apresentado no final de 2011, empresa de credibilidade internacional com base nos critérios tempo e movimentos, que segundo a ex- gerente nacional de canais lotéricos Sra. Lore Mânica Ribeiro foi a justificativa ao critério CAIXA, utilizado para o aumento dado à rede, Sra. Lore Mânica Ribeiro na em época era a responsável da CAIXA pela gestão da rede parceira.

Expôs que a rede de loterias de todo o Brasil, tem trabalhado nos últimos anos, no gerenciamento do negócio com base em empréstimos bancários e venda de patrimônios devido a pratica de baixas tarifas que não cobrem os custos lotéricos, sendo que das 20 tarifas praticadas 16 delas estão abaixo dos custos das loterias.

Que por um longo período os bolões foram os grandes responsáveis pelo financiamento dos débitos lotéricos e o empresário não se preocupava com o aumento dos seus  custos, que eram cobertos e mascarados com a prática livre dos bolões nas loterias.

Com o fim dos bolões a rede começou a ter grandes problemas de gerenciamento das lojas e se tornou dramática a necessidade de compatibilizar a conta receita & despesa, que a cada dia fica mais comprometida.

Por fim colocou a necessidade da CAIXA em responder oficialmente às nossas revindicações, que o movimento lotérico é legítimo, pacifico, ordeiro dentro dos preceitos legais e com intuito de chamar atenção da CAIXA às dificuldades da rede.

Todos os demais Presidentes e Representantes dos lotéricos puderam colocar suas posições, expondo razões e necessidades da rede, mostrando de forma clara e aberta, que se não tiver um imediato realinhamento de tarifa a rede pode entrar em colapso.

Todos foram unânimes em afirmar que a rede não pode mais suportar o peso do aumentos dos custos gerados pela inflação, insumos básicos como: aluguel, água, luz, telefone , impostos e principalmente os reajustes trabalhistas, sem a contra partida do aumento da tarifa dos serviços lotéricos.

Em resumo, Os representantes dos lotéricos de todo o Brasil colocaram a posição de que o movimento não é da liderança lotérica, e sim de toda a base,  não tendo caráter de confronto ou de descontinuidade dos serviços, mas, os lotéricos estão mobilizados para exigir dos seus Sindicatos e Federação uma tomada de posição urgente para responder as suas necessidades e é isso que estamos colocando e solicitando à CAIXA.

Necessitamos de uma resposta oficial da Caixa aos nossos pleitos apresentados sobre a reposição das perdas dos últimos 10 anos e melhoria tecnológica da rede, conforme documento apresentado à Presidência da CAIXA, e isso dentro de um prazo determinado para levarmos para ser apresentado aos Sindicatos estaduais, e consequentemente aos lotéricos em assembleias regionais.

 

Pronunciamento CAIXA.

Seguinte às nossas considerações, o Vice-Presidente José Henrique, tomou a Palavra para mostrar o planejamento estratégico da CAIXA para os próximos 10 anos, com grandes inovações na área tecnológica operacional e com uma nova visão sobre o momento atual lotérico.

A área de planejamento estratégico da CAIXA trabalhou nos últimos 10 meses para desenvolver um modelo de negócio, 2º a CAIXA, para atender toda expectativa lotérica no fortalecimento da parceria e da reciprocidade, quem faz mais recebe mais.

Lembrou que em 2010, todos os lotéricos tiveram reajustes médio de 12% nas tarifas, e que diferentemente do que a FEBRALOT afirmava  a CAIXA havia dado resposta oficial aos estudos de tarifas( Zimbros) apresentado em 2011, o que foi imediatamente rechaçado pela FEBRALOT.

José Henrique, mostrou que todo o planejamento estratégico tem como finalidade principal a manutenção dos serviços essenciais na rede com visão de futuro, inclusão social crescente, novas tecnologias na área de telefonia celular, etc, e que a priorização da rede ao novo modelo estratégico é fundamental para a rede parceira.

Reforçou a implantação do Bolão em setembro, inicio da certificação da segurança da informação pela CAIXA que ira permitir o reajuste da megasena e da lotofácil pelo SEAE ainda esse ano e o principal a implantação dos novo modelo negocial na rede em outubro desse ano.

O Vice-Presidente da CAIXA a todo momento lembrou aos presentes a relação contratual existente entre lotéricos e CAIXA, que não pode ser rompida e que a qualquer momento pode ser exercida para a garantia dos direitos contratuais existentes, isso que dizer, penalizações, multas contratuais e até descredenciamento, se for necessário.

Entendeu a CAIXA que a rede deu um "grito de alerta", no seu entender desnecessário, em função das providências já tomadas e que é preciso acreditar no novo modelo, quebrar paradigmas e ter adesão maciça da rede para o sucesso de todos.

Deliberou não fazer qualquer retaliação à Rede, entendendo que o diálogo aberto e claro, negociações permanentes e alto nível de relacionamento são ferramentas fundamentais para apresentação das necessidades dos lotéricos.

 

Outra considerações.

Nesse momento, se abriu espaço para o Vice-Presidente Joaquim Lima de Oliveira da Tecnologia da Informação da CAIXA fizesse a sua apresentação das melhorias da sua área para a Rede.

Joaquim, reafirmou que está dando toda prioridade para atendimento aos problemas lotéricos, até redefinindo contratos e prioridades para que os lotéricos tenham solucionados e agilizados seus serviços.

Muito dos problemas extrapolam a função tecnológica e saem dessa esfera, impactando com problemas oriundos da área de telefonia e linhas de transmissões via internet.

Rompimento de cabos de fibras óticas, recepções de sinais de telecomunicações cujos equipamentos estão localizados em pontos estratégicos do País, as vezes são interrompidos em função de mau tempo, quebras de equipamentos, manutenção.

Muitas vezes os sinais são rapidamente recuperados, mas, a reativação dos 35.000 terminais para entrar no ar levam tempo físico, em trabalho sequencial programado.

Quantidade de projetos em estudos, modificações constantes para melhoria de rede, manutenção de equipes técnicas e ações de ordem de prioridades de atendimento são complicadores que estão constantemente sendo trabalhados para minimizar os problemas tecnológicos da rede.

 

Providências como:

– Apresentação do responsável pela área de desenvolvimento de serviços

– Providências para solução de quedas de sistema, travamentos de maquinas, etc.

– Definição de equipe para conhecer e identificar problemas da rede (30 técnicos)

– Atenção permanente nos Problemas localizados, Picos de serviços em horários definidos, jogos fantasmas etc.

São ações que estão sendo tomadas para solução dos problemas, informou o Vice-Presidente de Tecnologia.

 

Retomada da palavra.

Ao retornar a palavra ao Vice-Presidente José Henrique Marques da Cruz, foi aberto um longo debate de ideias e fatos entre os representantes lotéricos e CAIXA no sentido de se encontrar uma solução para as dificuldades imediatas na rede.

De forma geral todos os estados representados na reunião foram unânimes na defesa de um reajuste imediato de tarifas para os lotéricos, no sentido de solucionar o caos que se instalou no setor.

Muitos exemplos de dificuldades foram citados, como:

Não fechamento de acordos coletivos da categoria, rotatividade de mão de obra qualificada, falta de recurso para pagamento de horas extras, custos lotéricos em alta e tarifas congeladas, grande comprometimento da renda lotérica com empréstimos para capital de giro, etc. Para demonstrar que o momento é de apreensão e que a solução passa por um reajuste de tarifas, para dar folego e condições para o lotérico esperar as modificações estruturais e estratégicas a serem implantadas pela CAIXA.

Defesas acaloradas, eloquentes e com alto grau de embasamento, fizeram parte da discussão entre o Vice-Presidente e os representantes dos lotéricos demonstrando que a rede pode perder seu "foco" no excelente atendimento prestado a grande massa populacional que a procura, na tentativa de encontrar caminhos alternativos que a levem a solucionar o seu problema financeiro e isso não é bom para ninguém!!

Depois de muitas conversas e de muita insistência o Vice-Presidente José Henrique Marques da Cruz, decidiu por apresentar uma resposta ao estudo de tempo x tarifas apresentado pela FEBRALOT, no prazo de  até 60 dias.

A CAIXA solicitou a FEBRALOT que suspenda o movimento lotérico e que todos os serviços sejam retomados pela rede.

A FEBRALOT e os representantes lotéricos presentes, informaram que reunirão com os demais Sindicatos do Movimento "União Nacional dos Lotéricos" para repassar as informações discutidas e confirmação em tempo aceitação ao entendimento proposto pela CAIXA.

ROGER BENAC

PRESIDENTE DA FEBRALOT