Home Loteria Cálculos matemáticos e métodos de jogo ajudam a acertar na loteria?
< Voltar

Cálculos matemáticos e métodos de jogo ajudam a acertar na loteria?

20/09/2019

Compartilhe

É comum que muitos apostadores acabem recorrendo a cálculos e métodos, a fim de encontrar os números acertar e faturar os prêmios das loterias

As loterias Caixa, como Mega-Sena, Lotofácil, Quina, etc, são bastante praticadas em todo país. Todo brasileiro que joga tem, no fundo, o sonho de se tornar o mais novo milionário do país. Para isso, é comum que muitos apostadores acabem recorrendo a cálculos e métodos, a fim de encontrar os números acertar e faturar o milhão. Neste artigo, explicaremos isso um pouco melhor.
Entre os métodos mais comuns estão os que envolvem numerologia e astrologia. E geralmente as pessoas que detém valores e conhecimentos acerca de numerologia e astrologia, acabam ajudando os apostadores na escola dos números. Aliás, só prestam esse serviço.
Ainda na antiguidade, o matemático Pitágoras explicou a essência dos números, dizendo que cada número tem um símbolo e, mais do que isso, um significado.
Números especiais
Outra prática muito comum de jogo é apostar por meio de “números especiais”. Nesse caso, cada pessoa tenta pensar em números que são especiais a ela, geralmente escolhendo datas de aniversário, datas de casamento, número de telefones, etc. Por ser um número de alta carga emocional ao praticante, pode ser que, no final, essa carga emocional acabe influenciando o resultado e trazendo resultados positivos. Por que não?
No fundo, tudo o que podemos dizer com total convicção é que as loterias Caixa são jogos de azar. Ou seja, tudo é mera questão de sorte. Independente de cálculos matemáticos ou métodos, se a sorte estiver ao seu lado, capaz que você realmente consiga alguma coisa. Caso contrários, cálculos e métodos não farão efeito algum.
A história da loteria no Brasil
Há quem diga que os famosos “jogos de azar” existem desde a época do Brasil império.
A título de curiosidade, a primeira loteria do Brasil surgiu em 1784, na cidade de Vila Rica, na época capital do estado de Minas Gerais. Era algo elencado ao governo, tanto que a renda desses tipos de jogos eram usadas, na época, para construir santas casas, orfanatos, cadeias e até hospitais. Somado a isso, havia também a questão da geração de empregos.
Com base em todos esses pontos positivos que os jogos traziam ao cenário local, eles acabaram expandidos para todo o território nacional em pouco tempo. A primeira regulamentação do jogo aqui no Brasil foi feita pelo imperador Dom Pedro II.
Mais tarde, já com a consagração das loterias nas mais importantes capitais do país, quem estava sob seu comando de 5 anos, eram empresas terceirizadas concursadas pelo Estado, sendo que a organização que por mais tempo geriu as lotéricas foi o Grupo Peixoto de Castro.
Por conta desse monopólio, a partir dos anos 60 a administração das loterias Caixa mudaram para o Governo Federal (Caixa Econômica Federal).
Atualmente, as loterias Mega Sena, Quina, Lotofácil, Lotomania, Timemania, Dupla Sena, Loteria Federal, Loteca e Lotogol são todas legalizadas pelo Governo Federal.
A primeira loteria a integrar a Caixa foi, em 1962, a Loteria Federal. Seu primeiro sorteio ocorreu em setembro deste ano, no Estado do Rio de Janeiro. Em seguida, no ano de 1966, veio a Mega-Sena, onde seu primeiro sorteio ocorreu em março deste ano. Foi um sorteio que não saiu para ninguém, e, por conta disso, acabou acumulado.
Poucos anos depois, em 1970, veio a Loteca (a antiga Loteria Esportiva).
Atualmente quem administra todos esses jogos é a Caixa Econômica Federal. Uma parte da arrecadação vai, logicamente, ao ganhador do sorteio (se houver), enquanto que uma outra porcentagem vai para outras áreas do Governo Federal, como Fundo Nacional da Cultura, Comitê Olímpico e Paraolímpico Brasileiro, FIES e Fundo Penitenciário Nacional. Isso significa que, apostando nas loterias Caixa, você está automaticamente contribuindo com outros setores do Governo. (Jornal PIRANOT – Piracicaba – SP)