Home BNL “Dos 108 países que pertencem à Organização Mundial de Turismo, só o Brasil e Cuba não permitem salas de jogo”
< Voltar

“Dos 108 países que pertencem à Organização Mundial de Turismo, só o Brasil e Cuba não permitem salas de jogo”

08/06/2006

Compartilhe

(Brasil, exclusivo Yogonet.com) – Em uma entrevista exclusiva a Yogonet.com, Carlos Eduardo Canto, presidente da Febrabingo e do Movimento Pró-Bingo comentou a situação real pela qual estão passando os integrantes deste setor no Brasil, e ressaltou: "dos 108 países que pertencem à Organização Mundial de Turismo, somente Brasil e Cuba não permitem jogos, sendo que Cuba já tem algumas ressalvas, para que se possa autorizar os estrangeiros a jogar nesse território".

 

Carlos Eduardo Canto, qual é a situação legal dos bingos hoje no Brasil?

 

– A atividade do bingo continua em uma situação incômoda devido à falta de uma legislação específica, gerando incertezas aos empresários e funcionários e também aos freqüentadores, que fazem desta atividade uma opção de lazer e divertimento.

 

Neste sentido, o MPB (Movimento Pró-Bingo) foi criado, para se dedicar a um trabalho institucional: lutar pela regulamentação, mostrando o que é o bingo e os aportes que esta atividade pode proporcionar à sociedade, aos governos federais, estaduais e municipais.

 

O objetivo do MPB é adotar ações estratégicas para defender uma regulamentação imediata para  atividade de bingo, além de discutir um modelo adequado de atuação empresarial.

 

É importante ressaltar que dos 108 países  que pertencem à Organização Mundial de Turismo, somente Brasil e Cuba não permitem jogos, sendo que Cuba já tem algumas ressalvas, para que se possa autorizar os estrangeiros a jogar nesse território , o que confirma que a proibição da atividade no Brasil está na contramão do progresso mundial.

 

As casas de bingo, além de proporcionar distração e entretenimento,  com o aumento do turismo, poderão desenvolver outras áreas que estão buscando espaço, como grupos hoteleiros e atividades artísticas como teatro, música e dança.

 

Sugerimos a criação de uma Agência Reguladora de Jogos, como existem agencias em outros setores da economia. Ela poderá trabalhar em conjunto com um Conselho de Ética ligado à Federação Brasileira de Bingos.

 


Quanto  perde hoje o governo com a falta de  regulamentação do setor de apostas?

 


– De acordo com estudos tributários, o governo deixa de arrecadar com os bingos cerca de R$ 2,5 bilhões em impostos por ano, além de impedir a criação de 120 mil empregos diretos e mais de 200 mil empregos indiretos, pela falta de uma legislação em nosso setor.

 

Quantos empresários são representados pela Febrabingo?

 

– A Febrabingo está representada por sindicatos de diversos estados da Federação, como Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro.

 


Quais são as possibilidades de que o Brasil aprove a legalização das casas de jogo? Em quanto tempo poderá aprovar esta lei?

 


– Com o encerramento da CPI dos Bingos, o Movimento Pró-Bingo está em uma luta diária para esclarecer e informar aos parlamentares, autoridades, sociedade e a imprensa, sobre as necessidades e benefícios da regulamentação dos bingos. Temos projetos de Lei e PEC para ser votado imediatamente.

 


Como foi a recepção do Governo diante desta luta pela regulamentação das casas de bingo? E qual foi a sua posição, ante a possível aprovação, de uma regulamentação destas salas?

 


– O Governo Federal não se pronuncia sobre o assunto, desde que,  surpreendentemente o presidente Luiz Inácio Lula da Silva instituiu a Medida Provisória Nº 168, proibindo, temporariamente, a exploração da atividade do bingo no país. Esperamos que o Congresso mostre novamente, o caminho, como o fez ao arquivar a Medida Provisória Nº 168.

 

Quais são as expectativas da realização de um plebiscito sobre o bingo?

 

– Estamos otimistas diante da possibilidade de que a CPI dos Bingos proponha o referendum para que o povo decida pelo Sim à regulamentação dos jogos.

 


Como está evoluindo a  CPI dos Bingos? Você acha que finalmente a situação permitirá melhorar a situação irregular em que hoje vive a atividade?

 


– Em verdade, a CPI dos Bingos foi uma oportunidade de esclarecer algumas mentiras sobre nosso setor. Demonstramos uma vez mais, que o que somente  queremos, é trabalhar em um setor regulamentado, tendo a oportunidade de criar novos empregos, obter lucros, cumprir nossos compromissos. Enfim, contribuir com o desenvolvimento econômico do Brasil, arrecadando os impostos de maneira séria, justa e transparente.

 

Creio ter respondido todas as perguntas dos deputados e senadores na CPI dos Bingos. Estou seguro de que ao final da sessão ficou muito claro aos participantes quais são as verdadeiras responsabilidades e invenções dos empresários que atuam no setor de bingos.

 


A  legislação será só para as casas de bingo ou também inclui a possibilidade de legalizar as máquinas caça-níqueis  e os cassinos no Brasil?

 


– A legislação se refere exclusivamente às casas de bingo, de jogo tradicional, com cartões  e máquinas de vídeobingo.

 

“Por outro lado,  gostaria deixar registrada a importância dos órgãos de comunicação, como o Boletim de Novidades Lotéricas (BNL), elaborado pelo jornalista  Magnho José que diariamente mostra o setor de jogos, no Brasil e no Mundo, a Revista Games Magazine, do editor Carlos Cardama, que com sua criatividade, em virtude da incerteza do mercado brasileiro, lançou a revista em vários países e a Yogonet.com pela oportunidade de expor a atual situação dos jogos no Brasil", finalizou Canto.