Home Destaque FEBRALOT se reúne com a Caixa para discutir temas como carro-forte e Loterias Online
< Voltar

,

FEBRALOT se reúne com a Caixa para discutir temas como carro-forte e Loterias Online

27/08/2018

Compartilhe

Na última terça-feira (21) a FEBRALOT e os presidentes dos sindicatos estaduais reuniram-se em Brasília com a Caixa Econômica Federal para debater a respeito dos transportes de valores, entre outros temas.

Transporte de Valores: (adicional)

Hoje o custo médio investido pela Caixa mensalmente é de R$ 25.6 milhões distribuído entre 7.865 lotéricas, que fazem jus a este adicional. A forma de pagamento atual feito pela gestora é de R$1.960,00 fixo mais 0,028% sobre as entradas de valores nas lojas independentemente do valor de saídas. O teto limite de pagamento é de R$5.600,00 por lotérico.

A proposta apresentada pela Caixa Econômica Federal foi de manter o fixo em R$1.960,00 e a parte variável seria 0,052%, porém o cálculo seria sobre a diferença entre as entradas menos as saídas de valores nas lojas. O teto passaria para R$8.000,00.

Com a proposta apresentada, praticamente todo custo relativo ao advalorem estaria contemplado, porém o valor fixo para uma lotérica que faz 22 coletas mensais fica muito abaixo do valor dispendido pelo empresário.

A FEBRALOT considerou a proposta muito abaixo dos valores praticados pela rede. Embora tenha apreciado a parte variável baseada na diferença entre os débitos e os créditos, mas é preciso que se corrija a parte fixa dos atuais R$ 1.960,00.

Atualmente R$1.960,00 divididos por 22 coletas representam R$ 89,00 por coleta (a Febralot apresentou uma proposta de R$ 110,00, podendo inclusive, ser paga por coleta ao invés de pagamento fixo).

A Caixa ficou de analisar os números da FEBRALOT e avaliar a viabilidade de implantar desta forma.

No dia 22 de agosto as mesmas entidades se encontraram para tratar de assuntos relativos a jogos.

Encalhes da Loteria Federal

Neste tema, os representantes lotéricos apresentaram suas considerações salientando que é cada vez maior o número de empresários insatisfeitos com esta modalidade e o encalhe de bilhetes está cada vez maior causando inúmeros prejuízos em suas lojas. Em contrapartida, houve considerações de que esta modalidade representa para alguns empresários uma importante receita em suas lojas.

A conclusão era a necessidade de se encontrar caminhos para evitar os prejuízos e ao mesmo tempo manter a receita dos empresários.

A Caixa apresentou alguns cenários de mudanças e depois de algumas discussões ficou acertada uma mudança que acontecerá a partir de janeiro de 2019.

A partir do próximo ano a Loteria Federal passará nas quartas e nos sábados a ter uma série única de 100.000 bilhetes com o custo de capa de R$ 40,00 (quarenta reais) e com o prêmio principal de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais). Desta forma estão aumentando a quantidade de bilhetes de quarta-feira em 11.000 bilhetes, mas estão diminuindo a quantidade de sábado em aproximadamente 80.000 bilhetes. As extrações especiais (uma por mês) terão seus valores fixados em R$ 100,00 sempre com série única, exceto a extração de Natal composta de duas séries que permanece como é atualmente.

Foi apresentado um projeto desenvolvimento onde uma parte da cota de bilhetes possa ser disponibilizada pelo TFL permitindo assim que aos empresários que tenham vendido toda sua cota antes do encerramento possam se suprir de novos números disponíveis que não foram distribuídos. Trata-se de um pedido feito pela FEBRALOT que com certeza trará inúmeras vantagens para todos os empresários.

Serão apresentados para consulta da Rede Lotérica como será a nova divisão de bilhetes.

Na sequência foram discutidas as datas para distribuição das extrações Milionárias da Federal no cronograma de sorteios. Os presentes opinaram nas melhores datas para que as vendas pudessem ser favorecidas.

Campanha #TamoJunto

O presidente da Febralot, Jodismar Amaro manifestou sua total insatisfação com o percentual atribuído à Rede Lotérica a título de comissão nas Loterias Online

A campanha #TamoJunto que já está em andamento deverá trazer premiações aos empresários que alcançarem as metas estabelecidas. A FEBRALOT manifestou que a campanha não está sendo muito divulgada na rede e que muitos empresários desconhecem suas regras. A Caixa ficou de melhorar esta divulgação.

Todas as informações estão no site da campanha, na página da GELOT (CAIXA), prêmios, regulamento etc. Acesse através do link > www.tamojuntolotericos.com.br.

As premiações serão divididas em três módulos sendo: Arrecadação, Desafios e Superação dos R$ 5,2 Bi. As apurações serão realizadas mensalmente e ao final da Campanha. Confira no link acima.

Publicidade dos jogos

Os representantes da Categoria reclamaram da falta de propaganda das loterias. Inclusive, muito comentado foi o fato de que a quase duas semanas do sorteio da Lotofácil de Independência ainda não se viu propaganda nenhuma nos meios de comunicação. A gestora justificou que existe uma lei eleitoral em discussão que impede a Caixa de fazer propaganda neste período. A FEBRALOT rebateu que como pode não haver esta propaganda da Loteria Especial e, no entanto, muitas outras principalmente das Loterias Online estão sendo divulgadas a todo instante nas mídias de rádio e televisão.

Todos os presentes manifestaram duras críticas a esta situação e a Caixa prometeu liberar em breve propagandas para o jogo especial que ocorrerá em setembro e da mesma forma ficou acertado que nas propagandas da loteria online sempre serão apresentadas também as lotéricas como forma de apostar também.

Dupla Sena

A Dupla Sena deverá passar por uma remodelação nos próximos dias. Trata-se de uma modalidade que está caindo muito suas vendas e talvez com uma remodelação ela possa vir a agregar um faturamento maior. Trata-se de uma tentativa de melhorar o produto.

Supersete

Os presentes definiram as regras finais da nova modalidade denominada SUPERSETE com data de implantação nos próximos meses. Havia muitas dúvidas sobre como fazer esta modalidade aceitar apostas múltiplas que permitam os bolões. A FEBRALOT entende que não é possível a entrada de qualquer nova modalidade de aposta sem a opção de bolão. Esta modalidade foi planejada antes dos bolões e era preciso achar um caminho para inclusão.

Jogos pela internet

Mais uma vez a FEBRALOT manifestou sua total insatisfação com o percentual atribuído à Rede Lotérica a título de comissão. A Caixa, em suas considerações, apresentou os resultados iniciais de arrecadação e destacou suas expectativas de que este meio de aposta chegará até 3% e, basicamente, virá de um público que já não aposta nas casas lotéricas, e assim nenhum lotérico será prejudicado. Outras considerações foram debatidas como a falta de esclarecimentos para a Categoria proceder com os pagamentos de prêmios. O ponto principal destacado é que não se pode recusar o pagamento do prêmio como alguns empresários estão fazendo e isso pode lhes gerar punições.

Encerrada a participação da gestora na reunião permaneceram reunidos FEBRALOT e Sindicatos para discutirem ações a serem tomadas no caso de jogos pela Internet além de outras situações. Nesta parte da reunião esteve presente a área jurídica da FEBRALOT que anotou todas as manifestações dos presentes e ficou de apresentar alguns caminhos para este problema. Também foi discutida a necessidade de envolvimento dos parlamentares para apoiar e fortalecer esta discussão.

É preciso encontrar uma saída que consiga buscar soluções que não limitem os trabalhos da Classe através de Circulares sucessivas. Um dos caminhos é acabar com a Permissão e partir para a Concessão, que permite uma flexibilidade de direitos em mão dupla e não unilateralmente como é o sistema atual.

Para se buscar um apoio jurídico nesta questão, deverá haver um investimento financeiro que será resolvido entre as entidades sem coleta junto às bases. Mas essa necessidade é que fundamentará as argumentações das tratativas que virão.

É fato que os processos judiciais são morosos e caros, além disso, geralmente as Federações e sindicatos não costumam ter resultado favorável. Ainda assim, não existe outro caminho sem ter em conjunto o apoio do Congresso Nacional em busca de uma Lei definitiva.

Perguntados se aprovavam a ideia, os presidentes sindicais presentes aprovaram por unanimidade. (Informe FEBRALOT)