Home Destaque Jogos de azar já movimentam R$ 34,1 bilhões por ano
< Voltar

Jogos de azar já movimentam R$ 34,1 bilhões por ano

17/04/2018

Compartilhe

Magnho José afirmou que todas as práticas de jogos de azar devem ser legalizadas devido aos diferentes perfis de jogadores

Os jogos de azar e os cassinos foram proibidos no Brasil há mais de 70 anos (proibido em 1946 pelo presidente Dutra), porém algumas formas jogos legalizados, como a loteria federal, e aqueles que agem “fora” da lei, como as apostas online, movimentam anualmente R$ 34,1 bilhões de acordo com o presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal, Magnho José Santos de Sousa. Segundo o executivo, o Brasil tem potencial para movimentar até R$ 66 bilhões e de arrecadar cerca de R$ 30 bilhões em impostos ao ano.

Anualmente, os Estados Unidos, o maior mercado de jogos de azar e cassinos no planeta, movimenta mais de US$ 500 bilhões anualmente, sendo que a atividade represente apenas 27% da economia de Las Vegas que hoje tem no entretenimento, fruto da intensa atividade dos jogos na cidade, sua maior fonte de renda.

“O estado não ganha com a proibição. O país movimenta quase R$ 20 bilhões em jogos ilegais ao ano sem atrapalhar em nada o funcionamento do estado e da sociedade. 71% dos países da OMT têm os jogos liberados. Está na hora de superar o preconceito”, afirmou Magnho, ressaltando a geração de quase 700 mil empregos que os jogos podem gerar em diferentes segmentos.

Magnho reconheceu que nunca, desde 1946, o Brasil esteve tão perto de liberar os cassinos, já que o projeto está avançando na Câmara dos Deputados e defendeu a atuação do estado para a tributação da atividade.

“Os jogos não são só os caça-níqueis, é principalmente entretenimento, renda, shows, como Hard Rock que traz coisas maravilhosas para agregar além dos jogos. Não é abrir um cassino em cada esquina, mas fazer um trabalho direito”, salientou o presidente do conselho da CVC e da GJP, Guilherme Paulus, que conduziu o painel no Fórum Gramado de Estudos Turísticos. (BrasilTuris – Leonardo Neves)

***

Governo pode faturar R$ 30 bi com legalização de jogos 

A legalização dos cassinos pode render R$ 30 bilhões aos cofres do Governo Federal, é o que estima o presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal, Magnho Santos de Souza. Durante o Fórum Gramado de Estudos Turísticos, ele afirmou que R$ 20 bilhões viriam com a arrecadação de tributos e R$ 10 bilhões através das outorgas para a instalação dos cassinos.

No evento, Santos de Souza argumentou que nunca, desde 1946, o Brasil esteve tão perto de liberar os cassinos, já que o projeto está avançando na Câmara dos Deputados. Afirmou também que “o Estado não ganha com a proibição, tendo em vista que jogos ilegais como o do Bicho movimentam cerca de R$ 20 bilhões anuais no País”. Somados aos R$ 14,1 bilhões das loterias gerenciadas pela Caixa, o total de apostas é de R$ 34,1 bilhões, completou.

De acordo com o projeto em tramitação, hoje haveria espaço para cassinos somente em São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, segundo o executivo, que defende a implantação de casa de jogos em cidades turísticas e estâncias hidrominerais, em espaços menores e com diversas modalidades. “Jogo é que nem gastronomia: cada um gosta de um tipo de comida”, comparou. (Panrotas – Marcos Martins)

***

Governo pode arrecadar R$ 30 bilhões com legalização de jogos

Ao palestrar no Fórum Gramado de Estudos Turísticos no dia 13/04, o presidente do Instituto Brasileiro Jogo Legal, Magnho Santos de Souza estimou que a legalização dos cassinos poderia render R$ 30 bilhões aos cofres do Governo Federal. No cálculo de Santos de Souza, R$ 20 bilhões viriam com a arrecadação de tributos e R$ 10 milhões através das outorgas para a instalação dos cassinos.

Durante o painel, Santos de Souza reconheceu que nunca, desde 1946, o Brasil esteve tão perto de liberar os cassinos, já que o projeto está avançando na Câmara dos Deputados. Afirmou, também, que o Estado não ganha com a proibição, tendo em vista que jogos ilegais como o do Bicho movimentam cerca de R$ 20 bilhões anuais no país. Somados aos R$ 14,1 bilhões das loterias gerenciadas pela Caixa, o total de apostas é de R$ 34,1 bilhões, estimou o presidente do Instituto Jogo Legal.

Segundo Santos de Souza, de acordo com o projeto em tramitação, hoje haveria espaço para cassinos somente em São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Ele defendeu, no entanto, a implantação de casa de jogos em cidades turísticas e estâncias. (Mercado & Eventos – André Montanaro)