Home Cassino Jornalistas e Governo brigam em El Salvador por causa de Cassino
< Voltar

Jornalistas e Governo brigam em El Salvador por causa de Cassino

07/08/2002

Compartilhe

Nos últimos meses, as relações dos jornalistas com fontes do governo não transcorreram na normalidade. Muitos funcionários do governo central e de governos municipais continuam se negando sistematicamente a receber jornalistas e a fornecer informações de interesse público.
O caso mais evidente de recusa de fornecimento de informações de interesse público é o da prefeita de Antiguo Cuscatlán, Milagro Navas, que se nega a receber os jornalistas e a dar declarações ou responder perguntas sobre assuntos relacionados à sua administração.
Há um ano que se exigem explicações sobre a emissão de uma permissão, vitalícia, em favor de dois cassinos que funcionam em Antiguo Cuscatlán. Um membro do Conselho solicitou que o pedido de esclarecimentos fosse enviado por escrito, o que foi feito por um jornalista do El Diario de Hoy, mas até agora não se obteve nenhuma resposta. O que está em questão é a legalidade das permissões de operação concedidas às casas de jogos de azar, às quais a maior parte da população se opõe.
Outro fato preocupante são os constantes ataques do FMLN (principal partido de oposição de El Salvador) a jornalistas dos dois mais importantes jornais do país por causa de publicações sobre a marcha em comemoração do aniversário do FMLN na qual houve manifestações em favor de Osama Bin Laden e queima de bandeiras dos Estados Unidos.
O atual coordenador-geral do FMLN, Salvador Sánchez Ceren, que participou da marcha, acusou publicamente o chefe de redação do El Diario de Hoy de ser parte do Órgão de Informação do Estado (OIE).
A acusação era totalmente falsa e o jornalista pediu que os principais dirigentes do FMLN desmentissem suas afirmações ou apresentassem provas da acusação.
Dias depois, um fotógrafo do La Prensa Gráfica foi acusado de ter supostamente ido à Assembléia Legislativa para tirar fotos em favor do Órgão de Informações do Estado. Como na acusação anterior, as acusações eram falsas.
Esses incidentes demonstram o uso de um perigoso artifício por parte do FMLN, o de reagir diante de informações jornalísticas precisas, objetivas e responsáveis, e apontam para uma nítida deterioração nas relações entre esse partido político de El Salvador e o jornalismo livre.
Sociedade Interamericana de Imprensa