Home Loteria José Serra: “Sou contra a liberação do jogo”.
< Voltar

José Serra: “Sou contra a liberação do jogo”.

10/09/2002

Compartilhe

Michael Lembruber: Qual é sua opinião em relação à possibilidade de liberação do jogo no Brasil, o que, em minha opinião, poderia gerar muitos empregos?

José Serra: “Sou contra a liberação do jogo. É uma falácia a idéia de geração de emprego. O que o sujeito faria se não fosse lá jogar? Iria gastar dinheiro com outra coisa, gerando emprego em outro lugar. O outro argumento é de que vem gente do exterior. Vem uma ova. Vão para Las Vegas, Montecarlo. E os brasileiros que vão jogar lá fora não vão jogar aqui. Vão ter medo da Receita, da revista “Caras” tirando fotografia (risos). O cassino vai funcionar para o crime como uma escolinha de futebol, vai aliciar meninas para prostituição.”

Comentário do BNL
José Serra continua sendo contra a legalização do jogo no Brasil.
No dia 04 de junho desse ano, o BNL veiculou a matéria "O que o próximo Presidente do Brasil pensa sobre jogos, loterias, bingos, jogo do bicho e cassinos?". Nessa matéria, fizemos uma análise para o mercado lotérico conhecer e lembrar do que os nossos candidatos pensavam e pensam e até mesmo algumas ações sobre o setor antes de serem candidatos. Dos candidatos analisados, colocamos o candidato José Serra contra a legalização dos jogos no Brasil. Dias após, alguns leitores do BNL enviaram e-mails para redação, reclamando que fomos críticos com o candidato do PSDB ao veicularmos o artigo de Luiz Angelo Pinto, publicado na Revista Games News, em junho de 1998 em resposta ao artigo do então Senador "O Jogo Errado", veiculado na Folha de São Paulo, em que baseado na tese de um professor universitário americano contrário a indústria, desfilou vários argumentos contra o Projeto de Lei SF PLC 00091/1996 de 15/06/1994 que "DISPÕE SOBRE A LEGALIZAÇÃO DA PRATICA DE JOGOS DE AZAR E DA OUTRAS PROVIDENCIAS", que naquele momento estava sendo votado pela Comissão de Constituição e Justiça do Senado Federal.
Ontem em debate na sede do Jornal O Globo do Rio de Janeiro, dentro da série "Candidatos no Globo", José Serra voltou a se posicionar contra a liberação do jogo com argumentos, primários e inconsistentes. O primeiro que cassinos não geram empregos, o segundo que os brasileiros não vão jogar aqui por medo da Receita Federal e das fotos na Revista Caras e para finalizar o festival de besteiras, o candidato disse que os cassinos vão funcionar como escolinha de prostituição. Causa-me indignação ver um candidato a Presidência da República do meu país tratar de um assunto sério, que gera empregos, paga impostos e investe na economia desse país, falar do mercado de jogos como se ele fosse uma piada. Caros leitores, façam as suas apostas!!!