Home Cassino Las Vegas investe em outros esportes para atrair público e tirar rótulo de ‘cidade do pecado’
< Voltar

,

Las Vegas investe em outros esportes para atrair público e tirar rótulo de ‘cidade do pecado’

19/03/2019

Compartilhe

Las Vegas, EUA – “A cidade de Pecado”. Esse é o apelido que Las Vegas carrega desde a década de 80 por ser recheada de cassinos, festas, shows, musicais, circos e diversão. Mas muito além do entretenimento, a cidade localizada no estado de Nevada, nos Estados Unidos, quer mudar o status e atrair cada vez mais um novo público: o de esportes. Se antes apenas grandes lutas de boxe e do UFC seduziam amantes dos combates, agora o investimento é cada vez maior em outras modalidades, como hóquei no gelo, rúgbi, futebol americano, basquete e Nascar (automobilismo).

O medo de que os grandes esportes não conseguissem disputar o público com os próprios cassinos e com as outras grandes atrações da cidade ficou no passado. Pelo segundo ano consecutivo, o marketing de Las Vegas Convention & Visitors Authority (LVCVA) lançou o Ultimate Sports Weekend, um conjunto quatro dias dedicados com muitas competições ao mesmo tempo na cidade.

Na edição de 2019, os jogos do Vegas Golden Knights pela Liga Nacional de Hóquei (NHL), a disputa do Campeonato Mundial de Rugby Sevens — que é uma modalidade olímpica —, o UFC 235 com o campeão Jon Jones na defesa para manter o cinturão dos meio-pesados, três dias de Nascar, e o Tuff Hedeman Bull Riding Tour, um torneio de rodeio, foram as cinco atrações de 28 de fevereiro a 3 de março, uma modalidade a mais que no ano passado.

— Muitos grandes eventos são esperados para acontecerem na cidade ainda neste ano. No total, 12 modalidades já fazem eventos na cidade nos últimos anos, mas a ideia é ampliar ainda mais o número — disse o vice-presidente da Sports & Sponsorships, Lance Evans.

O ano de 2019 ainda reserva mais competições para Las Vegas: o draft da NFL vai acontecer na cidade, assim como a chegada dos Raiders, um time que originalmente é de Oakland, na Califórnia, e disputa a temporada regular do futebol americano (NFL).

O Las Vegas Stadium está em construção — com capacidade entre 65 mil e 72 mil pessoas (próximo ao aeroporto e a zona turística da cidade, e deve estar pronto em 2020). Mas a estreia pode ser antecipada e o time usar o Sam Boyd Stadium, casa do Universidade de Las Vegas.

Hóquei é o novo xodó dos fãs

Enquanto as apostas esportivas ainda não estão ativas, é no hóquei de gelo que um dos maiores investimentos deu certo. Em 2017, Las Vegas criou uma franquia, o Vegas Golden Knights, para disputar a Liga Nacional de Hóquei (NHL).

Contratou grandes nomes do esporte, montou um time forte e conseguiu o título da Conferência Oeste, que lhe levou à disputa do campeonato nacional. Logo no primeiro ano, um vice que chegou como um triunfo espetacular.

A equipe virou uma febre entre os moradores e até mesmo atrativo aos turistas. Cada partida é um show a parte, com banda, dançarinas e atrações que divertem o público, que lota a T-Mobile Arena, local onde o Vegas manda os duelos. Em todos os hotéis, lojas e supermercados, aeroporto e shoppings há produtos sendo comercializados.

— Faço questão de vir com a minha família. Torcer, comprar produtos e dar apoio ao time. Era algo que faltava a cidade — disse Charles Montesier, morador de Las Vegas e que assistiu ao triunfo sobre o Florida Phanters por 6 a 5 com a mulher e os dois filhos.

Atualmente, o Vegas Golden Knights está em terceiro no lado Pacífico da Conferência Oeste, com 79 pontos, dez a menos que o líder da chave, o Calgary Flames. Mesmo assim, o time se classificará aos playoffs da NHL, com outras 15 equipes de todo o torneio.

HyperX: mistura de jogos e festas

A visão de investir em grandes esportes fez Las Vegas abrigar, também, uma arena dedicada ao E-Sports, que atualmente conquista cada vez mais seguidores, entre eles jogadores como os brasileiros Neymar e Gabriel Jesus e o francês Griezmann, assim como atletas da NFL, como Brandon Marshall. Localizado no Luxor Hotel & Casino, o HyperX é um local que mistura esportes e entretenimento.

Além de competições todos os dias, há um bar, palco para banda e até um estúdio para gravação de programas de TV. Existe ainda uma área especial para jogadores profissionais.

Em menos de um ano, o lugar, com capacidade para 1500 pessoas, já é um sucesso. O perfil é quase sempre o mesmo: pessoas entre 13 e 30 anos, que passam várias horas competindo ou jogando por diversão.

— É um lugar que mistura jogos com lazer. Temos competições mais populares aos sábados e o que chamamos de Super Quinta. Já não temos mais vaga na agenda de março — disse Aaron Smith, representante da HyperX.

No local, tem uma estação de realidade virtual ativa, telões de última geração, parede de vídeo LED de dois andares e assentos telescópicos. A ideia é que entre na rota dos mundiais de E-Sports. (O Globo – Marjoriê Cristine viajou a convite da Las Vegas Convention & Visitors Authority – LVCVA)