Home Especial Livro sobre felicidade entrevista Oswald de Souza.
< Voltar

Livro sobre felicidade entrevista Oswald de Souza.

18/07/2004

Compartilhe

Foi lançado no fim do ano passado o livro “Muitas Felicidades” (Edições Galo Branco), de autoria de Andréa Britto Cunha. Na obra a jornalista entrevista 30 personalidades para que comentem como lidam com a felicidade. Entre os entrevistados estão Washington Olliveto, Ivo Pitanguy, Zagallo, Chico Anysio, Elba Ramalho, Carlinhos de Jesus e o matemático Oswald de Souza, que fala da relação da felicidade com o jogo e as loterias.
O BNL reproduz na íntegra a entrevista com o amigo Oswald de Souza.
Feliz no jogo e no amor.
Oswald de Souza
Por 19 anos nas noites de domingo, muitos telespectadores se postavam diante da televisão com seus bilhetes de aposta na mão, na esperança de ganhar a loteria. Eram momentos de expectativa que podiam mudar o rumo da vida de muita gente. A responsabilidade de calcular o número de ganhadores e o valor do prêmio cabia ao nacionalmente conhecido matemático Oswald de Souza. À Zebrinha, com sua voz tremida, ficava a tarefa de anunciar os resultados dos jogos. Foram domingos inesquecíveis para muitos, como um curioso caso que Oswald relembra: "Soube de um senhor que chegou a fretar um avião para receber o prêmio achando que tinha ficado milionário. Mas ao chegar na boca do caixa da loteria disseram que seu prêmio correspondia a apenas um salário mínimo."
Mas casos como esse deixaram de ocorrer depois que o matemático -chamado então de o "cérebro eletrônico" devido à sua capacidade para cálculos -passou a antecipar todo domingo, não só na televisão, como em rádios e jornais, número de ganhadores da loteria esportiva brasileira, com excelente margem de acerto. Formado em Engenharia Civil e com especialização em Matemática, Oswald foi pioneiro na aplicação do conhecimento matemático no espolie, fazendo para jornais, rádios, televisões e revistas cálculos de probabilidades das diversas equipes na Copa do Mundo de Futebol e campeonatos nacionais e regionais. Foi consultor da Rede Globo durante 20 anos e criou para a Caixa Econômica Federal a fórmula da Loto. Foi consultor também da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) na Copa do Mundo de Futebol de 1994.
Diretor da Oswald de Souza Consultoria, especializada em jogos e loterias, o matemático é especialista nesse terreno há mais de 30 anos, sendo esta, desde então, sua atividade principal.
Defina a felicidade
Eu acho a felicidade possível, desde que não se confunda felicidade com a busca incessante do prazer. Felicidade é o somatório de momentos felizes.
Existe receita para ser feliz? Não existe uma receita. Felicidade não é algo que possa ser planejado. Felicidade é igual a regime. Quem vive dizendo que vai começar a fazer dieta a partir de segunda-feira ou do mês que vem não começa nunca. Você não pode dizer que vai ser feliz a partir de segunda-feira ou do mês que vem. Você tem que se considerar feliz para ser uma pessoa feliz.
Na vida tem coisas que você faz e depois se arrepende; outras que você faz e fica em dúvida se devia ter feito ou não, e outras ainda que você faz e constata depois que fez bem em ter feito. Felicidade é repetir sempre esta terceira hipótese e procurar só fazer o que devia ser feito.
Do ângulo matemático, o que é felicidade?
Seria a multiplicação de pequenos intervalos de tempo. O estado de felicidade permanente não existe.
 
E em relação a quem joga, o que você diria1 Quanto à questão jogo e felicidade, devemos excluir desde logo o jogador compulsivo, o viciado, aquele que perde no jogo o dinheiro indispensável à sua sobrevivência e à sobrevivência dos que dele dependem. Para este, o jogo nunca dará felicidade ou prazer verdadeiro. Será sempre uma fonte de angústia, culpa e desespero. Eu fico muito à vontade para falar desse assunto porque vivencio os dois lados da questão: gosto de jogar, sou jogador, e ao mesmo tempo sou um profissional de jogos e loterias, com mais de 30 anos de experiência à frente de um escritório de consultoria e projetos nessa área.
O jogo não pode nunca ser confundido com investimento, com uma possibilidade real de se ganhar dinheiro. Jogo é entretenimento, e, como tal, só deve consumir o dinheiro que seria destinado a outro tipo de lazer ou divertimento. Isso posto, só posso dizer que o melhor do jogo é a emoção que ele proporciona e a concentração que ele exige. Você se desliga das tensões e problemas do dia-a-dia para viver intensamente aquele momento. E lógico que felicidade no jogo é a emoção de ganhar. Quem gosta mesmo de jogo, e não é compulsivo, detesta perder.
O que dificulta a felicidade?
Eu acho que o fator que mais dificulta a felicidade pessoal é o egoísmo. Se você vive e participa da felicidade do próximo, das pessoas que o cercam, se se preocupa com o reflexo de cada ato ou atitude sua nessas pessoas, você fica mais propenso a ser feliz também. Eu digo isso por experiência própria, pois melhor dar do que receber. Acho mais fácil e prazeroso dar um presente do que receber um presente. Fazer bem ao próximo, procurar fazê-lo feliz e sentir-se feliz com sua felicidade, é fundamental. O egoísmo impede a felicidade. Até no amor é melhor dar do que receber.
Um momento de felicidade em sua carreira. Em relação a um grande momento de felicidade em minha carreira é difícil destacar um, mas houve um pelo qual eu tenho grande carinho. Foi quando, há mais de 30 anos, foi divulgado, na extinta TV Rio, o meu primeiro cálculo do número de ganhadores da Loteria Esportiva. Foi a partir dali que minha vida profissional tomou outro rumo, que eu me tomei nacionalmente conhecido e acabei me transformando num especialista em jogos e loterias. Por 20 anos, esse cálculo foi divulgado todo domingo no programa "Fantástico", da TV Globo, e em outros veículos. Foi bom na época e quando me lembro fico feliz.
Um momento de felicidade em sua vida pessoal. São tantos que é difícil eleger um como exemplo. De imediato, cito meu casamento com Isabel, realizado na Basílica de Fátima, em Portugal, local extremamente significativo e importante para uma pessoa católica como eu. Outros momentos de felicidade indescritível foram os do nascimento de meus três filhos, Dinho, Lucas e Gabriel. Minha vida é cheia de momentos felizes, uns grandes, outros pequenos, mas todos igualmente importantes para mim.

Você é feliz? A meu ver, se você está bem consigo mesmo e com o próximo, cercado das pessoas de que gosta, sem problemas maiores de saúde e sobrevivência, sem grandes culpas, remorsos ou perdas, você pode ser feliz. Posso dizer que, contrariando o ditado, sou feliz no jogo e no amor.