Home Jogo do Bicho Lula defende a legalização do bicho
< Voltar

Lula defende a legalização do bicho

31/08/2001

Compartilhe

O pré-candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou ontem no Rio, em um seminário sobre segurança pública, que é favorável à legalização do jogo do bicho. Sua opinião foi criticada justamente por um dos especialistas encarregado de elaborar seu pré-programa de governo para a área. ”A melhor solução para o jogo do bicho é legalizar. As pessoas pagariam os impostos normalmente e acabaria a clandestinidade”, afirmou Lula, que deu a sua explicação para o motivo da proibição. ”Porque há interesses políticos em não legalizar. Porque tem gente que usa o jogo do bicho para lavagem de dinheiro, para a corrupção”, disse ele, que citou o caso do ex-deputado federal João Alves – cassado por sua atuação na Comissão de Orçamento. ”Só alguns (ganharam). Como o baixinho do orçamento… o João Alves, ele ganhou dez vezes. Eu jogo há 20 anos e não ganhei nenhuma vez”, comparou ele, insinuando que também faz uma fezinha na atividade ilegal e confundindo a ”origem” alegada da fortuna do ex-deputado – que afirmou ter ganho dinheiro apostando na loteria. Indagado se jogava no bicho, Lula disse que não. ”Quando a megassena está acumulada, eu faço uma fezinha. Mas eu sou um azarado no jogo”, explicou. A defesa do jogo do bicho por Lula foi criticada pelo ex-procurador-geral de Justiça Antonio Carlos Biscaia, que é suplente de deputado federal do PT e um dos quatro coordenadores do projeto de segurança pública que está sendo feito pelo Instituto da Cidadania para ser apresentado ao PT. Não só. Enquanto comandou o Ministério Público, Biscaia se notabilizou, justamente, pelo combate ao jogo do bicho e às suas ramificações. Biscaia, que como Lula, participou do seminário ”O Crime Organizado”, no Hotel Glória, disse que é ”totalmente contra” a legalização do jogo do bicho, defendida pelo presidente de honra do PT. Segundo o ex-procurador de Justiça, os bicheiros são criminosos e não apenas contraventores. ”O jogo inofensivo criado pelo barão de Drumond no início do século se transformou num forte aparato do crime organizado. Todos os banqueiros já mandaram matar, por isso não concordo com a legalização do jogo do bicho”, disse Biscaia. Criticas – Outra declaração polêmica de Lula foi sua afirmação de que não existem política de segurança pública no Brasil. ”Não existe em nenhum estado. Se você for aqui no Rio e perguntar para o secretário de Segurança, ela vai dizer meia dúzia de palavras, vai inventar coisas, mas não tem. Se você for em São Paulo, não tem”, disse. ”Lamentavelmente este país é pensado de quatro em quatro anos”, ironizou Lula, sem considerar que seu partido tem três governadores. E um deles, Jorge Viana (Acre), era um dos convidados de honra do evento. Viana acabara de explicar a operação que resultou no fim do esquadrão da morte comandado pelo ex-deputado Hildebrando Pascoal, no Acre. Segundo Viana, o sucesso aconteceu graças aos esforços conjuntos dos governos estadual e federal, dos Ministérios Públicos estadual e federal, da CPI do Crime Organizado, da Polícia Federal e da imprensa. Viana ainda citou matéria no Jornal do Brasil – em que seus inimigos políticos ameaçam de libertar o grupo de Pascoal – para dizer que a situação no Acre ainda é grave. No domingo, Lula inicia sua terceira caravana deste ano como pré-candidato. Ele irá ao Nordeste em uma programação organizada pela CUT. O percurso começa em Juazeiro, na Bahia, e termina em Fortaleza. Jornal do Brasil – Luiz Antônio Ryff