MagocomQuinta-Feira, 30 de Março de 2017 Assine o BNLCadastre-se
Blog do editor









Busca

< Voltar

Jockey

JCSP toma medidas para evitar aumento da crise financeira 14/01/2015

Comunicado da diretoria apresenta quadro dos problemas que o clube enfrenta e detalha as medidas restritivas para evitar o aprofundamento da crise

Através de ‘Comunicado da Diretoria’ veiculado no site do Jockey Club de São Paulo, a diretoria da entidade apresenta quadro dos problemas enfrentados pelo clube al longo dos últimos anos e as medidas restritivas para evitar o aprofundamento da crise financeira do JCSP. Confira:

***

“O declínio financeiro da atividade turfística e, em particular, do Jockey Club de São Paulo não é algo novo. Trata-se de uma realidade que atravessa, pelo menos, quatro décadas. Com o avançar dos anos, tal situação corroeu todos os indicadores econômicos do clube, gerando um imenso estoque de dívidas tributarias e um processo de enfraquecimento institucional que, aos olhos de muitos, seria considerado irreversível.

Como já foi tornado público em diversas comunicações anteriores, ao assumir o comando da instituição, a atual gestão adotou uma estratégia propositalmente agressiva. Não havia, afinal, mais espaço para a passividade que foi a tônica por muitos anos.

Uma breve exposição dos números é suficiente para perceber o quão delicado era o cenário em Março de 2011, data de entrada da atual gestão. A dívida tributária global, incluindo débitos municipais (São Paulo e Campinas) e federais ultrapassava assombrosos R$ 409 milhões. Se o mesmo estilo complacente de gestão continuasse pautando as decisões diretivas, em Janeiro de 2015, apenas computando as devidas correções monetárias e com os novos impostos ocorridos ao longo do tempo, o valor atualizado da dívida seria de aproximadamente R$ 600 milhões.

Todos os agressivos movimentos adotados para o enfrentamento de tal dívida, incluindo a alienação da antiga sede social da Rua Boa Vista e parte da composição junto ao Poder Público Municipal para a cessão da Chácara do Jockey, permitiu que o início de 2015 apresentasse um quadro muito mais razoável no que diz respeito aos tributos em atraso.

Os valores atualizados dos débitos tributários são os seguintes:

 

Descrição

Valor

Tributos Municipais

R$ 62,6 milhões

Tributos Federais

R$ 41,3 milhões

Tributos Municipais - Campinas

R$ 20,8 milhões

Total

R$ 124,7 milhões

 

Cabe salientar que a expectativa em médio prazo é ainda mais promissora, já que confiamos que os R$ 62,6 milhões remanescentes do débito municipal serão totalmente extintos com a finalização do processo judicial que culminará com a entrega definitiva da Chácara do Jockey ao Poder Público. Além disso, dos R$ 41,3 milhões remanescentes do débito federal, R$ 40,1 milhões já se encontram devidamente parcelados e em situação de adimplência.

Portanto, ao final das tratativas e após a quitação dos processos já em andamento, a dívida global do Jockey terá sido reduzida para pouco mais de 5% do valor encontrado originalmente pela atual administração, em março de 2011.

Ocorre que todas as medidas adotadas para a concretização dessa redução provocaram um colapso de curto prazo no fluxo de caixa do Jockey Club de São Paulo, comprometendo os compromissos imediatos da instituição, incluindo o pagamento de funcionários e fornecedores.

Tal situação de curto prazo apenas será superada quando a atual administração municipal liberar ao Jockey Club de São Paulo a comercialização das Transferências do Direito de Construir (TDC) do Hipódromo Paulistano. Trata-se de um direito inquestionável do clube, que, ao ser efetivamente comercializado, propiciará recursos suficientes para honrar todos os compromissos imediatos, além da concretização dos necessários investimentos na fragilizada infraestrutura social e turfística do Hipódromo.

Em reunião realizada na última quinta-feira, dia 08 de Janeiro, no gabinete do Prefeito Fernando Haddad, foi, mais uma vez, confirmado o direito do Jockey Club de São Paulo de comercializar os TDCs do Hipódromo Paulistano, cuja liberação oficial depende apenas do Decreto Municipal disciplinando o disposto no Plano Diretor da Cidade.

Sendo assim, para evitar o aprofundamento da crise financeira da instituição, adotaremos as seguintes medidas restritivas:

- Os prêmios aos proprietários e criadores das reuniões turfísticas realizadas a partir de 13 de Dezembro de 2014 serão retidos. Os mesmos serão quitados em até 90 (noventa) dias da data em que o pagamento seria originalmente formalizado;

- A partir do próximo final de semana (17 de Janeiro) haverá isenção da taxa de inscrição para os páreos de turma de 4 e mais anos e claiming até a data de regularização do pagamento. As mesmas taxas referentes às corridas de 13/12/2014 em diante, até a data dos páreos acima descritos, serão reembolsadas;

- Os profissionais continuam recebendo normalmente, como de praxe;

- Nos eventuais páreos que houver added, este será pago normalmente;

- Os proprietários que possuam créditos junto ao JCSP poderão utilizá-los para quitação de despesas correntes. São Paulo, 13 de Janeiro de 2015. A Diretoria”


Comentários (0)

Para comentar essa postagem você deve estar logado!

Clique aqui para se logar ou se ainda não for cadastrado cadastre-se aqui.