MagocomSegunda-Feira, 20 de Novembro de 2017 Assine o BNLCadastre-se
Blog do editor









Busca

< Voltar

Destaques

AMAYA tem mais de 105 milhões de consumidores registrados 07/12/2016

A empresa-mãe é a operadora da PokerStars, Full Tilt, BetStars, Stars Draft e PokerStars Casino entre outras marcas


O diretor de Relações Governamentais para América Latina da Amaya, Marcelo Urbina apresentou no III BgC um panorama da empresa, que conta com mais de 20 licenças ao redor do mundo

Responsável pela presidência do segundo dia do Brazilian Gaming Congress – BgC, realizado em São Paulo, o diretor de Relações Governamentais para América Latina da Amaya, Marcelo Urbina apresentou um panorama da patrocinadora master do III BgC e conversou com o BNL. A Amaya é uma das maiores empresas de jogos online de capital aberto do mundo e conta com mais de 20 licenças em todo o planeta.

A empresa-mãe é a operadora da PokerStars, Full Tilt, BetStars, Stars Draft e PokerStars Casino entre outras marcas. “Coletivamente, nossa empresa tem mais de 105 milhões de consumidores registrados”, informou Urbina.

Segundo o dirigente, jogos online se tornaram um negócio global na última década e vão continuar crescendo conforme a tecnologia for avançando.

“Acreditamos piamente que uma regulamentação sensata é o único caminho para aproveitarmos esse crescimento, ao mesmo tempo em que, criamos empregos, geramos direitos do jogo e investimento para a economia local. A regulamentação aumenta a experiência de jogo para todos os jogadores e ao mesmo tempo fornece proteções reais para os consumidores”, comentou durante a abertura.

O dirigente da Amaya acredita que os reguladores em todo o mundo, bem como os operadores respeitáveis, têm os mesmos objetivos completamente alinhados como: maximizar a geração de receita e dessa forma beneficiar os governos locais; fornecer aos consumidores um ambiente que garanta um jogo justo; proteger jogadores com problemas e proibir que menores joguem; criar uma oferta de produto regulamentada que melhore a experiência de jogo e minimizar as tentativas para que a oferta seja usada para fins fraudulentos, incluindo políticas fortes contra a lavagem de dinheiro e outros processos em conformidade.

Marcelo disse que o rápido avanço da conectividade global, bem como a proliferação de dispositivos que permitem aos consumidores acessar serviços on-line, ajudaram o mercado a crescer, mas não o criaram. Apostar, de uma forma ou de outra, tem sido popular em culturas em todo o mundo há séculos.

“Hoje, poker online, casinos, apostas em esportes, bingos e outros são um passatempo recreativo para milhões de pessoas. Alguns optam por testar suas habilidades contra outros, alguns querem fazer de um evento esportivo um pouco mais envolvente e outros estão apenas procurando entretenimento”, comentou.

Ainda segundo o representante da Amaya, o acesso imediato a sites on-line tornou essas apostas muito mais fáceis. Quando os jogos online não são regulamentados, cria-se um vácuo de orientação. Isso, por sua vez, permite que os operadores online estabeleçam suas próprias metodologias de trabalho. Não há supervisão local de compromissos de jogo responsável, nenhum controle de fraude imposto, nenhuma condição de prevenção à lavagem de dinheiro e nenhuma maneira de garantir que os fundos do jogador são protegidos, apostas vencedoras pagas ou bônus honrados.

“Operadoras bem regulamentadas como a Amaya, se responsabilizam por conhecer a importância do fair play em termos de integridade e reputação, mas também são levadas em conta por reguladores em várias jurisdições no mundo todo”, disse.

Proteção aos consumidores 

Marcelo Urbina destacou que uma regulamentação sensata proporciona um mercado com consumidores são bem protegidos, operadores competitivos e responsabilizados ao mesmo tempo e governos capazes de coletar valiosas receitas fiscais.

“Simplificando, não há nenhuma maneira para o Estado coletar impostos sem regulamentação e, certamente, não há uma maneira fácil de impedir que os operadores sem licença estejam ativos no mercado”, comentou.

Urbina disse também que a regulamentação do jogo on-line tem se provado ser bem-sucedida em vários países da Europa e agora está sendo introduzida em outras áreas do mundo, incluindo as Américas.

“Falando em nome da PokerStars, a operadora de pôquer online mais licenciada do mundo, é reconfortante ver crescer o ímpeto para a regulamentação no Brasil. Agora vocês têm a oportunidade de assumir uma posição de liderança, e assim, proteger seus cidadãos, erradicar o mercado irregular e ao mesmo tempo criar e nutrir receitas fiscais sustentáveis”, comentou.

Marcelo também sugeriu uma olhada em países que introduziram regulamentos de jogos on-line como o Reino Unido, Itália, Dinamarca, Espanha e Nova Jersey e Nevada nos Estados Unidos, pois ficou comprovado que estas jurisdições fizeram o trabalho de regulamentação para consumidores e operadores. Assegurando que todos estão em condições de igualdade e que protegem os clientes, recompensam os operadores que cumprem as regras e penalizam aqueles que não.

“Na Amaya, gostamos de dizer que a melhor regulamentação é a que está por vir. Dizemos isso porque hoje há uma riqueza de informações e indicadores disponíveis, como aprendizados-chave de outras jurisdições, que devem ser levados em conta para garantir o sucesso. A Amaya é uma grande defensora da regulamentação, e trabalhamos em parcerias bem-sucedidas com muitos reguladores ao redor do mundo. Estamos disponíveis para compartilhar nossos conhecimentos e experiências com o governo brasileiro para ajudar a criar um quadro regulatório de primeira”, sugeriu Marcelo Urbina.


Comentários (0)

Para comentar essa postagem você deve estar logado!

Clique aqui para se logar ou se ainda não for cadastrado cadastre-se aqui.