MagocomQuinta-Feira, 27 de Julho de 2017 Assine o BNLCadastre-se
Blog do editor









Busca

< Voltar

Destaques

Japão, procurando dinheiro, remove a proibição de jogos nos cassinos 21/12/2016

A votação ocorreu à medida que o Japão procura novas fontes de crescimento econômico. A legislação, aprovada na quinta-feira (15), é uma grande vitória num longo esforço para tornar o Japão atraente para os jogadores.


O governo do Primeiro Ministro Shinzo Abe espera que o boom inflame o crescimento econômico e compense a diminuição da competitividade nas outras indústrias - algumas das quais, como o consumo de eletrônicos, são agora China

Os legisladores abriram caminho para o “blackjack”, roleta e outros jogos de cassinos no país, aprovando uma legislação que elimina uma longa proibição contra jogos de azar.

A legislação, aprovada na quinta-feira (15), é uma grande vitória num longo esforço para tornar o Japão atraente para os jogadores. Por anos, os negócios japoneses e as autoridades fiscais assistiam com inveja, enquanto vastas somas eram derramadas em jurisdições como Macau e Singapura, que criaram “cassinos resorts” com serviços de espumantes e catering para jogadores internacionais, especialmente aqueles da China.

O Japão está experimentando seu próprio “boom” no turismo chinês, e vê nos cassinos uma forma adicional de ganhar dinheiro. As estimativas para o tamanho do potencial da indústria têm variado entre US$ 40 bilhões por ano.

Os operadores internacionais de cassino também veem uma chance de lucrar. A última vez que os Legisladores japoneses abordaram a questão, em 2014, Sheldon Adelson, o bilionário Diretor Executivo da Las Vegas Sands, disse que sua empresa estaria disposta a investir até US$ 10 bilhões para desenvolver um “Casino Resort” no país.

“Para a comunidade de investimentos, o Japão é visto como a joia da coroa da Ásia no desenvolvimento de jogos fora de Macau”, disse Grant Govertsen, analista de pesquisa da Union Gaming, um banco de investimento focado em jogos de azar.

O mercado principal mais recente na Ásia para legalização dos cassinos era Singapura, que aprovou a introdução de dois “Casino Hotels” há uma década. Com a receita do cassino em torno de US$ 3,5 bilhões no último ano, Singapura, uma cidade do Sudeste Asiático, classifica-se como o segundo maior mercado da Ásia atrás de Macau.

O mercado japonês, com a sua grande e afluente população local, poderia ser ainda maior.

“Seria chocante se o Japão não se tornar o segundo mercado da Ásia da noite para o dia”, com grandes “resorts” abertos, disse o Govertsen, acrescentando que é difícil medir o tamanho exato do mercado até que elementos reguladores, como os números e localização das licenças sejam conhecidos.

Permanecem incertezas

Os primeiros cassinos levariam anos para licenciar e construir e a concorrência já está se endurecendo. Jogadores mais recentes da indústria gostam da Coreia do Sul e das Filipinas, perseguindo o mesmo dinheiro chinês, estão construindo seus próprios grandes resorts. A própria China está sob uma nuvem, como o seu rápido ritmo de crescimento econômico as autoridades de Pequim procuram reforçar o controle das saídas de dinheiro do país.

A votação ocorreu à medida que o Japão procura novas fontes de crescimento econômico. O turismo está emergindo como uma força recentemente poderosa no país, onde a economia é tradicionalmente mais orientada para a exportação de automóveis e outras mercadorias do que importar prazer aos visitantes. Mais de 20 milhões de turistas fizeram viagens ao Japão este ano, o triplo do número de uma década atrás, muitos do inchamento da classe média da China.

O governo do Primeiro Ministro Shinzo Abe espera que o boom inflame o crescimento econômico e compense a diminuição da competitividade nas outras indústrias - algumas das quais, como o consumo de eletrônicos, são agora China.

O fim da proibição dos cassinos não significa que alguém possa construir o próximo Caesars Palace no Japão. A princípio, as licenças serão concedidas a dois ou três “socalled integrated resorts” – que combinam cassinos com hotéis, salas de conferências e centros comerciais – nas principais cidades. Regras que regem a licitação e o processo de licenças, bem como a regulamentação dos próprios cassinos, seria detalhada em uma lei separada no próximo ano. O jogo real provavelmente não começará antes de 2023, disseram vários analistas.

Takashi Kiso, diretor executivo do Instituto Internacional de Cassino, uma consultoria que tem aconselhado entrantes no mercado japonês, disse com propriedade, que provavelmente tomaria a forma de “joint ventures” entre grupos de jogos internacionais e empresas japonesas. MGM Resorts, Wynn Resorts e outros grandes operadores também manifestaram interesse, além de Las Vegas Sands.

“Olhando para o debate no Parlamento, há muita resistência à ideia de 100% de cassinos estrangeiros, então isso provavelmente está fora de discussão”, disse Kiso.

Algumas formas de jogo já são legais no Japão. O país apostas em corridas de cavalos, bicicletas e corridas de barcos, e tem publicamente uma loteria nacional. Pachinko, um derivado do pinball é jogado em milhares de “noisy parlors” em todo o país, tem um elemento de jogo tecnicamente ilegal, mas é universalmente tolerado pelos políticos e pelos aplicadores da lei.

O Japão tem debatido se deve legalizar cassinos desde pelo menos 1999. Um projeto de lei semelhante ao aprovado na quinta-feira avançou no Parlamento há dois anos, mas nunca chegou a ser votado. Alguns legisladores o recusaram por potenciais problemas sociais causados pelos cassinos. Entre os opositores estava Komeito, um político budista que é um sócio júnior na coligação de governo.

Várias pesquisas de opiniões mostraram que mais eleitores japoneses se opunham à legalização dos cassinos do que apoiavam a ideia. Desde 2014, o partido de Abe, os Democratas Liberais, reforçou seu controle no Parlamento. E agora menos dependente de Komeito encontrou um novo aliado na questão do cassino em Nippon Ishin no Kai, um pequeno partido da direita com um apoio base na cidade ocidental de Osaka. Nippon Ishin no Kai tem feito lobby para um dos primeiros casinos a serem construídos lá. (The New York Times - Por Jonathan Soble e Neil Gouch)


Comentários (0)

Para comentar essa postagem você deve estar logado!

Clique aqui para se logar ou se ainda não for cadastrado cadastre-se aqui.