MagocomSegunda-Feira, 25 de Setembro de 2017 Assine o BNLCadastre-se
Blog do editor









Busca

< Voltar

Especial

Mega-Sena: mais fácil cair um raio na sua cabeça. 28/05/2004

As chances de você ganhar na Lotomania com uma aposta mínima são 11 vezes menores do que a de morrer em um terremoto.

Quem quiser arriscar nas loterias, deve fazer suas apostas. No entanto, quem sonha em ficar milionário deve ter em mente que as chances de se ganhar são pequenas. 
É 50 vezes mais fácil um raio cair na sua cabeça do que se acertar as seis dezenas. Mas isso não parece importar: a Caixa Econômica Federal vendeu 2 bilhões de bilhetes de loteria em 2003.  “O Brasil parece um grande cassino”, comenta o matemático José Dutra Sobrinho.
Em 2003, os 2 bilhões de bilhetes de loteria vendididos pela CEF totalizaram uma arrecadação recorde de R$ 3,5 bilhões. Se imaginarmos que muitos brasileiros também fazem suas apostas em jogos que não são legalizados ou costumam freqüentar bingos, participar de rifas e bolões, dá para ter uma idéia do quanto o brasileiro gosta de tentar a sorte atrás de prêmios em dinheiro. Segundo o IBGE, o brasileiro gasta nas lotéricas o mesmo que gasta comprando feijão preto todo o mês, o que equivale a 0,16% do orçamento de uma família.

Chance pequena

Mas ganhar não é nada fácil. Para se ter uma idéia, Dutra Sobrinho calcula que as chances de acertar as seis dezenas da Mega-Sena com a aposta mínima, marcando seis palpites e gastando R$ 1,50, é de 1 em 50 milhões. Levando-se em conta de que a propabilidade de um raio atingir uma pessoa é de uma em um milhão, é 50 vezes mais fácil um raio cair na sua cabeça do que você ganhar o sorteio da Mega-Sena com a aposta mínima. E há ainda a probalidade de não haver ganhador.
Isto é, há 1/3 de chance de sair um ganhador para 50 milhões de apostas e 2/3 de chances de ninguém ganhar e o prêmio ficar acumulado.
Já a Lotomania, em que o jogador tem que acertar 20 números para ganhar o prêmio máximo, é um pouco mais fácil: uma chance de ganhar em cada 11 milhões, também com a aposta mínima, que é de 50 números. Dentre todas as loterias à venda, a mais fácil de ganhar é a Federal, com uma chance a cada 70 mil comprando apenas uma fração do bilhete.
Confira o quadro abaixo (com informações do Guia dos Curiosos):

Evento

 

Probabilidade

 

Evento com chance igual de ocorrência

 

Mega-Sena

 

1 em 50 milhões
(aposta mínima de 6 números)

 

Em um conjunto de 64 Bíblias, abrir uma delas duas vezes na mesma palavra

 

Lotomania

 

1 em 11 milhões
(aposta mínima de 50 números)

 

Morrer em um terremoto

 

Loteria Federal

 

1 em 70 mil
(fração de bilhete)

 

Um casal que já teve um casal de gêmeos idênticos ter outro

 

Loteca

 

1 em 2,3 milhões
(1 palpite para os 14 jogos)

 

Risco de contrair hepatite em uma transfusão de sangue

 

“O jogo de loteria deve ser visto como uma diversão, em que só de vez em quando se faz uma aposta. Tem que jogar para brincar, sabendo que as chances de ganhar são muito pequenas. Não vale ficar obcecado, procurando a combinação de número perfeita ou acreditando que porque sonhou vai ganhar.
Apostar nestes jogos é mais ou menos como aquele dinheiro que você gasta para ir jantar fora – só de vez em quando. É uma despesa supérflua e portanto não deve ser fixa no orçamento das pessoas", sugere o matemático.
Existem até revistas que calculam probabilidades de acerto para determinadas combinações de número. Dutra Sobrinho explica que nada disso tem base científica.
“Uma vez, um colega do departamento de loterias da Caixa fez um estudo sobre as probabilidades de acerto de combinação de dezenas que mais saíram e dezenas que menos saíram, comparando sorteios anteriores. Ele concluiu que as dezenas que mais saíram oferecem mais chances de serem sorteadas. Uma perda de tempo. Esse estudo tem validade zero.
A probalidade de ganhar é a mesma para qualquer combinação de números. O sorteio é totalmente aleatório”, conclui o matemático.

Ao invés de jogar, você pode poupar

Se você é um jogador contumaz, que gasta R$ 20,00 ou mais por mês para fazer sua fezinha, talvez seja hora de repensar o hábito. “Uma pessoa que faz semanalmente três jogos, ou seja, gasta R$ 4,50 na Mega-Sena por semana, gasta cerca de R$ 20,00 por mês jogando, ou R$ 240 ao ano. Se em dez anos a pessoa aplicasse o mesmo montante na poupança, considerando-se um rendimento tímido, de 0,5% ao mês, ela teria no final do prazo R$ 3.300,00. Em 20 anos, isso dá a soma de R$ 9.290,00”, calcula o matemático José Dutra Sobrinho.
No entanto, para quem não abre mão de apostar na sorte, é mais recomendável poupar parte do dinheiro e usar outra parte para jogar na loteria federal do que investir em um título de capitalização, que também sorteia prêmios, segundo a avaliação de Dutra Sobrinho. “O título de capitalização é o pior produto financeiro que existe. Como aplicação financeira, ele oferece a menor rentabilidade do mercado e como jogo, as chances de ser sorteado são menores que apostando na loteria federal. Ou seja, é ruim tanto como jogo quanto como investimento. Guardando uma parte do dinheiro na poupança e apostando o resto na loteria federal, o resultado será bem melhor. Há mais chances de ser sorteado e a remuneração da poupança é melhor.” 
Fonte: AOL - Editoria Dinheiro