Home Loteria Piratini não tem previsão para volta da Lotergs.
< Voltar

Piratini não tem previsão para volta da Lotergs.

26/11/2004

Compartilhe

Apesar da cobrança da Federação das Empresas Lotéricas e do Sindicato dos Empresários Lotéricos, o Palácio Piratini não tem previsão para o retorno das extrações da Loteria do Estado (Lotergs).
Suspensa há quase seis meses, a mais antiga lotérica do país não possui nem garantia de que irá regressar ao mercado.
A reivindicação pelo retorno dos sorteios que duraram 161 anos foi feita ontem, em Porto Alegre. O presidente das entidades, Paulo Michielon, afirma que em maio o Estado havia pedido quatro meses para reformular o sistema e que até agora não há decisão.
– O Estado está em dificuldades e não pode correr riscos em algo que não é indispensável – disse o secretário estadual da Fazenda, Paulo Michelucci.
Governo aguarda definições judiciais.
O primeiro problema detectado pela pasta é a redução da atuação do Estado no mercado lotérico em virtude de uma decisão do Supremo Tribunal Federal. O Piratini aguarda definições judiciais sobre a legislação de lotéricas. O Estado hoje tem apenas a possibilidade de manter a loteria convencional, em bilhetes. A segunda barreira é a questão financeira. Michelucci afirma que as extrações da Lotergs vinham dando prejuízo nos últimos anos:
– Quando voltarmos ao mercado e se voltarmos, só vamos fazê-lo se tivermos a garantia de que vamos superar o concorrente e ganhar o espaço necessário para comercializar no mínimo cinco vezes mais bilhetes do que vendíamos em maio.
O Problema.
– Em 19 de maio, o Palácio Piratini rescindiu o contrato com a Capital Construtora e Limpeza Ltda por meio do qual a empresa explorava a impressão, distribuição e comercialização dos bilhetes da loteria do Estado. A empresa havia alterado sua composição acionária e não repassou ao governo informações sobre os novos sócios.
– Entre os sócios está Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, envolvido em esquema de corrupção junto com o ex-assessor do Palácio do Planalto Waldomiro Diniz.
– Com a rescisão do contrato, os sorteios foram suspensos.
Jornal Zero Hora – RS