Home Cassino Receitas dos cassinos de Macau voltam a cair em julho
< Voltar

Receitas dos cassinos de Macau voltam a cair em julho

13/08/2014

Compartilhe

Os cassinos de Macau encerraram o mês de julho com receitas brutas de 2,6 bilhões de euros, menos 3,6% que o mesmo mês de 2013, conforme informado pelo Serviço de Inspeção e Coordenação de Jogos.

A queda registrada no mês de julho é a segunda consecutiva apurada nas receitas dos cassinos de Macau. No no mês de junho também foi registrada uma queda de 3,7% face ao mesmo mês de 2013.

Apesar da redução, o acumulado das receitas dos cassinos locais nos sete primeiros meses foi de 20,7 bilhões de euros, com um crescimento de 10,2% se comparado com o mesmo período do ano passado.

Os impostos sobre o setor do Jogo são a principal fonte de receita da Administração de Macau que cobra, diretamente, 35% sobre a receita bruta apurada e outros 4%, indiretamente, para diversos fins como os sociais.

Além disso, os cassinos locais pagam, anualmente, taxas por cada mesa e ‘slot machine’ em operação além de um prêmio de concessão.

Atualmente operam cassinos em Macau seis empresas: Sociedade de Jogos de Macau, empresa fundada por Stanley Ho; Sands China, liderada pelo norte-americano Sheldon Adelson; Wynn Resorts, que tem como principal acionista o norte-americano Steve Wynn; Galaxy Resorts, de interesses de Hong Kong liderados pelo empresário Lui Che-woo; Melco Crown, que tem como acionista Lawrence Ho, filho de Stanley Ho; e a MGM Macau, liderada por Pansy Ho, também filha de Stanley Ho.

Macau é uma Região Administrativa Especial da China desde 20 de dezembro de 1999 e possui autonomia administrativa, legislativa e judicial. (Agência Lusa)

Confira: ‘Com medo do governo, chineses ricos gastam menos em Macau