Home Lotérica Reunião de Delegados do SINCOESP discute novas estratégias
< Voltar

Reunião de Delegados do SINCOESP discute novas estratégias

29/03/2017

Compartilhe

O SINCOESP realizou a reunião mensal de delegados e tratou de temas importantes para a Rede. Acompanhe a seguir as estratégias que serão adotadas:
Carro forte
Todas as empresas que enviaram carta de aumento ou apresentaram novas propostas com custos elevados receberam notificação extra-judicial. As reuniões individuais com essas empresas já estão sendo agendadas. Os problemas já foram passados para a Caixa que também contatou as empresas solucionando fundamentação para os aumentos e, se saídas não forem apresentadas esgotadas as reuniões entre as partes, os caminhos alternativos partirão de discussões do sindicato. Apesar do impasse o SINCOESP orienta a Rede para que não guardem altos volumes de numerário nos cofres de um dia para o outro para pagamento do FGTS para se evitar riscos de sequestro dos empresários. Alguns casos já aconteceram e deve-se ter especial cuidado quanto a isso.
Internet
O sistema de jogo pela internet é um fato irreversível já autorizado pelo Governo Federal segundo o secretário do SEAE. A única certeza é que, por mais que tente se encontrar um caminho, a solução não agradará a todos.
O modelo atual não foi aprovado pela Febralot, que defende o rateio proporcional ao faturamento em jogos, opinião que foi compartilhada pelos Delegados Regionais durante a reunião. A Caixa defende que é impraticável juridicamente e a Febralot está elaborando um embasamento jurídico que prove que é viável. O SINCOESP não tem poder de decisão, mas fará o possível para fundamentar os interesses apresentados nesta alternativa para remuneração por achar que é o formato mais justo.
A Caixa afirmou que no modelo elaborado o cliente é quem irá identificar a UL que ganhará sobre sua aposta. Foi aceito pela Caixa que se apresente uma sugestão em que o sistema de escolha da unidade lotérica por parte do consumidor funcione por município. As lideranças estão tentando ter como obrigatório também o bairro e/ou CEP, mas por enquanto estes dois itens estão definidos como opcionais.
Foi montado um grupo com alguns Delegados Regionais que desenvolverão um projeto fundamentado a respeito do tema para ser entregue à Caixa como sugestão de trabalho.
SEAE – Ministério da Fazenda
Após reunião atendida o órgão deixou claro que não tem o poder de definir tarifa e nem fazer jogo, mas apenas o controle sobre quem o faz.
Após entender as perdas da Categoria mostraram-se preocupados e garantiram para este ano a liberação de novos jogos, dentre eles a LOTEX, DIA DE SORTE e um possível Projeto de Lei aprovando o SPORTBETTING para operar a partir de 2018. Afirmaram que vão ajudar junto à Caixa e aumentarão as fiscalizações sobre os jogos ilegais, inclusive já disponibilizando um canal direto para denúncias.
Tarifas
Está previsto até o final de março a liberação da repactuação dos empréstimos antigos. Negociar reajuste de tarifas é em si algo de extrema dificuldade no momento político. A Febralot está agindo em paralelo para conseguir formas de forçar um acordo e o principal caminho que está sendo adotado é através da Frente Parlamentar de Apoio aos Lotéricos. O setor que trata das tarifas é complexo e extremamente cheio de obstáculos que demandam passos sequenciais para se alcançar os mínimos avanços.
Frente Parlamentar / Audiências
Dia 05 deve acontecer uma reunião fechada com as lideranças da Frente Parlamentar de Apoio aos Lotéricos com a apresentação de um trabalho da Federação que mostrará todos os problemas, para tentar encontrar caminhos conjuntos que auxiliem na solução das demandas da Categoria. Deste encontro, deve sair a definição de uma audiência pública e será uma alternativa crucial para o setor e, que certamente demandará um empenho da Classe.
Fortalecimento da Rede
Foi formado um grupo de trabalho entre Delegados Regionais que estarão focados em desenvolver um trabalho de fortalecimento da Rede, interação entre empresários lotéricos, soluções regionais.
Outro grupo foi montado para elaborar uma análise dos principais problemas na operação do TFL encontrando erros e soluções para aperfeiçoar os trabalhos diariamente.
O grupo que trabalha com as convenções coletivas anualmente já está trabalhando de maneira a enxugar as propostas econômicas e sociais, o que irá aperfeiçoar as negociações deste ano com adequações legais e amparadas pelo departamento jurídico do SINCOESP. Há um estudo para segmentar as cláusulas econômicas conforme o segmento o que tornará as negociações mais justas. (Informes Sincoesp)