Home Bingo Suspensa concessão de novos bingos de Janeiro
< Voltar

Suspensa concessão de novos bingos de Janeiro

31/05/2002

Compartilhe

O Diário Oficial publicou ontem a portaria 175, assinada pelo presidente da Loterj, Waldomiro Diniz, suspendendo por tempo indeterminado a concessão de autorização de funcionamento para a abertura de novos bingos no estado. Atualmente, são 32 casas de jogo em funcionamento no Rio de Janeiro: 21 na capital, quatro na Baixada Fluminense e sete no interior. A Loterj está preocupada com a migração em massa de bingos de outros estados para o Rio de Janeiro.
— Vamos revisar a legislação estadual que regula o funcionamento dos bingos — explicou o presidente da Loterj.
A Loterj pretende ainda verificar se as casas de apostas estão destinando os 7% de sua arrecadação para o esporte olímpico, como determina a lei. Alguns bingos estão em débito com o estado, com o alvará de funcionamento com prazo vencido e sem pagar as taxas mensais. Segundo a Loterj, 70% do valor que arrecada com o jogo no estado é destinado a obras sociais. Waldomiro afirmou que pretende aumentar essa arrecadação.
O presidente da Loterj disse que está preocupado com a falta de legislação específica de amparo às atividades dos bingos em outros estados. Segundo ele, o problema poderá provocar uma migração de bingos para o Rio de Janeiro. Até ontem, havia 15 pedidos de abertura dessas casas de apostas na Loterj, a maioria de outros estados.
MP do governo federal ainda não foi reeditada
A causa do problema, segundo Waldomiro, é que a medida provisória do presidente Fernando Henrique Cardoso dando poderes à Caixa Econômica Federal para fiscalizar os bingos em todos os estados venceu em dezembro e ainda não foi reeditada.
— Nós não queremos que aconteça aqui o que vem ocorrendo em outros estados. São Paulo, por exemplo, tem mais de 300 bingos sem controle — afirmou Waldomiro.
Segundo o sindicato dos donos das casas de jogo, o Rio de Janeiro se tornou um mercado muito visado pelos donos de bingos de outros estados. No Rio, apesar dos impostos, os empresários do jogo têm amparo legal para funcionar. Além disso, o Rio de Janeiro tem o menor número de casas de jogo do país. São 30 bingos legalizados e um número indefinido de clandestinos.
O Globo – Renato Garcia