MPF vai investigar sorteios feitos em contas de redes sociais

O inquérito foi aberto a partir de representações contra os já famosos “compartilhe”, “curta” e “marque amigos” para ganhar brindes, promovidos por pessoas físicas e empresas, boa parte sem autorização do Ministério da Economia. O ministério informa que a lei não permite que pessoas físicas façam essas promoções