Covid adia lançamento das apostas esportivas brasileiras até 2021

Compartilhar

Embora as apostas esportivas tenham sido formalmente aprovadas no Brasil, os legisladores adiaram os esforços para lançar o mercado este ano, à medida que as prioridades mudam para o enfrentamento da pandemia de 19-cobras.

O ex-presidente do Brasil, Michel Temer, assinou o jogo de esportes em dezembro de 2018 – que na época previa que os legisladores elaborassem o modelo regulatório dentro de dois anos. Dependendo de como o vírus se espalhar, o governo poderá retornar ao problema até o prazo final de dezembro deste ano e ser lançada no início de 2021.

Os regulamentos estavam sendo trabalhados pela última vez em fevereiro, embora os desenvolvimentos mais recentes tenham visto restrições significativas aos planos anteriores, pois o número ilimitado de licenças faturadas anteriormente foi reduzido para apenas um punhado.

Segundo Magnho Jose, presidente do Instituto Brasileiro de Jogo Legal, mais atrasos são lamentáveis. “Está na hora do governo legalizar o jogo para fortalecer a economia, gerar emprego e lutar contra más condições de trabalho, mercado ilegal e lavagem de dinheiro”, afirmou. “Vale ressaltar que antes da pandemia, o número de desempregados no Brasil era de 12 milhões”.

Enquanto isso, o jogo ilegal continua inabalável, acrescentou. “Quem anda pela rua pode se deparar com salas de bingo ilegais, caça-níqueis e jogo do bicho. Os brasileiros estão apostando e os jogadores problemáticos não vão apostar mais com a abertura do mercado, apenas vão fazer isso legalmente. Se o Brasil legalizar esse setor, o governo poderá estabelecer políticas públicas destinadas a tratar esses jogadores e adotar medidas para proteger os cidadãos dos possíveis efeitos negativos do jogo ilegal.” (iGaming Times – John Sullivan – Diretor e parceiro da GB Media Corporation Ltd, proprietária das publicações comerciais b2b Coinslot International, Casino Review e iGaming Times)

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta