Lucro da operadora dos cassinos de Lisboa e Estoril cai 92%

Compartilhar

Lisboa – A empresa portuguesa Estoril Sol, operadora dos cassinos de Lisboa e do Estoril, bem como do situado na Póvoa de Varzim, fechou o primeiro semestre deste ano com um lucro de apenas 218 mil euros, menos 92% do que os 2,8 milhões de euros do mesmo período do ano passado.

Para essa quebra contribuiu principalmente a descida das receitas, que não foi totalmente coberta pela redução de custos. Além disso, a Estoril Sol também registrou um agravamento dos custos financeiros.
"Os proveitos operacionais consolidados relativos ao primeiro semestre, influenciados pela evolução negativa da receita de jogo global obtida pelos três cassinos do grupo, totalizaram 97,6 milhões de euros, ou seja, menos 14,3 milhões de euros do que os registrados no período homólogo de 2011", informou a Estoril Sol.
A empresa diz que esta situação já vem de trás e resulta de um modelo contratual e tributário com o Estado "totalmente desajustado". A Estoril Sol critica ainda a "desenfreada concorrência ilegal do jogo online".
"Para se ter uma ideia mais concreta, só nos três anos e meio que mediaram entre 2008 e o 1º semestre de 2012, as receitas acumuladas dos cassinos portugueses caíram, a preços constantes, 95,2 milhões de euros", informa a Estoril Sol no relatório e contas do primeiro semestre, publicado nesta terça-feira (28). (Portugal Digital – Brasil/Portugal)
 
 

Receitas de jogo nos Casinos da Estoril Sol caem 10,9% no primeiro semestre

Os três cassinos da holding Estoril Sol tiveram no primeiro semestre deste ano menos 10,9% ou menos 11,2 milhões de euros de receitas de jogo, com quedas de 12,9% no Estoril, 8% em Lisboa e 13,6% na Póvoa do Varzim, de acordo com a informação da empresa presidida pelo magnata Stanley Ho, líder do jogo em Macau, à autoridade de supervisão do mercado de capitais.

O balanço indica que os proveitos totais consolidados na primeira metade deste ano foram de 97,6 milhões de euros, em baixa de 14,3 milhões relativamente ao mesmo trimestre de 2011, com uma queda de 13% no segundo trimestre, para 47,2 milhões.

Para a queda dos proveitos contribuiu não só o decréscimo das receitas de jogo, como também da restauração e animação, com um decréscimo de 20,1%, para 1,77 milhões.

Por casinos, o balanço indica que no Casino de Lisboa, maior de Portugal em receitas, a queda dos proveitos totais foi de 8,8%, para 42,7 milhões de euros, com 40,9 milhões em receitas de jogo (-8%) e 291,1 mil em proveitos de restauração e animação (-13,9%).

No Casino do Estoril, os proveitos totais baixaram 13,5%, para 33,89 milhões euros, com 30,33 milhões em receitas de jogo (-12,9%) e 1,27 milhões em restauração e animação (-19,6%).

No Casino da Póvoa, as receitas totais baixaram 17,2%, para 20,9 milhões de euros, com 19,979 milhões em receitas de jogo (-13,6%) e 209,7 mil euros em restauração e animação (-29,5%).

O balanço apresentado à CMVM pela holding indica que no primeiro semestre os lucros caíram 13 vezes (-92,3%), ao passarem de 2,8 milhões de euros na primeira metade de 2011 para 218,69 mil euros este ano.

Pior foi, porém, o segundo trimestre, em que a holding apresentou um prejuízo líquido de 316,47 mil euros, quando no período homólogo de 2011 ganhara 597,47 mil euros.

Por casinos, a holding que no semestre teve um prejuízo de 2,2 milhões no Casino da Póvoa, e a Estoril Sol III, que tem os Casinos do Estoril e Lisboa, teve lucro de 3,3 milhões, em queda de 1,1 milhões.

A Estoril Sol, SGPS, cujo presidente é Stanley Ho, e os vice-presidentes são Huen Wing Ming Patrick e Mário Alberto Neves Assis Ferreira, é uma das maiores empresas do setor do turismo em Portugal, com a sua actividade principal a ser a exploração do jogo nos casinos, que representa 97,1% do volume de negócios.

Segundo a holding, a sua empresa Estoril Sol III, que tem as concessões de jogo dos Casinos do Estoril e de Lisboa, tem uma quota de mercado de 50,4%, com 21,4% no Estoril e 28,9% em Lisboa.

O Casino da Póvoa, por sua vez, fez 14,1% das receitas de jogo nos casinos portugueses. (Agência PressTur – Portugal)

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta