Mercado lotérico perde Plínio Machado

Blog do Editor I 22.07.20

Por: Magno José

Compartilhe:
Plínio Machado e seu sorriso largo deixará saudades (Foto: Facebook Pessoal)

Morreu nesta terça-feira (21) Plínio Machado, aos 81 anos, um dos maiores conhecedores de loteria instantânea do Brasil.

Plínio trabalhou na Formulários Contínuos Continac, Valid S.A., American Banknote, Tecnoformas, Trust Administração e. Participações, Gold Luck Assessoria, prestou consultoria para várias empresas e foi testemunha da história das ‘Raspadinhas’ no país.

Plínio que gostava de chamar os amigos de ‘Campeão’ tinha uma máxima que era muito interessante para definir a atratividade de uma modalidade de jogo. Segundo ele, o jogo para ser atrativo, além de bons prêmios, deveria ser de fácil compreensão pelo apostador e de simples conferência: “jogo tem que ser arroz com feijão, lagosta lambuza” ou “jogo bom é igual sexo ‘papai e mamãe’, tem que ser simples”, gargalhava ao final das frases.

A trinca da foto foi precursora do mercado lotérico brasileiro: Plínio Machado, Simão Brayer e Gilberto Azevedo

Plínio Machado era membro da “Confraria dos Decanos” juntamente com outros personagens que conheciam muito bem a história das operações lotéricas do Brasil: Simão Brayer, Lourival Iervolino e Gilberto Azevedo.

Em 2004, durante um seminário em Goiânia, pedi para tirar uma foto dos mais antigos participantes do evento e ele disse de brincadeira “205 anos de Loteria no Seminário de Goiânia” e esta foi a manchete da reportagem no BNL sobre o encontro promovido pela Loteria de Goiânia. Na foto estava Plínio Machado (65), Simão Brayer (78) da Racimec e Gilberto Fernandes de Azevedo (62), ex-diretor da Loterj, Caixa e diretor da Teclot.

Durante as comemorações dos 50 anos das Loterias Caixa, o banco promoveu uma festa no Rio de Janeiro, no dia 15 de setembro de 2012. O evento reuniria importantes personagens que marcaram a história da loteria no Brasil.

Raimundo Wilson dos Santos, o Mumu da CEF, Plínio Machado, Simão Brayer e José Gabrielense Gomes Duarte durante a Festa dos 50 anos das Loterias Caixa

Os mais celebrados pelos presentes foram Simão Brayer, José Gabrielense Gomes Duarte e Plínio Machado. Gabrielense foi superintendente do setor de Captação de Loterias de Prognósticos da Caixa durante o período de lançamento da Loteria Esportiva. Simão, Gabrielense e Plínio tiveram paciência com os presentes que insistiam em tirar fotos com os personagens mais importantes daquela noite.

Com saudades do seu sorriso largo, registramos a admiração e a importância de Plínio Machado para o setor de loterias do Brasil.

“Algumas pessoas deixam herança. Outras, deixam lições. E tem aquelas que deixam a alegria de simplesmente terem feito parte de nossas vidas”.

Comentar com o Facebook