Patrocínio de apostas pode ser proibido para clubes ingleses em 2023

Apostas I 25.05.22

Por: Magno José

Compartilhe:
Uma proposta para impor a proibição do patrocínio das casas de apostas faz parte de um documento do governo do Reino Unido

As casas de apostas podem ser proibidas de estamparem suas marcas na camisa dos clubes de futebol da Inglaterra. Uma proposta para impor tal barreira faz parte de um documento do governo do Reino Unido, segundo informou a BBC.

O Departamento de Digital, Cultura, Mídia e Esporte (DCMS) confirmou que divulgará os documentos de política estabelecendo as propostas para uma legislação futura, que seria uma forma de adequar à era digital as leis sobre jogos de azar no Reino Unido. De acordo com a BBC, a nova legislação, se aprovada, entraria em vigor a partir da temporada 2023/2024, fazendo com que os clubes tenham um período de renegociação dos contratos e prospecção de novos patrocinadores.

“Estamos realizando a revisão mais abrangente das leis de jogos de azar em 15 anos para garantir que sejam adequadas para a era digital. Publicaremos um white paper que aponta nossa visão para o setor nas próximas semanas”, disse um porta-voz da DCMS.

Na Premier League e na EFL Championship os patrocínios de apostas representaram US$ 137 milhões na temporada 2021/2022.

A Liga Inglesa de Futebol (EFL), responsável pelos três níveis de futebol profissional abaixo da primeira divisão, destaca que a proibição pode gerar um impacto negativo de £ 40 milhões por ano.

Como se sabe, o tema é debatido há um tempo. Um comitê da Câmara dos Lordes já abordou a proibição em 2020. Uma revisão do Gambling Act foi lançada posteriormente pelo DCMS em dezembro de 2020, afirmando que esses aportes poderiam ser proibidos a partir de 2023.

Em abril, o Comitê de Prática de Publicidade (CAP) do Reino Unido anunciou planos para proibir anúncios de apostas utilizando a imagem de celebridades do esporte e influenciadores.

Recentemente, 20 clubes pediram a proibição geral de patrocínios de sites de apostas em camisas de jogo. Os dirigentes divulgaram uma carta aberta aos ministros do Reino Unido afirmando que o esporte tem o ”dever moral” de não se envolver com este setor.

Como se sabe, hoje, Espanha e a Itália já iniciaram movimento similares de proibição de contratos de patrocínio com empresas de apostas. Na Bélgica, o mesmo está prestes a ocorrer. (MKT Esportivo).

 

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.