Por causa da Covid-19, sorteios do Euromilhões passam a poder ser eletrônicos

Loteria I 24.09.20

Por: Elaine Silva

Compartilhe:
Governo decidiu “criar as condições que permitam que o sorteio também se possa realizar através de aplicação informática, garantindo a sua fiscalização por entidade independente”

A Covid-19 provocou vários condicionamentos à vida das empresas e das famílias. Até o Euromilhões foi afetado pela pandemia, tendo sido registradas dificuldades na realização dos sorteios que, até agora, têm de ser feitos de forma presencial. O Governo decidiu que, daqui para a frente, pode haver sorteios de forma eletrônica.

“As restrições em matéria de circulação e contatos entre pessoas, se bem que essenciais, adequadas e necessárias ao combate à epidemia, tiveram impacto na forma como se procede aos sorteios dos jogos sociais do Estado, nomeadamente do Euromilhões”, refere a portaria que altera o regulamento deste jogo social.

Como “não se pode inteiramente afastar a possibilidade de, no futuro, ser necessário fazer frente a desafios semelhantes aos que se viveram nestes últimos meses”, e de forma a antecipar eventuais constrangimentos ao sorteio do Euromilhões, o Governo decidiu “criar as condições que permitam que o sorteio também se possa realizar através de aplicativos digitais, garantindo a sua fiscalização por entidade independente”.

Assim, foi feita uma alteração que passa a prever que “os sorteios de cada concurso do Euromilhões realizam-se de forma física ou, em situações excepcionais, através de aplicação informática, em dia hora e local determinados e oportunamente anunciados pelo Departamento de Jogos”.

Esta possibilidade, que em nada altera o jogo para os jogadores, passa a estar disponível a partir já desta sexta-feira (24), dia em que o Euromilhões apresenta um acumulado de 130 milhões de euros. “A presente portaria entra em vigor no dia seguinte ao da sua publicação”, lê-se no Diário da República. (Eco – Paulo Moutinho)

Comentar com o Facebook