Senador carioca Arolde de Oliveira morre vítima da covid-19

Evangélico e conservador, o senador ressaltava ser contra a legalização do aborto, drogas e jogos de azar

Compartilhar
Evangélico e conservador, o senador ressaltava ser contra a legalização do aborto, das drogas e dos jogos de azar (Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

 

O senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) morreu na noite desta quarta-feira vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência da Covid-19. Ele estava internado desde o dia 4 deste mês no Hospital Samaritano, em Botafogo, Zona Sul do Rio. Com 83 anos, o político teve uma série de complicações no seu quadro de saúde nos últimos dias. Ele será substituído no Senado pelo advogado Carlos Portinho, seu primeiro suplente.

Com liderança entre os evangélicos e longa trajetória na política fluminense, Arolde Oliveira chegou ao ápice de sua carreira política ao se eleger senador em 2018, na esteira da onda bolsonarista.

O parlamentar foi fundador do Grupo MK que reúne, entre outras empresas do segmento gospel, a rádio 93 FM, no Rio, que mantém programação religiosa.

Na campanha ao Senado, Arolde de Oliveira destacou três pontos para conquistar o voto conservador, em especial os evangélicos. O primeiro deles foi a defesa da família em que ele ressaltava ser contra a legalização do aborto, das drogas e dos jogos de azar.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, decretou luto oficial em homenagem à memória do senador.

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta