Ano legislativo no Congresso pode começar com trabalho remoto

Blog do Editor I 14.01.22

Por: Magno José

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Mais três deputados são indicados para o GT dos Jogos 1
A Câmara deverá ser uma trincheira de embates polêmicos este ano. Uma das propostas que pode ser analisada já em fevereiro é a legalização dos jogos, defendida por Lira, mas que enfrenta oposição da bancada evangélica

Com o avanço da variante Ômicron, foi retomada do Congresso a discussão sobre a forma mais segura de voltar às atividades após o período de recesso parlamentar. Enquanto no Senado, o presidente Rodrigo Pacheco (PSD-MG) tende a optar pelo trabalho à distância, na Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) resiste manter o home office.

Segundo o colunista do GLOBO Lauro Jardim, os deputados têm tentado convencer o presidente da Câmara a instituir novamente o trabalho remoto, a partir de fevereiro, tanto devido ao aumento de casos de Covid-19 quanto de influenza.

A aliados, Lira diz ter recebido alguns pedidos de deputados da esquerda para flexibilizar as regras e permitir que os servidores da Casa voltem ao home office e que deputados façam as sessões de forma virtual.

Lira, porém, diz a interlocutores não ter batido o martelo ainda e que deseja aguardar o próximo mês antes de anunciar como será a retomada. A maior preocupação dele, contam, é flexibilizar a presença no plenário no primeiro semestre e não conseguir mais levar os deputados para as atividades presenciais, uma vez que este é ano eleitoral e, no segundo semestre, parlamentares estarão envolvidos com a campanha nos estados.

Já no Senado, na contramão do que se definiu na última reunião que tratou de Covid-19, no final do ano passado, em que se previa a retomada das atividades presenciais em todas as comissões e no plenário neste ano, Pacheco avalia, por ora, instituir novas regras para atividades à distância enquanto a incidência de infecções pelos vírus estiver alta, diz o colunista.

A Câmara deverá ser uma trincheira de embates polêmicos este ano. Uma das propostas que pode ser analisada já em fevereiro é a legalização dos jogos, defendida por Lira, mas que enfrenta oposição da bancada evangélica. Outro projeto em tramitação é o que o regulamenta o ensino domiciliar (homeschooling), bandeira de deputados das bancadas conservadoras. Também pode ser discutido o texto que libera o cultivo da maconha (cannabis sativa) para uso medicinal e industrial.

Comentar com o Facebook