Jogo VIP em Macau cai 80,5% em 2020 fruto da pandemia

Compartilhar
As receitas provenientes das grandes apostas em Macau foram de 2,7 bilhões de euros em 2020, menos 80,5% do que foram em 2019

Apesar das receitas do jogo em Macau terem recuado 80,5% para 26,28 bilhões de patacas (2,7 bilhões de euros) em 2020 face a 2019, os últimos três meses do ano houve uma ligeira recuperação. No último trimestre do ano as operadoras arrecadaram 7,6 bilhões de patacas (788 milhões de euros) no chamado jogo VIP, contra 2,3 bilhões de patacas (238 milhões de euros) nos três meses anteriores. Os dados divulgados pela Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ).

O impacto da pandemia de covid-19 levou a fortes restrições nas fronteiras para evitar a propagação do novo coronavírus, o que originou uma quebra acentuada na entrada de turistas.

Em março, as autoridades chinesas suspenderam a emissão de vistos para Macau, e só em 23 de setembro último foi retomada.

Os cassinos de Macau terminaram 2020 com receitas de 60,4 bilhões de patacas (6,2 bilhões de euros), uma quebra de 79,3% em relação ao ano anterior.

Em 2019, as receitas dos cassinos de Macau tinham sido de 292,4 bilhões de patacas (cerca de 30 bilhões de euros), ou menos 3,4% do que em 2018 (31 bilhões de euros).

Capital mundial do jogo, Macau é o único local na China onde o jogo em cassino é legal. Operam no território seis concessionárias: Sociedade de Jogos de Macau, fundada pelo magnata Stanley Ho, Galaxy, Wynn, MGM, Venetian e Melco.

Macau foi dos primeiros territórios a ser atingido pela pandemia, tendo registrado 46 casos. Atualmente, não tem nenhum caso ativo. (Expresso.PT)

Comentar com o Facebook