Leitor da Veja acusa cassinos de lavagem de dinheiro sem fundamentos

Compartilhar
Uma análise nos percentuais dos tributos demonstra que estão profetizando um grande equívoco, já que existem atividades mais vantajosas economicamente para lavagem de ativos.

 

Sob o título ‘Cassinos’ a revista Veja desta semana veicula carta do leitor Ademir Toani, de Botucatu em São Paulo (via Facebook), com o comentário que os cassinos são a maior máquina de lavagem de dinheiro do mundo, mas geram empregos

“A maior máquina de lavar dinheiro no mundo são os cassinos, de domínio das máfias. Mas eles geram muitos empregos, especialmente para músicos e artistas. Que venham (“Aposta contra a crise”, 25 de novembro). Ademir Toani, Botucatu, SP (via Facebook)”.

Bobagem

Sempre profetizam que os jogos são propícios a este delito, mas nunca foi realmente demonstrado e comprovado como seria esta operação e as respectivas vantagens em lavar dinheiro no jogo. Uma análise nos percentuais dos tributos demonstra que estão profetizando um grande equívoco, já que existem atividades mais vantajosas economicamente para lavagem de ativos.

Além disso, a legislação brasileira obriga que prêmios acima de R$ 10 mil sejam informados pelos operadores de jogos e loterias ao Conselho de Controle de Operações Financeiras – COAF, órgão vinculado ao Ministério da Economia e responsável pela fiscalização sobre lavagem de capitais no país, além da tributação de 30% de Imposto de Renda sobre o prêmio. Portanto, lavar dinheiro em jogo é caro e arriscado.

Comentar com o Facebook