IPQ busca mulheres viciadas por jogos de azar.

O Ambulatório do Jogo Patológico (Amjo) do Instituto de Psiquiatria (Ipq) do HC da USP, está convidando mulheres jogadoras patológicas (viciadas em bingo, loterias, vídeo-pôquer, corrida de cavalos, cassino e outras formas de jogos de azar que envolvam apostas em dinheiro), e seus irmãos homens que não sejam jogadores, para…

Jogadores ganham alternativa de tratamento

Culpa, remorso, arrependimento e autopiedade são os sentimentos mais comuns entre os jogadores compulsivos. É o que apontam os frequentadores e coordenadores do Grupo de Jogadores Anônimos da Baixada Santista (Jabs) — uma entidade com sede em Santos que, como os Alcóolicos Anônimos (AA), reúne 38 pessoas que têm o…

Especialistas vêem aumento de viciados

Nos dois únicos ambulatórios públicos que cuidam do problema, maioria dos pacientes manifesta compulsão por bingo. A multiplicação de bingos pelo país pode estar causando o recrudescimento de um mal tão danoso quanto a dependência química: o vício de jogar. O alerta é de profissionais que pesquisam a doença e…

Viciado em jogos não tem tratamento especializado.

Enquanto os estabelecimentos como loterias, bingos e, mais recentemente, as lan houses espalham-se por todo o Estado, o mesmo não ocorre com o número de locais que ofereçam tratamento especializado àqueles que desenvolvem uma doença reconhecida pelos médicos como jogo patológico. No Paraná, as pessoas que buscam ajuda para se…

Vício é vício.

Dom Tito Buss* Em artigo no semanário da arquidiocese, o cardeal Dom Eugênio de Araújo Sales, arcebispo emérito do Rio de Janeiro, aborda o tema da jogatina. Comenta ele a tentativa sempre renovada de se legalizarem os cassinos no Brasil. Os argumentos são sempre os mesmos: criariam empregos e evitariam…