Dona de cancha de bocha de Blumenau é uma das ganhadoras da bolada milionária da Mega-Sena

Loteria I 22.06.22

Por: Magno José

Compartilhe:

 

Segundo sorteio da Mega-Semana de Férias pode pagar R$ 22 milhões
A nova milionária, que ganhou o prêmio de R$ 2,7 milhões no bolão de 42 cotas da Mega-Sena disse que dividiu R$ 1 milhão entre os filhos adultos e cada um ganhou de presente da mãe R$ 250 mil

A dona de um bar e cancha de bocha de Blumenau foi uma das ganhadoras do bolão que faturou R$ 117,5 milhões da Mega-Sena há menos de um mês. A comerciante, natural de Blumenau, virou milionária da noite para o dia, ajudou a família, mas continua trabalhando. Ela contou o que fez com o prêmio.

Ao invés de largar o trabalho, como muita gente fala que faria se ganhasse na Mega-Sena, a blumenauense, que faturou R$ 2,7 milhões com bolão, segue trabalhando normalmente. O bar e cancha de bocha continua a todo vapor.
A comerciante comprou uma das 42 cotas do bolão vencedor. Ela gastou R$ 40 para comprar uma cota e terminou a aposta com quase R$ 3 milhões na conta.

“Meu marido sempre apostou na Mega-Sena, mas nunca ganhamos. Foi a primeira vez. Há uns 5 meses venho apostando na lotérica da Velha, que estava com sorte e deu certo. Sempre acreditamos que íamos ganhar.”, destacou.

Um pouco para cada filho
A milionária disse que dividiu R$ 1 milhão entre os filhos, todos já adultos. A quantidade de filhos não será divulgada para preservar a identidade da ganhadora.

Mas a divisão foi igualitária, cada um ganhou de presente da mãe R$ 250 mil. Um dos filhos, por exemplo, quitou o imóvel próprio que estava financiado em 30 anos.

A sortuda revelou que também ajudou os pais, tanto dela quanto do marido. Os valores foram menores e diferentes. Outros parentes não foram esquecidos.

“A gente deu um pouco para os familiares. Para quem mais precisava. Não foi muito, mas já ajuda.”, comentou.

Vivendo sem dívidas
A bolada serviu para a família quitar todas as dívidas. A nova milionária não relevou exatamente quanto do prêmio usou para pagar as contas, mas garantiu que a vida está mais leve. “Viver sem dever nada é um alívio. Até o amor aumenta.”, comemorou a comerciante.

Ela comentou ainda que ajudou pessoas próximas com algum valor, mas sem revelar quantias exatas. E uma boa parte do dinheiro, sem falar exatamente quanto, fez uma aplicação financeira.

A comerciante e o marido seguem morando de aluguel e ela não pretende se aposentar tão cedo. “Quero me sentir útil, não penso em parar de trabalhar. Agora meus filhos estão melhor. Estou muito feliz.”, disse. (Redação Jornal Floripa – SC)

 

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.