Governo estuda realizar nova redução de impostos sobre jogos eletrônicos

Compartilhar
De acordo com publicação no Twitter do presidente Jair Bolsonaro, uma nova redução pode acontecer em breve. Os impostos sobre os consoles são elevados porque que são classificados pela Receita Federal como “jogos de azar”.

 

Apesar de ser um dos maiores mercados de games do mundo, o Brasil sofre com a enorme carga de impostos aplicados sobre jogos e consoles. Isso acontece, pois a legislação classifica esses produtos como jogos de azar, cobrando assim taxas extremamente altas sobre os videogames. Um projeto de lei que visa reduzir esses impostos a zero já tramita no Senado, mas aguarda aprovação desde o ano passado.

Assim sendo, como maneira de amenizar a situação, o Governo Federal reduziu em agosto de 2019 o Imposto sobre Produtos Importados, o IPI, para 40%, e de acordo com publicação no Twitter do presidente Jair Bolsonaro, uma nova redução pode acontecer em breve. Bolsonaro revelou estar em contato com o ministro da Economia Paulo Guedes para que a taxa caia para 30%.

A redução citada por Bolsonaro não se refere exatamente aos games em si, mas sim aos consoles e a seus componentes e acessórios. A queda de 50% para 40% beneficiou os “console e máquinas de jogos de vídeo”, enquanto derrubou o IPI de partes e acessórios de 40% para 32%, e os impostos sobre aparelhos com tela integrada, como os portáteis, de 20% para 15%.

Vale lembrar que Bolsonaro já protagonizou casos curiosos relacionados aos games por meio de sua conta no Twitter. O político publicou em fevereiro de 2019 um vídeo relacionado à obras no estado de Alagoas utilizado como música de fundo “His World”, do game Sonic The Hedgehog (2006), chegando a chamar a atenção da Sega, que republicou a postagem com a frase “hoje em Locais Que Não Esperávamos Escutar Uma Faixa de Sonic 2006”. Neste ano, Bolsonaro voltou a utilizar músicas de games em vídeos, desta vez provenientes de títulos como Super Mario World, Alex Kidd in the Miracle World e mais. (TudoCelular.com)

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta