Poker é “esquecido” em Massachusetts e jogadores reclamam

Pôquer I 20.07.21

Por: Elaine Silva

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
A sala de poker do Encore Boston Harbor, em Massachusetts, segue assim: vazia. Os três cassinos de Boston e região não retornaram com as atividades nos seus salões de poker mesmo após o fim de todas as restrições causadas pela pandemia de Covid-19. (Foto: Divulgação)

As reclamações dos jogadores de poker do estado americano do Massachusetts, onde fica Boston, crescem dia após dia. Isso porque os três cassinos de Boston e região não retornaram com as atividades nos seus salões de poker mesmo após o fim de todas as restrições causadas pela pandemia de Covid-19.

Depois de alguns meses de paralisação, os hotéis-cassino puderam voltar com as suas atrações gradativamente no ano passado, e nas primeiras determinações da Comissão de Jogos do local, o poker estava proibido. Porém, as medidas foram sendo relaxadas, até serem suspensas por completo no último mês de maio. Mesmo assim, os estabelecimentos se contentaram com dados e roletas, que dão mais lucro, e mantiveram o poker desativado.

O chefe da divisão de agentes de jogos da Comissão de Massachusetts, Bruce Band, avisou aos comissários dos cassinos que as reclamações sobre a ausência do poker cresceram substancialmente nas últimas duas semanas. “Basicamente, as pessoas estão dizendo que se os cassinos não vão voltar com o poker, nós teremos que criar clubes de poker, e eu explico que o estatuto não permite”, disse Band, que vem atualizando os líderes das casas há meses sobre a situação. Representantes das duas maiores casas de Boston e região, o Encore e o MGM Springfield, não responderam às tentativas de contato da imprensa.

Band acredita que as apostas esportivas estão envolvidas nesse imbróglio. As apostas são proibidas em Massachusetts, e ambas as casas têm um desejo público de oferecerem o mercado esportivo nos seus espaços, até porque a região de Boston é fortíssima nas principais modalidades. As casas poderiam estar pressionando a Comissão de Jogos a liberar as apostas como parte de um “jogo de poder”. Se as apostas fossem permitidas, os cassinos voltariam com o poker, e ambos os problemas se resolveriam.

Mesmo somente com os demais jogos de cassino e os slots, os três estabelecimentos da região estão vendo ótimos números nas receitas mensais. Em junho, eles geraram US$ 84 milhões de lucro, e quando se trata especificamente do Encore, responsável pela maior parte desse número, o mês foi o terceiro melhor da história. (Superpoker – Gabriel Elias)

Comentar com o Facebook