Depois de viralizar na internet vendendo mini-pizza, Esquiva Falcão recebe patrocínio

Compartilhar
O boxeador continua invicto em toda a sua carreira profissional (Foto: Divulgação/KTO)
Com frequência, ouvimos histórias de brasileiros que precisaram empreender na pandemia porque perderam a renda fixa. Para Esquiva Falcão, o primeiro pugilista brasileiro a conquistar a medalha de prata em uma Olimpíada, a narrativa foi parecida. Com a pausa nos eventos esportivos, o atleta passou a vender mini-pizzas feitas pela sua esposa, mas com um diferencial: ele mesmo as entregava e, dependendo da quantidade do pedido, levava sua medalha junto para quem quisesse tirar fotos.
Foi pelo Twitter que ele divulgou o novo negócio que, apesar de ter viralizado na internet, não durou muito, mas por um ótimo motivo. Esquiva Falcão recebeu diversas propostas de patrocínios e, hoje, dedica seu tempo aos treinos para conquistar o tão desejado cinturão da IBF/USBA (International Boxing Federation).
— Para ser campeão mundial, é preciso estar 100% dedicado aos treinos, em como vai ser a luta. E não dá para se concentrar quando você não sabe se vai conseguir pagar suas contas em dia — conta o medalhista.
O boxeador, que nunca perdeu uma luta em toda a sua carreira profissional  — são 28 duelos sendo 20 por nocaute —, além de ter mais tempo de dedicação ao esporte, também já treina em uma academia melhor equipada, com um espaço adequado para o treino de um atleta de alto rendimento.
— Da mesma forma que temos o Neymar no futebol, o Medina no surfe e Guga no tênis, eu quero ser o Esquiva Falcão do boxe — anuncia o lutador que hoje é patrocinado pela KTO.
Das Olimpíadas ao Campeonato Mundial
A primeira medalha de prata do Brasil no Boxe foi conquistada nos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres. A vitória emocionou o país pela trajetória do lutador, que passou por várias dificuldades ao longo da carreira. Desde então, a história do boxe nacional é marcada pelo nome de Esquiva Falcão.
O foco agora é o campeonato mundial. O pugilista ocupa o quinto lugar na categoria peso médio e busca a classificação para a competição. As datas ainda não estão definidas, mas as expectativas são de que, em agosto, o boxeador enfrente Gennady Golovkin, do Cazaquistão, o atual campeão mundial. A luta será em Las Vegas e, com o apoio dos patrocinadores, Esquiva Falcão se demonstra ainda mais confiante.
— Meu pai e minha mãe não tiveram como me proporcionar uma estrutura de alto nível. E mesmo assim, hoje eu estou aqui. Quando eu olho no espelho, vejo aquele menino que gostava de treinar e brincar e que hoje está crescendo para ser um grande ídolo do boxe. Se Deus permitir eu vou conseguir ser esse atleta que todo mundo está esperando — conta. (NSC Total – SC)
Comentar com o Facebook