‘Turma da Jogatina’: Overdose de desconfiança…

Blog do Editor I 14.03.22

Por: Magno José

Compartilhe:
Principais operadores vão disputar a Loteria de São Paulo
Não me canso de repetir…o tempo tem sido um aliado para que o setor assista a desmoralização e as derrotas dessas instituições que formam ‘Turma da Jogatina’

As duas notas abaixo comprometem a credibilidade da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil-CNBB e dos evangélicos que demonizam a legalização dos jogos no Brasil com argumentos rasos se comparados aos danos que seus membros ou seguidores provocam na sociedade.

E a CNBB ainda tem coragem de afirmar em nota contrária a legalização dos jogos com o argumento de que “Cabe-nos, por razões éticas e evangélicas, alertar que o jogo de azar traz consigo irreparáveis prejuízos morais, sociais e, particularmente, familiares.”

Aquela velha máxima, que “todo mundo tem um esqueleto que quer manter escondido no armário” vale também para a igreja católica e evangélicos…

Não me canso de repetir…o tempo tem sido um aliado para que o setor assista a desmoralização e as derrotas dessas instituições que formam ‘Turma da Jogatina’.

Até onde vai a credibilidade destas instituições que vivem demonizando e profetizando contra o setor de jogos de azar?

Vocês sabem: eu desconfio de todos!!!

***

Pastor evangélico de Goiás é suspeito de aplicar golpes milionários em fiéis, mesmo respondendo na Justiça por estelionato

‘Turma da Jogatina’: Overdose de desconfiança…
Há pelo menos nove anos, Osório José Lopes Júnior viaja pelo país recolhendo dinheiro de investidores em títulos que, segundo ele, são lastreados pelo Tesouro Nacional (Foto: Reprodução de Vídeo)

O pastor evangélico goiano Osório José Lopes Júnior, que é deficiente visual, é acusado de aplicar um golpe milionário em fiéis com a venda de títulos que, segundo ele, são lastreados em ouro e apresentados por ele como Letra do Tesouro Mundial.

O Fantástico mostrou neste domingo (13) as histórias das vítimas do pastor, que já é réu em Goiás e foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo, na última sexta-feira (11), pelo crime de estelionato. De acordo com as investigações, ele fez vítimas de vários estados.

O pastor afirmava que os títulos já contariam com autorização do governo federal, por meio do ministro da Economia, Paulo Guedes, para serem pagos, uma clara mentira.

***

Papa Francisco demite padre de Limeira acusado de atentado ao pudor contra ex-coroinhas em São Paulo

‘Turma da Jogatina’: Overdose de desconfiança… 1
Padre Pedro Leandro Ricardo não poderá mais exercer as atividades sacerdotais. MP o denunciou por praticar atos contra a dignidade sexual de três adolescentes e uma criança

Acusado de assédio sexual de coroinhas nas cidades de Araras, Limeira e Americana, no interior de São Paulo, o padre Pedro Leandro Ricardo foi demitido do estado clerical. A decisão é do Papa Francisco e foi comunicada nesta sexta-feira pela igreja católica, revela O Globo.

“A partir da data de hoje, o senhor Pedro Leandro Ricardo não poderá mais exercer, válida e licitamente, o ministério sacerdotal”, afirma nota do bispo José Roberto Fortes Palau.

Pedro Leandro Ricardo foi denunciado pelo Ministério Público em dezembro de 2019 pelos crimes de atentado violento ao pudor, com abuso de autoridade, contra pelo menos quatro ex-coroinhas da igreja, entre 2002 e 2006.

O caso provocou um escândalo na igreja católica e já havia causado a renúncia do bispo Dom Vilson Dias de Oliveira, acusado de pedir dinheiro em troca de acobertar as denúncias de abusos contra menores. Outros dois padres já haviam sido afastados pela diocese de Limeira também por enfrentarem denúncias de assédio contra adolescentes e crianças.

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.