Apostas esportivas se consolidam e atraem mais pessoas a cada dia

Mercado de apostadores se profissionaliza, proporcionam ganhos elevados e movimentam milhões no Brasil. É preciso, porém, estudar muito e ficar atento as promessas de "dinheiro fácil"

Compartilhar
O botafoguense Ronei Devens deixou o emprego há cerca de quatro anos e se profissionalizou no trading esportivo. Atualmente ele chega a faturar até R$ 40 mil mensais nesse segmento. Crédito: Arquivo pessoal

Você trocaria a estabilidade de um bom emprego em uma empresa consolidada para mergulhar de cabeça em uma área completamente nova e ao que sempre fez?

Pode até soar inicialmente como irresponsabilidade, mas foi exatamente isso que fez o engenheiro mecânico, ou melhor, apostador esportivo Ronei Devens, de 32 anos, quando decidiu sair da rotina no antigo emprego para se dedicar ao mercado de apostas esportivas.

Em uma área que movimentou no Brasil apenas no ao passado uma quantia entre R$ 760 milhões e R$ 1,1 bilhão, Ronei conseguiu desenvolver os próprios métodos de apostas para faturar alto e lucrar com jogos.

“Comecei em 2016. Estava em uma obra, e fui pesquisar sobre mercado financeiro, pois queria aprender. Do nada caí no tal do trade esportivo e foi então que comecei a estudar”, disse o trader.

Ganhos elevados

A escolha deu certo, pois atualmente o faturamento supera em larga escala o que recebia na carteira.

“Há três anos não trabalho mais como engenheiro. Hoje meus ganhos são muito superiores. São vários caminhos para se ganhar, tem o trade, apostas e o grupo de aposta. No trade devo tirar uma média de R$ 10 mil por mês. Nas apostas gira em torno de uns R$ 5 mil. E tenho ainda meu grupo, que me dá uma renda até maior que o trade, com cerca de uns R$ 20 mil mensais. Esse último é o mais recente e conto com cerca de 100 pessoas nele aqui na minha região”, destaca ele, que mora em Aracruz, Norte do Estado.

Atingir esse patamar exige dedicação. São horas diárias analisando jogos e desenvolvendo táticas.

“Quando comecei, percebi que era tudo muito amador, as pessoas apostavam na emoção. Ali eu vi que se me dedicasse poderia encontrar valores nesse segmento. Na verdade, eu comecei a apostar em cima dos erros dos outros. Enquanto muitos se guiavam pela emoção, eu apostava na razão”, detalha o apostador que teve de superar até a desconfiança da família quando optou pelo mercado de apostas esportivas.

O apostador deixa claro, contudo, que esse mercado envolve riscos. “Sorte ou azar nas apostas esportivas se anulam no longo prazo. No fim, o que dará lucro não será a sorte ou azar, mas sim sua capacidade de encontrar cotações de valor.”

Entenda um pouco mais:

01 – Regulamentação

Apostar é uma atividade legalizada no país, mas que ainda carece de uma regulamentação. Todas as apostas feitas no Brasil são feitas em plataformas e sites estrangeiros. Isso ocorre porque por aqui ainda não é permitido que as empresas envolvidas tenham sede física ou sites dedicados. O projeto de lei 13.756/2018, que regulamenta o setor, está em vias de ser aprovado no Congresso Nacional.

02 – Modalidades de apostas

O segmento de apostas esportivas oferece uma infinidade de maneiras para se ganhar, mas o que os apostadores mais buscam é o trading, que consiste em um ambiente em que são feitos investimentos antes e durante um evento esportivo, como partidas de futebol, o preferido dos apostadores. Assim, com o trading, você pode ganhar dinheiro assistindo a jogos de futebol e fazendo suas apostas.

03 – Quanto investir e riscos?

Quem está nesse segmento alerta que não há garantias de lucros, é preciso se qualificar. Há uma infinidade de cursos, geralmente curtos. Os valores são variados e vai depender do nível de aprofundamento. Encontra-se na internet cursos com preços a partir de R$ 400,00. Também é possível pagar para um trader operar as apostas. Nesse caso, será descontado um percentual por parte do operador. (A Gazeta – Murillo Cuzzuol – Vitória – ES)

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta