Hipódromo da Gávea vive expectativa da largada para Tríplices-Coroas

Jockey I 08.02.22

Por: Elaine Silva

Compartilhe:
JCB_Logo_Azul
O Jockey Club Brasileiro organizou programação das mais interessantes, neste início do mês de fevereiro

Uma semana com grandes atrações para criadores, proprietários, turfistas e aficionados, em geral. O Jockey Club Brasileiro organizou programação das mais interessantes, neste início do mês de fevereiro. Sem dúvida, as principais atenções estão voltadas para as provas de Grupo 1, que abrem a tradicional tríplice-coroa do turfe carioca, os Grandes Prêmios Estado do Rio de Janeiro, e Henrique Possolo. Os campos das competições receberam número significativo de inscrições, o que demonstra o equilíbrio das provas. Os prováveis favoritos, Oceano Azul, do Haras Figueira do Lago, no páreo dos potros, e Just Like, do Haras Santa Maria de Araras, entre as potrancas, têm respeito por parte dos adversários, mas não são temidos como rivais intransponíveis. Quando isso acontece, o número de concorrentes diminui. Não é este o caso em 2022. Os responsáveis pelo preparo dos candidatos têm esperança de superar os mais cotados. E, por isso, pagaram o Added na expectativa de realizar o sonho de vitória.

As seletivas para a Copa Velocidade também acontecerão no domingo. Na Gávea serão duas. E a presença de tantos puros-sangues precoces agita o imaginário de quem é apaixonado pelo esporte. A possibilidade de surgir um campeão, diante dos próprios olhos, proporciona expectativa no íntimo do público turfista. São os primeiros passos na campanha de produtos com filiações régias, precocidade e bons cartões de visita nos primeiros treinos matinais. Os campos dos clássicos coadjuvantes têm expressiva qualidade. Isto acontece no Grupo 3, Grande Prêmio Escorial, e, no Clássico Bal A Bali. As duas provas preparatórias para a segunda etapa da tríplice-coroa, Prova Especial Falcon Jet e Prova Especial Virginie, só para os três anos, apresenta corredores que pularam a etapa inicial do compromisso. Com certeza terão maior preparo, para enfrentar, os candidatos a disputar a coroa, ou seja, os ganhadores das duas primeiras versões da caminhada. A vantagem será conquistada na pista, por correr a distância maior, os 2000 metros, um mês antes do segundo desafio da caminhada. (Raia Leve – Páreo Corrido, por Paulo Gama)

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.