Lilia Cabral aprendeu jogar pôquer para ‘A Força do Querer’: ‘Me dei bem!’

Compartilhar

Além da transexualidade e a questão da identidade de gênero, a novela "A Força do Querer" vai abordar outros temas também importantes. Um deles será retratado no drama de Silvana, personagem de Lilia Cabral, que é uma jogadora compulsiva. Avessa à jogatina, a atriz conta ao Purepeople que teve que aprender as regras e o blefe do pôquer para as cenas. Bem-humorada, ela admite que todo o seu talento de atriz fez diferença: "Olha, quando eu fui jogar, eu me dei bem!"

Jogar é atuar

Ainda falta cerca de três semanas para a estreia da nova trama das nove, mas o trabalho do elenco já está a todo vapor há meses. Para entender o vício de Silvana, Lilia conversou com muitas pessoas que têm compulsão por apostas, e relata: "O que chamou mais atenção são as mentiras. Eles dizem que o grande jogador é antes de mais nada um grande ator. Porque tem que mentir, e as mentiras vão evoluindo, dentro e fora do jogo. E isso precisa ter muita credibilidade". A artista declara que tem profundo respeito pelos jogadores compulsivos, e alerta: "Porque isso pode acontecer com qualquer um de nós. Ninguém está livre. Às vezes liga um botãozinho, e pode ser que a gente vá por um caminho, quando percebermos já aconteceu."

O vício de Silvana começa como diversão

Silvana é uma arquiteta muito bem realizada profissionalmente, casada com Eurico (Humberto Martins), com quem tem uma filha: Simone (Juliana Paiva). "Ela só não é vitoriosa no jogo, mas não é porque não saiba jogar, é pela ansiedade em querer ganhar", conta Lilia, que também explica que tudo começa com aquele "carteadinho" com as amigas, apostando pouco dinheiro. "É uma diversão, só que acaba tendo o lado compulsivo. Esse é o grande problema, e eu acho que é isso que a Glória vai discutir. A pessoa se identifica com aquela adrenalina, e aí é muito difícil, só com tratamento. Um tratamento que é para o resto da vida", pondera a atriz.

‘Não vai ficar só na alegria’

Apesar de ser uma personagem leve e um núcleo familiar que tem humor, a vida de Silvana será prejudicada pela compulsão. "Ela vai se dar conta disso quando perder tudo. Quando levar a família, e perder tudo, com certeza, porque não vai ficar só na alegria", explica Lilia, e completa: "Quero que o público vá tendo cumplicidade com essa personagem, vá se divertindo com essa família, para que quando tiver uma barra pesada mesmo, quando começar a cair, eles entendam a problemática."

Lilia admite que não gosta de jogo

Apesar de partilhar do carinho de mãe que Silvana tem pela filha e ter "adotado" Juliana Paiva nos bastidores, diferentemente da personagem, Lilia Cabral afirma que não gosta de jogar: "Tenho problema com jogo porque não gosto de perder! (risos)", e brinca: "Nem na loteria eu jogo. Olha, uma vez eu fiz um jogo daqueles, que vc marca os números e não acertei nenhum. Acho até que tinham que dar um prêmio para alguém que não acertasse nada. Porque é muito difícil isso, não acertar nada."

Coletiva de lançamento da trama teve apresentação de Carimbó

O elenco, direção e a autora de "A Força do Querer" se reuniram no Projac no último dia 14 para apresentar o folhetim à imprensa. No fim da exibição do clipe com as primeiras cenas, dançarinos do carimbó, dança típica da região norte do país – em que parte da trama é ambientada – entraram no palco e chamaram os atores para dançar. Isis Valverde, uma das protagonistas, usou uma camiseta da Dior com mensagem feminista, confira outros looks! (Pure People – Samyta Nunes)

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta