Prisão do pastor e ex-ministro Milton Ribeiro fragiliza ainda mais a credibilidade dos evangélicos

Blog do Editor I 22.06.22

Por: Magno José

Compartilhe:
Evangélicos afirmaram após aprovação do PL 442/91: “a legalização dos jogos de azar passou na Câmara dos Deputados, um verdadeiro retrocesso no combate à corrupção”. Até onde vai a credibilidade dos pastores que vivem demonizando contra os jogos legais?

Pastores e deputados evangélicos profetizam dia sim, outro também, que os jogos de azar são um problema para a sociedade, principalmente se forem legalizados pelo Congresso Nacional.  Até elegeram como bandeira a luta contra a legalização dos jogos pelo Congresso Nacional.

Nesta quarta-feira (22) foi expedida ordem de prisão pela 15ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal contra o ex-ministro Milton Ribeiro, os investigadores apuram crimes de tráfico de influência, advocacia administrativa, prevaricação e corrupção passiva. O ex-ministro da Educação, abriu as portas da pasta para que pastores evangélicos instalassem um balcão de negócios com prefeituras na liberação de verbas do FNDE. O escândalo provocou a demissão de Ribeiro. Na ação desta quarta, a PF foi a endereços do ex-ministro e de outros investigados, como os pastores Arilton Moura e Gilmar Santos. Os presos serão transferidos para Brasília.

Em março deste ano, no auge do escândalo de corrupção no Ministério da Educação, o presidente Jair Bolsonaro disse que confiava totalmente no ex-auxiliar, agora preso preventivamente pela Polícia Federal por corrupção e outros crimes.

“Eu boto a minha cara toda no fogo pelo Milton”, disse Bolsonaro, durante uma live no Alvorada.

Overdose de desconfiança…

Inclusive, no dia seguinte da aprovação do PL 442/91 pelo plenário da Câmara, o presidente da Frente Parlamentar Evangélica, pastor e deputado Sóstenes usou sua conta no Twitter para a seguinte declaração: “Lamentavelmente, na noite de ontem, a legalização dos jogos de azar passou na Câmara dos Deputados, um verdadeiro retrocesso no combate à corrupção, ao uso de drogas e da prostituição, práticas que são facilmente possibilitadas pela jogatina”.

Pergunto

Até onde vai a credibilidade destes atores e instituições que vivem demonizando e profetizando contra o setor de jogos de azar?

Vocês sabem: eu desconfio de todos!!!

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.