Aluna da USP acusada de desviar R$ 1 mi vira ré por golpe em lotérica

Lotérica I 30.04.24

Por: Magno José

Compartilhe:
Aluna de Medicina da USP ganhou 5 vezes na loteria com jogos feitos após sacar dinheiro da formatura
Justiça aceitou a denúncia de fraude numa lotérica contra Alicia Muller; aluna da USP também é acusada de dar golpe em comissão de formatura (Foto: Redes Sociais)

A aluna de medicina Alicia Dudy Muller, de 26 anos, tornou-se ré pela segunda vez após a Justiça paulista aceitar a denúncia de fraude no pagamento de bilhetes de loteria, em São Paulo. Ela já responde a um processo de estelionato, no qual é acusada de desviar quase R$ 1 milhão de sua comissão de formatura na Universidade de São Paulo (USP), revela reportagem do Metrópoles.

A denúncia do Ministério Público de São Paulo (MPSP) foi recebida em 29 de novembro do ano passado, mas foi confirmada pelo Tribunal de Justiça (TJSP) nesta sexta-feira (26/4). O processo tramita em segredo de justiça.

Segundo a denúncia, a estudante foi até uma lotérica, em julho de 2022, na zona sul da capital paulista, e tentou apresentar um comprovante de Pix de R$ 891,50 para pagar uma aposta de R$ 891,5 mil.

A funcionária do estabelecimento já havia formalizado apostas no valor R$ 193,8 mil quando desconfiou da estudante. Alicia havia feito apenas um agendamento da quantia, com valor mil vezes menor que o das apostas realizadas.

O Metrópoles entrou em contato com a defesa de Alicia Muller, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria. O espaço segue aberto para manifestações.

Desvio de R$ 927 mil

Alicia Dudy Muller virou ré pelo desvio de R$ 927 mil dos fundos para custear a festa de formatura em março deste ano. Ela era a presidente da comissão de formandos quando realizou os desvios.

De acordo com o inquérito da Polícia Civil, ao fazer saques, ela não respeitou o estatuto da associação formada pela comissão, que previa que qualquer movimentação no dinheiro deveria receber o aval do tesoureiro do grupo, o que não ocorreu.

A arrecadação do dinheiro ficava a cargo de uma empresa contratada pela comissão. Os saques foram feitos sem o conhecimento dos outros alunos, segundo a investigação. A denúncia afirma que Alicia solicitava as transferências diretamente à empresa, alegando que agia em nome da comissão.

De acordo com o MPSP, os desvios foram feitos entre os dias 25 de novembro e 20 de dezembro de 2022. A aluna foi denunciada por oito crimes consumados de estelionato, além da tentativa frustrada na lotérica.

 

Comentar com o Facebook