Impacto no Las Vegas Sands com a morte de Sheldon Adelson

Compartilhar
Em meados de 2019, o falecido Sheldon Adelson fez uma série de transferências de ações que possuía para um fundo em nome de sua esposa. Essas transações resultaram em um salto de patrimônio líquido de Miriam Adelson para US$ 22 bilhões (Foto: Adelson Family Foundation)

A estabilidade relativa nas ações da maior operadora de cassino do mundo por capitalização de mercado é um sinal de que os participantes do mercado estavam há muito cientes do declínio da saúde de Adelson e estão apreciando um plano de sucessão estável. O Grupo possui uma capitalização de mercado de quase US$ 45 bilhões.

Las Vegas Sands cresceu e se tornou uma corporação de cassino de bilhões de dólares que possui e opera propriedades integradas de resort e instalações para convenções na Las Vegas Strip, Macau e Cingapura.

“Esperamos que o foco permaneça nos mercados asiáticos, incluindo Macau e Japão, onde a empresa tem cooperação com os governos locais”, disse o analista de jogos da Macquarie Securities Chad Beynon a investidores em uma nota de pesquisa nesta terça-feira (12). “Senhor Adelson também pressionou por cassinos físicos em grandes mercados nos Estados Unidos, como Nova York e Texas, e esperamos que essa filosofia continue avançando”.

O sócio da Global Market Advisors, Brendan Bussmann, também sugeriu que Macau continuaria a ser o foco. A renovação da empresa Sands Cotai Central no The Londoner, no valor de US$ 2,2 bilhões, deverá ser inaugurada ainda este mês e Las Vegas está empenhada em renovar a sua concessão de jogo com o governo de Macau no próximo ano.

“A Ásia continuará sendo a maior oportunidade de crescimento para a empresa”, disse Bussmann. “Embora continue a haver dúvidas em torno do processo de concessão de Macau, nenhuma empresa investiu mais em Cotai do que Las Vegas Sands devido em parte à visão que o Sr. Adelson teve para o mercado”.

O veterano da indústria Robert Goldstein, 64, assumiu os papéis de presidente interino e CEO quando seu chefe foi para outra rodada de cuidados médicos na semana passada. Goldstein ocupou vários cargos de liderança na empresa desde que ingressou no Las Vegas Sands em 1995. Ele é o presidente do Grupo desde 2015.

O analista de jogos do Morgan Stanley, Thomas Allen, disse que espera que Goldstein se torne o presidente e CEO permanente. No entanto, pode haver uma mudança para colocar um membro da família nessa função. O diretor financeiro do Las Vegas Sands, Patrick Dumont, que é casado com a filha de Miriam Adelson de seu primeiro casamento, Sivan Ochshorn, aumentou sua personalidade pública na liderança da empresa nos últimos anos.

Allen observou que Sheldon Adelson possuía apenas 9% da Las Vegas Sands. A maior parte da participação de 57% de sua família é controlada por Miriam Adelson, 75, e vários fundos familiares.

Em meados de 2019, o falecido Adelson fez uma série de transferências de capital, variando em tamanho de 276.1000 a 3,65 milhões de ações, transferindo ações que possuía para um fundo em nome de sua esposa. Essas transações resultaram em um salto de patrimônio líquido de Miriam para US$ 22 bilhões em junho de 2019, tornando-a na época a israelense mais rica.

Adelson, junto com Steve Wynn, era amplamente visto como um dos pioneiros da estrutura integrada de resort, que mudou a indústria da dependência da receita do jogo para a geração de quantidades prodigiosas de fluxo de caixa de convenções, jantares e entretenimento.

O que vem por aí para LVS

Em meio à morte de Adelson, muita coisa está acontecendo no Sands. As especulações estão se intensificando de que a venda do Venetian, do Palazzo e do centro de convenções na Strip está se aproximando, em um negócio avaliado em US$ 6 bilhões, e há rumores sobre uma possível aquisição dos combalidos Crown Resorts da Austrália. Além disso, a LVS estava preparando uma campanha de lobby com os legisladores do Texas antes da morte de Adelson.

A influência de Goldstein já pode ser aparente. A Bloomberg News revelou que a empresa está em negociações com potenciais parceiros para entrar no negócio de apostas esportivas. Isso marcaria uma grande mudança para Las Vegas Sands, já que a criação de uma plataforma de apostas esportivas inclui um componente online ou móvel. Sheldon Adelson há muito se opunha a qualquer forma de aposta na Internet.

O fundador da Roundhill Investments, Will Hershey, disse ao Casino.org que, com ventos favoráveis na regulamentação e uma recuperação ainda lenta em Las Vegas, a LVS se sente compelida a avaliar o iGaming e as apostas esportivas. (Com Casino.org e CDC Gaming Report)

***

Leia em Cassino: Apostas no Sands China de Macau após a morte do bilionário norte-americano Adelson.

Comentar com o Facebook