Opinião: o que o Brasil deve aprender com Japão

Blog do Editor I 19.07.21

Por: Magno José

Compartilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Opinião: o que o Brasil deve aprender com Japão
O Brasil não deve copiar modelos de jogos de outros países, mas aprender com experiências exitosas e desastrosas para implantar um modelo que atenda a necessidade do mercado brasileiro

Com frequência representantes do governo, como o ministro do Turismo, Gilson Machado e parlamentares como os senadores Irajá, Flávio Bolsonaro e deputados como Herculano Passos e Paulo Azi defendem que o melhor para o Brasil é a legalização exclusiva dos resorts integrados com cassinos, pois este modelo representará mais investimentos pelos grandes grupos empresariais.

A reportagem do Casino.org veiculada em destaque sobre o modelo japonês comprova que os atores políticos brasileiros estão completamente equivocados sobre este modelo.

O governo japonês sucumbiu ao lobby das grandes corporações, legalizou a atividade em 2018 e instituiu apenas três licenças. Agora estão assistindo a desistência dos grandes operadores pela incapacidade de aportar ‘vultosos’ investimentos.

A crise imposta pela pandemia da Covid-19, obrigou até mesmo o ‘milionário’ Grupo Las Vegas Sands – que mais trabalhou pela implantação do ‘Integrated Resort’ (IR) no Japão e que defende a implantação deste modelo no Brasil – a desistir de investir no país do Sol Nascente. Inclusive, o grupo Sands vendeu suas operações em Las Vegas – The Venetian, Palazzo e Sands Expo and Convention Center – em um negócio multibilionário de US$ 6,25 bilhões, para direcionar os investimentos do Sands para a Ásia, que representa atualmente 85% do faturamento do grupo (63% de Macau e 22% de Singapura).

O Brasil não deve copiar modelos de jogos de outros países, mas aprender com experiências exitosas e desastrosas para implantar um modelo que atenda a necessidade do mercado brasileiro. A proposta deve levar em consideração a grande oferta de jogos não regulados em operação no país para garantir os investimentos necessários e a geração de tributos e empregos, além de reduzir os jogos clandestinos.

Somente a aprovação do Marco Regulatório dos Jogos, através da legalização de todas as modalidades de jogos como previsto no substitutivo ao PL 442/91 (jogo do bicho, bingo, jogo online e cassinos), poderá gerar investimentos, arrecadação tributária e empregos imediatos que o país tanto necessita.

A história será testemunha e mostrará que os atores políticos brasileiros, que patrocinam a defesa pelo modelo dos cassinos-resorts, estão sendo cúmplices dos grandes grupos norte-americanos na ‘venda de terreno na lua’.

Comentar com o Facebook