Ações das empresas de jogos de Macau despencam na bolsa de Hong Kong

Cassino I 17.03.22

Por: Magno José

Compartilhe:

Jogo em Macau passa de recorde para pior receita do ano

As ações de jogos de Macau viram outros HK $ 35 bilhões (US $ 4,4 bilhões) varridos de sua capitalização de mercado combinada – a segunda vez em tantas semanas que os preços caíram no fim de semana e na segunda-feira, revela o Indian Asian Gaming.

As entidades listadas em Hong Kong de todas as seis concessionárias de cassinos de Macau despencaram nas 72 horas entre o fechamento do pregão na sexta-feira e o fechamento do pregão na segunda-feira, sendo o mais substancial o Wynn Macau Ltd, que viu o preço de suas ações cair 13,2%, para HK$ 5,12. O preço das ações do Wynn Macau estava em HK $ 15,82 exatamente um ano atrás, em 15 de março de 2021.

Todos, exceto um dos “Big Six” de Macau, perderam mais de 10% de seu valor desde o fechamento de sexta-feira, com o Galaxy Entertainment Group a única exceção – queda de 5,0% para HK$ 39,00. A SJM Holdings caiu 12,3% para HK$ 3,21, Sands China 11,6% para HK$ 15,56, Melco International Development 11,5% para HK$ 5,94 e MGM China 10,4% para HK$ 4,06.

No total, o valor de mercado combinado das seis empresas caiu 8,7% ou HK$ 35,0 bilhões (US$ 4,5 bilhões) para HK$ 365,2 bilhões (US$ 46,7 bilhões).

Outros 12% eliminados do valor de mercado, enquanto as ações de jogos de Macau continuam em queda livre

O rápido declínio foi atribuído a vários fatores, incluindo a guerra na Ucrânia, que impactou negativamente os preços das ações em todo o mundo, e a disseminação da variante Omicron do COVID-19 em Hong Kong e na China continental. Atualmente, o continente está enfrentando seu pior surto desde o início da pandemia de COVID-19.

Conforme relatado pelo IAG, a cidade tecnológica de Shenzhen, lar de 17,5 milhões de pessoas, foi colocada em um bloqueio de 7 dias no final do domingo. A província de Jilin também foi bloqueada na segunda-feira, quando a China registrou 1.437 novos casos. Está sendo relatado que cerca de 51 milhões de pessoas estão atualmente em confinamento em todo o país, enquanto a China continua a perseguir uma política de zero COVID.

Novas quedas

As ações de companhias chinesas caíram 5% ontem, o que eleva as perdas do ano para níveis próximos a 20%, pressionadas por uma nova explosão de nervosismo em torno da disparada dos casos de covid-19, revela o Valor.

Empresas com forte exposição aos setores de consumo e de viagens enfrentaram o impacto da venda em massa. O índice Bloomberg das operadoras de cassinos de Macau caiu mais de 11% pelo segundo dia consecutivo e o índice China Real Estate Owners and Developers, um indicador das incorporadoras imobiliárias, caiu 10%, para seu fechamento mais baixo de quase dez anos.

Preocupações com o potencial para mais lockdowns estimularam ontem os investidores externos a se desvencilhar das ações chinesas no ritmo mais acelerado dos últimos 20 meses, segundo cálculos do “Financial Times” baseados em dados da Bloomberg.

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.